domingo - 31/10/2010 - 12:39h

Votar – Para arejar o domingão cívico



“O maior castigo para aqueles que não se interessam por política, é que serão governados pelos que se interessam.” (
Arnold Toynbee, historiador britânico)

Vou ali votar novamente.

Depois do primeiro turno, dia 3 de outubro, chegou a vez deste 31 de outubro de 2010. Nada de voto em branco ou nulo.

Opção feita, é digitar números na urna eletrônica.

Adiante teremos mais postagens sobre política e outros temas, para arejar esse domingão cívico.

Até lá.

Categoria(s): Comunicado do Blog
domingo - 31/10/2010 - 11:55h

Monólogo das mãos



Para que servem as mãos?

As mãos servem para pedir, prometer, chamar, conceder, ameaçar, suplicar, exigir, acariciar, recusar, interrogar, admirar, confessar, calcular, comandar, injuriar, incitar, teimar, encorajar, acusar, condenar, absolver, perdoar, desprezar, desafiar, aplaudir, reger, benzer, humilhar, reconciliar, exaltar, construir, trabalhar, escrever…

As mãos de Maria Antonieta, ao receber o beijo de Mirabeau,
salvou o trono da França e apagou a auréola do famoso revolucionário;

Múcio Cévola queimou a mão que, por engano não matou Porcena;
foi com as mãos que Jesus amparou Madalena;

Com as mãos David agitou a funda que matou Golias;
As mãos dos Césares romanos decidia a sorte dos gladiadores vencidos na arena;
Pilatos lavou as mãos para limpar a consciência;

Os anti-semitas marcavam a porta dos judeus com as mãos vermelhas como signo de morte!

Foi com as mãos que Judas pos ao pescoço o laço que os outros Judas não encontram.

A mão serve para o herói empunhar a espada e o carrasco, a corda;
O operário construir e o burguês destruir;
O bom amparar e o justo punir;
O amante acariciar e o ladrão roubar;
O honesto trabalhar e o viciado jogar.

Com as mãos atira-se um beijo ou uma pedra, uma flor ou uma granada, uma esmola ou uma bomba!

Com as mãos o agricultor semeia e o anarquista incendeia!

As mãos fazem os salva-vidas e os canhões;
Os remédios e os venenos;
Os bálsamos e os instrumentos de tortura, a arma que fere e o bisturi que salva.

Com as mãos tapamos os olhos para não ver, e com elas protegemos a vista para ver melhor.

Os olhos dos cegos são as mãos. As mãos na agulheta do submarino levam o homem para o fundo como os peixes;

No volante da aeronave atiram-nos para as alturas como os pássaros.

O autor do Homo Rebus lembra que a mão foi o primeiro prato para o alimento e o primeiro copo para a bebida;

A primeira almofada para repousar a cabeça, a primeira arma e a primeira linguagem.

Esfregando dois ramos, conseguiram-se as chamas.

A mão aberta, acariciando, mostra a bondade;
Fechada e levantada mostra a força e o poder;
Empunha a espada a pena e a cruz! Modela os mármores e os bronzes;
Da cor às telas e concretiza os sonhos do pensamento e da fantasia nas formas eternas da beleza.

Humilde e poderosa no trabalho, cria a riqueza;
Doce e piedosa nos afetos medica as chagas, conforta os aflitos e protege os fracos.

O aperto de duas mãos pode ser a mais sincera confissão de amor, o melhor pacto de amizade ou um juramento de felicidade.

O noivo para casar-se pede a mão de sua amada;

Jesus abençoava com as mãos;
As mães protegem os filhos cobrindo-lhes com as mãos as cabeças inocentes.

Nas despedidas, a gente parte, mas a mão fica, ainda por muito tempo agitando o lenço no ar.

Com as mãos limpamos as nossas lágrimas e as lágrimas alheias.

E nos dois extremos da vida, quando abrimos os olhos para o mundo e quando os fechamos para sempre ainda as mãos prevalecem.

Quando nascemos, para nos levar a carícia do primeiro beijo, são as mãos maternas que nos seguram o corpo pequenino.

E no fim da vida, quando os olhos fecham e o coração pára, o corpo gela e os sentidos desaparecem, são as mãos, ainda brancas de cera que continuam na morte as funções da vida.

Giuseppe Ghiaroni – (1919-2008) – Poeta, jornalista e cronista, mineiro de Parnaíba do Sul, ele morreu em 2008, aos 89 anos, com importante atuação com trabalhos para o rádio, teatro e imprensa escrita.

* O texto faz parte da peça "O vendedor de ilusões" de Oduvaldo Viana, escrito para Procópio Ferreira. 

Categoria(s): Blog
  • Repet
domingo - 31/10/2010 - 11:29h

Gerais… Gerais… Gerais… Gerais


Para o feriado do Dia de Finados, nessa terça (2), a Diocese de Mossoró definiu programação religiosa. Missas no Cemitério São Sebastião (Centro) às 5, 7 e 17 horas; na Catedral de Santa Luzia às 9h.

Dentro das atividades do Ciclo de Formação do Programa Conexões de Saberes, a Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA) estará promovendo no próximo dia 17 de novembro, a palestra "Universidade e Africanidade", com o Professor-doutor Moisés de Melo Santana, da Universidade Federal Rural de Pernambuco. A palestra é a primeira ação do Núcleo de Estudo Afro-Brasileiros (NEAB), da UFERSA. A palestra, que integra as comemorações pela passagem do "Dia da Consciência Negra", 20 de novembro, será realizada a partir das 16h, no Auditório do CTARN, no Campus Leste da UFERSA Mossoró, sendo aberta para toda a comunidade acadêmica e demais pessoas interessadas no assunto.

Alunos do curso de Direito da Universidade Potiguar (UnP), turma "A", organizam e vão promover a Primeira Jornada Multidisciplinar do Direito no Teatro Municipal Dix-huit Rosado, no dia 19 de novembro. Entre os painelistas, o ministro do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Emmanoel Pereira; desembargador João Batista Rebouças; procurador federal Raimundo Márcio Ribeiro Lima, da Advocacia Geral da União (AGU) e outros nomes. Inscrições e mais informações por estes números: (84) 3314-3458/9614-9739/8851-57501.

 
A I Feira de Imóveis, Arquitetura, Móveis, Construção, Paisagismo e Serviços (Feira Imobiliária de Mossoró – Casa MIX está definida. Vai acontecer entre 24 e 28 deste ano,  numa realização da Promoção e Montagem de Eventos (PROMOEXPO).  O evento vai se realizar entre 18 e 23 horas, com estimativa de público-visitante da ordem de 20 mil pessoas na Praça de Eventos da Avenida Rio Branco.

Os parabéns do Blog ao ex-deputado estadual Carlos Augusto Rosado (DEM), ao ex-candidato a deputado estadual Gutemberg Dias (PCdoB) e ao gerente regional do Hotel Thermas, Washington Souza. Aniversariam hoje. Saúde e paz, os nossos desejos.

O Grupo de Apoio à Vida, mantenedor do Programa de Valorização da Vida (PVV-Natal) vai realizar Chá Beneficente no próximo domingo (7), a partir das 16h, no Harmonia Recepções (por trás do Salinas, Candelária), Rua André Fernandes, 01. Objetiva arrecadar fundos para ações dessa entidade. Mais informações: (84) 3221-4111/8809-8253.

A FM 95 de Mossoró promoverá mais uma estreia em sua grade de programação. A partir dessa segunda (1º) apresentará o "Forró do Juvenal" a partir das 16h, diariamente, de segunda a sexta, conduzido por Edmar Filho.

Samuel Nário Júnior e Costa Filho vão estrear na próxima quarta (3), a partir das 18h, o programa "Ponto de Vista", na Rádio FM 89 – Verde Vale (Assu). Terá edições diárias de 18 às 19h, de segunda a sexta. Sucesso e parabéns pela iniciativa.

Obrigado a leitura deste Blog a Genildo Oliveira, do bairro Belo Horizonte (Mossoró), repórter fotográfico Carlos Costa (Mossoró) e radialista Gilson Cardoso-FM93 Mossoró)

Minha saudação especial, hoje, para dona Nicácia Lopes da Silveira, 87, viúva do empresário Lúcio Silveira. Num dia como hoje, de eleição, ela faz questão de votar,  mesmo não sendo obrigada.  Dá um exemplo de cidadania, amor ao seu país e entusiasmo que nos contagia.

Categoria(s): Nelson Queiroz
domingo - 31/10/2010 - 11:04h

O menino doente



O menino dorme.

Para que o menino
Durma sossegado,
Sentada ao seu lado
A mãezinha canta:
— "Dodói, vai-te embora!
"Deixa o meu filhinho,
"Dorme . . . dorme . . . meu . . ."

Morta de fadiga,
Ela adormeceu.
Então, no ombro dela,
Um vulto de santa,
Na mesma cantiga,
Na mesma voz dela,
Se debruça e canta:
— "Dorme, meu amor.
"Dorme, meu benzinho . . . "

E o menino dorme.

Manuel Bandeira (1884-1968)

Categoria(s): Nélter Queiroz
domingo - 31/10/2010 - 10:44h

Ex-secretária devassa esquema que envolveria Agripino


A ex-secretária Domingas Gonçalves Trindade, 40 anos, foi ouvida na Divisão de Repressão aos Crimes Contra a Administração Pública (DECAP), da Polícia Civil do Distrito Federal, sobre as acusações que faz contra o ex-governador Joaquim Roriz; o presidente do PSC-DF, Valério Neves; os senadores Sérgio Guerra (PSDB-PE) e José Agripino Maia (DEM-RN); o empresário Eduardo Badra; e o ex-diretor da Belacap (estatal responsável pelo serviço de ajardinamento e limpeza urbana do DF), Luís Flores.

Todos são acusados de se servirem de um esquema de desvio de dinheiro envolvendo a Qualix, empresa que faz o recolhimento do lixo no DF.

O depoimento foi acompanhado da apresentação de uma série de provas documentais. Domingas denunciou um esquema que, até então, não tinha o respaldo de tantos elementos.

Ela acusa Roriz, Valério, Agripino e Guerra de receberem propina proveniente de contratos firmados entre o GDF e a Qualix.

O Jornal de Brasília obteve um vídeo (cujos trechos estão ao lado) no qual Domingas faz as mesmas acusações que confirmou à polícia e apresenta as mesmas provas documentais.

Veja matéria na íntegra AQUI.

Categoria(s): Sem categoria
domingo - 31/10/2010 - 10:37h

Pensando bem…


"Dá-me a tua mão: Vou agora te contar como entrei no inexpressivo que sempre foi a minha busca cega e secreta."

Clarice Lispector

Categoria(s): Pensando bem...
  • Lion, Moda Masculina, de João Paulo Araújo - 11-08-15
domingo - 31/10/2010 - 10:35h

Letra e Música – 113


Guilherme Arantes enfileira sucessos desde os anos 70. São letras carregadas de emoção, numa linguagem coloquial.

Um dia, um adeus é um de seus clássicos.

A história da produção dessa letra é interessante. Incompreendido pela mulher amada, posto para correr, ele resolveu tentar a reconciliação com uma música. Era a última cartada.


(…) Só você pra dar
A minha vida direção
O tom, a cor
Me fez voltar a ver a luz
Estrela no deserto a me guiar
Farol no mar, da incerteza…

Claro que Guilherme conseguiu seu intento. E nós ganhamos essa beleza de canção.

Para você ter uma semana no tom e na cor, da felicidade, aproveite esse presente da série "Letra e Música".

Veja a letra AQUI;
Veja o vídeo AQUI.

Categoria(s): Letra e Música
domingo - 31/10/2010 - 09:14h

O legado de Irmã Aparecida



Irmã Aparecida nasceu Letícia Rodrigues Duarte e logo foi adotada pelo casal Francisco Ferreira Duarte e Francisca Rodrigues Duarte.

Em verdade, Letícia era filha de um irmão de Chico Duarte, ou Chico Lequeter, comerciante de secos e molhados na rua da Frente, viúvo e com muitos filhos que, em 1920, casou-se, em segundas núpcias, com Chiquinha Duarte.

"Madrinha Chiquinha", como era tratada por todos nós, cearense do Ererê, mas recém-chegada do Rio de Janeiro, além de outros predicados, aprendeu, nesse período que viveu na Cidade Maravilhosa, a guiar carros. Arrimado nisso, o velho comprou um “Ford de Bigode”.

Portanto, a primeira mulher a dirigir automóveis em Mossoró foi a mãe de Irmã Aparecida. Inclusive, a própria Irmã Aparecida contou-me que, certa vez – a família já morando na fazenda Barrinha dos Duarte –, estavam a caminho de Mossoró, quando o carro apresentou um problema: pneu furado.

Madrinha Chiquinha foi quem tomou as providências para a mudança do pneu, enquanto ela e seu pai, que já apresentava idade avançada, assistiam às providências sob uma árvore frondosa.

Madrinha Chiquinha executava o serviço reclamando que o carro estava ficando velho, quando ouviu do velho Chico que, logo, logo, compraria um carro novo e tudo estaria resolvido. Madrinha Chiquinha aproveita o diálogo e adverte: “Mas, no carro novo, não vamos carregar couros fedorentos, não é mesmo?”

Fazia referência ao cacoete do velho em transportar produtos de seu curtume no carro de passeio. Ele não se altera e devolve com mestria: “Nem galinhas!”; pois Chico Lequeter guardava na “manga” o trunfo do fato de Madrinha Chiquinha sempre levar uma galinha de presente para alguém em Mossoró.

Riram juntos, recordou Irmã Aparecida.

Além da alegre e saudável infância na Barrinha, lembro de Irmã Aparecida comentando sua juventude no Colégio das Freiras e dando especial ênfase ao momento decisivo de sua opção pela vida religiosa. Filha única, teve o apoio incondicional dos pais, porém, seguido de incontrolável e saudoso pranto que a fez temer pela saúde deles, principalmente do pai que, à época, já era um senhor na faixa de setenta anos.

Sempre ressalvava a participação e apoio decisivos do irmão e médico, Duarte Filho – depois, senador da República -, para que sua ida ao convento fosse a menos traumática possível aos pais.

Após longo período de formação em Salvador, aconteceu seu retorno para Mossoró. E, na terra de Santa Luzia, fincou bandeira e fez história, resultado de anos e mais anos na labuta diária do Colégio.

Nas últimas seis décadas, na comunidade mossoroense, não se pode falar no binômio religião-educação sem que o nome de Irmã Aparecida venha à baila. E a citação normalmente se faz em relação à sua postura austera, até mesmo inflexível ao bom comportamento e às boas práticas escolares.

Foi assim desde que abraçou a vida religiosa e educacional e, de forma retilínea, trilhou o seu caminho.

No recém-lançado livro "Massilon – Nas veredas do cangaço e outros temas afins "(Sarau das Letras, 2010), Honório de Medeiros, a certa altura, retrata uma visita que fez a Irmã Aparecida:

“É dezembro de 2006. Irmã Aparecida nos recebe, a mim e a Carlos Duarte, em seu gabinete no Colégio Sagrado Coração de Maria – o Colégio das Freiras, onde estudavam as filhas das elites de Mossoró, geração após geração. Tem o mesmo tipo físico de Dona Bernadete e Dona Iracema. Nela, entretanto, o hábito de comandar deixa-se perceber através das frases pontuadas de forma mais incisiva, como a evitar contestações. Irmã Aparecida, apesar da idade, ainda comanda o Colégio. Nada leva a crer, observando-se sua agilidade física e mental, que a aposentadoria esteja próxima.”

Não faz muito tempo e Irmã Aparecida apresentava agilidade e disposição que, pela idade, espantava. No entanto, nos últimos meses, seu frágil corpo não resistiu à doença.

Partiu deixando um legado de retidão de caráter inquestionável.

No chamado mundo moderno, onde se tocam fanfarras por coisas tão fúteis, a herança imaterial de Irmã Aparecida merece destaque; afinal de contas é plausível que o exemplo pessoal, na vida religiosa e na alçada educacional, ensina mais que elaborados discursos.

Assim viveu Irmã Aparecida: “Guardou a fé e combateu o bom combate”.

David de Medeiros Leite é professor da Uern, advogado e escritor

Categoria(s): Fred Mercury
  • Repet
domingo - 31/10/2010 - 09:03h

Notícias de além-mar, retratos e canções da alma portuguesa



Caro amigo:

Vi seu registro da nossa viagem. Obrigado. Estamos cá pela velha Europa, onde as diferenças entre nós e eles aparecem cada vez mais sutilmente.

Há uma tendência de nivelamento, a longo, longo prazo, eu diria, que se pode perceber a partir da onipresença da “worldmidia” – queira desculpar meu neologismo.

Eles descem, nós subimos. É a vida…

Primeiro é bom registrar que atualmente a Europa é dos brasileiros!  Eles estão em todos os lugares. Do metrô aos cafés, é impossível não ouvirmos, momento-a-momento, a língua-mãe. E, hoje, até mesmo os enfatuados garçons europeus já arriscam uma ou outra palavra em “brasileiro” – algo, antes, impossível de encontrar.

Nossa porta de entrada foi Lisboa. Tínhamos que ir, e fomos, à Torre de  Belém – magnífica! – beijando o Tejo, a guardar Portugal e nos dar uma pálida idéia de suas glórias passadas.

Como contraponto aos tempos de antanho, o motorista de táxi, este sempre um Mercedes da década de noventa, me disse, sombrio, quando nos conduzia ao hotel: “este é um mundo cão”.

A frase não veio solta no tempo e espaço. Estávamos a falar acerca das greves francesas.

Baixo, magro, sotaque carregado, beirando os setenta, maus dentes, típico representante da melancolia portuguesa, explica: “estão acabando conosco”. “Minha aposentadoria anual de paraquedista – eu lutei em duas guerras, na linha de frente – eram cento e trinta euros anuais. Cortaram trinta.”

- Quais guerras o senhor lutou?, pergunto.

“Sim, claro, na linha de frente”, insiste, “sessenta e um, Angola; 63, Guiné-Bissau.”

“Ferimentos?”, pergunto, receoso de alguma resposta brusca.

“Somente na alma; e os carrego junto com algumas medalhas com as quais meus netos brincam. Não servem para nada”

- O que lhe doeu, na guerra? Ele olha de relance para mim, e parece não se dar conta de que os outros são testemunhas atentas da conversa. “Ver, em Angola, um compatriota de chicote na mão a vigiar negros trabalhadores”.

- Por que isso?, perguntei-lhe.

“Se não eles não trabalham”, me respondeu. "Compreendi, ali, que aquela não era uma guerra pela qual lutasse um homem.”

Agora é noite e já estamos no Bairro Alto, onde tudo é Fado, as ruas são estreitas, e há um clima de boemia no ar frio.

Peixe – este é seu nome, o “maïtre d’honeur”, desliza pelas mesas apertadas com a elegância de uma antiga modelo a matar saudades da passarela. É o próprio espírito da Casa que nos acolhe.

Serve-nos um vinho jovem do qual não nos arrependemos. Explica-nos as apresentações dos cantores de Fado. E nos confidencia: “são todos grandes divas”.

É verdade, percebo logo a seguir. Todos têm dois nomes. Nada daquela intimidade fácil do Brasil; nada de Chico, Caetano ou Roberto.

Ali, desde a ainda jovem, para os padrões do Fado, a bela Ana Marta, até a crepuscular Lenita Gentil – a “grande dama” e principal atração da noite, variam os estilos: do contido, elegante, de Antônio Rocha, ao exuberante, popular, de Anita Guerreiro, mas, todos, expressões máximas de uma arte que eles manejam com rara habilidade e distanciamento, e que tento explicar aos meus companheiros, lhes dizendo que tudo isso expressa uma verdade implícita, a de que se nós não gostarmos do fado, a culpa é nossa; portanto, entendamos: ali se canta a alma de um povo, não canções quaisquer.

Nada representa tanto esse “espírito das coisas” quanto aquela a quem eu alcunhei de “a velha dama”: imperial, majestosa, de perfil forte, no qual despontava um queixo autoritário, toda de negro, ela cantava para si e para suas lembranças enquanto cantava para nós, a dominar o pequeno espaço no qual revoluteava entre ondas de um forte perfume de toalete e esgrimia seu xale com rara maestria.

O acompanhamento, feito pela viola de sete cordas tocada como se fosse violão, e a guitarra portuguesa, era soberbo. No final, uma homenagem aos brasileiros: “Ai, Mouraria”, um pedido meu, seguido de um fado de Vinicius de Moraes, e a presença da “grande dama” na nossa mesa, a aceitar, condescendente, nossas homenagens, enquanto sobre nós espargia um olhar esverdeado e uma voz rouca enfeitiçante.

Honório de Medeiros é escritor, professor e ex-secretário da Prefeitura do Natal e do Estado do RN

Categoria(s): Nair Mesquita
sexta-feira - 29/10/2010 - 18:52h

Uma lição do ex-senador Carlos Alberto de Sousa


Reencontrei o ex-senador Carlos Alberto de Souza à porta da Catedral de Santa Luzia em Mossoró, nos anos 90. Precisamente em 1998.

Chegávamos para missa de sétimo dia do ex-governador Tarcísio de Vasconcelos Maia (1916-1998). Carlos Exercia seu último mandato. Era deputado federal e morreria no dia 22 de dezembro do mesmo ano.

A prosa tinha que ser sobre política, lógico.

– Carlos, como se situar entre os dois grupos que dominam a cena política do Rio Grande do Norte?

Mão sobre meu ombro, olhar fixo em mim, ele usou uma metáfora para ser claro:

Carlinhos, capivara fora do bando é comida de onça!

Carlos Alberto afirmava, em frase cifrada, que não se aventuraria mais numa disputa em faixa própria. Em 1985, ele colocou a esposa Mirian de Sousa para ser candidata à Prefeitura do Natal.

Ela obteve votação humilhante.

Enfrentou os grupos Maia e Alves, respectivamente com Wilma de Faria "Maia" e Garibaldi Filho.

Venceu Garibaldi.

A propósito, é bom deixar consignado que Carlos Alberto era pai de Micarla de Sousa (PV), prefeita natalense.

Em 1998 ele tentou voltar ao Senado com apoio do sistema Maia, mas foi derrotado por Fernando Bezerra, apoiado pelo governador Garibaldi Filho. Na verdade, quase não fez campanha, com problemas de saúde e impugnação de candidatura.

Categoria(s): Sem categoria
  • Repet
sexta-feira - 29/10/2010 - 18:42h

Iberê é convidado para festa para eventual vitória de Dilma


O governador Iberê Ferreira (PSB) votará no próximo domingo (31) em Santa Cruz, sua terra natal. Em seguida, voa para Brasília.

Ele atende a convite da coordenação de campanha da presidenciável Dilma Roussef (PT) e da Presidência da República.

Ao lado de outros governadores da base governista, senadores e deputados federais, Iberê deverá participar da comemoração da eventual vitória de Dilma.

O evento está sendo organizado para ocorrer ainda à noite de domingo, no Hotel Nahoum Plaza (Brasília).

Categoria(s): Sem categoria
sexta-feira - 29/10/2010 - 18:34h

Último debate e pouca novidade


É hoje o último debate entre os candidatos à Presidência da República em seu segundo turno. Será através da Rede Globo de Televisão.

A contenda entre Dilma Roussef (PT) e José Serra (PSDB) começará logo após a novela "Passione", por volta de 22h (horário de Brasília).

Nota do Blog – Sinceramente não creio que o programa seja capaz de produzir alterações no quadro que as pesquisas apontam.

É pouco provável que surja alguma novidade ou mesmo tenhamos maiores diferenciais em relação aos debates anteriores.

Categoria(s): Sem categoria
sexta-feira - 29/10/2010 - 18:15h

Chico Carlos, todo prosa, ganha incentivo para ser prefeito



O secretário da Cidadania da Prefeitura de Mossoró, Chico Carlos (PV), não se contém. Está todo prosa.

Ganha o incentivo do prefeito de fato e secretário do Gabinete, Gustavo Rosado (PV), para ser candidato à prefeitura em 2010.

Os dois viajaram juntos por alguns dias e domingo (24) desembarcaram no Aeroporto Pinto Martins (Fortaleza-CE), onde foram acomodados em carro oficial da prefeitura.

Retornaram do "tour" com fôlego novo para o projeto.

Nota do Blog - Chico e Gustavo tiveram que antecipar volta a Mossoró porque na terça (26) tinham encontro marcado com o editor deste Blog, na Justiça.

Participaram de duas audiências relativos a processos em que pedem reparos por danos morais.

Categoria(s): Sem categoria
sexta-feira - 29/10/2010 - 18:09h

Prefeita dedica expediente especial ao Blog do Carlos Santos



Com a presteza do oficial de Justiça Paulo Roberto, um gentleman, o editor deste Blog recebeu hoje mais cinco intimações e citações do Juizado Especial Criminal da Comarca de Mossoró.

Em todos os mandados a prefeita de direito de Mossoró, Fátima Rosado (DEM),  a "Fafá", aparece como principal autora.

Quer botar esse pobre jornalista por trás das grades, através de um lote de condenações.

Audiências estão marcadas para o final do próximo mês, precisamente durante toda uma tarde e quem sabe, até mesmo à boquinha da noite. Serão no dia 29 de novembro, a partir das 13h30.

Ou seja, a prefeita de direito vai passar uma tarde inteira dando "expediente" no Juizado Especial Criminal.

Ainda bem que a prefeitura não chega a sentir sua ausência. Nem a cidade.

Combinado, estaremos lá.

Nota do Blog – Sou obrigado a confessar uma ponta de cabotinismo.

Sinto-me valorizado além da conta, a partir desse cantinho microscópico do mundão do meu webDeus, por levar a prefeita de direito e vários de seus auxiliares e parentes a dedicarem tantas horas do seu precioso tempo só a mim.

Não resta dúvida que Mossoró é realmente a "Metrópole do Futuro": consegue funcionar sozinha.

Categoria(s): Sem categoria
  • Repet
sexta-feira - 29/10/2010 - 12:51h

Afetos e lembranças de Francisco Rodrigues da Costa



Francisco Rodrigues da Costa, o "Chico de Neco Carteiro", lança nesta sexta (29) de outubro de 2010, às 19h, na Biblioteca Municipal de Areia Branca, o seu terceiro livro,. É o "Caminhos de Recordações".

"Anteriormente, ele publicou Saudades e Folhas de Outono, saborosas lembranças embaladas pelo som de canções populares das épocas revividas,” – assevera o poeta Paulo de Tarso Correia de Melo, presidentedo Conselho Estadual de Cultura do RN.

Com o selo da editora Sarau das Letras, Caminhos de Recordações traz crônicas resgatando a memória de Areia Branca, de Mossoró, bem como histórias de além-mar, quando da visita do autor a Portugal e Espanha.

“Ressalto a importância do trabalho de um escritor que se dedica a resgatar e tornar perene a história da cidade onde nasceu, do seu Estado e de pessoas que marcaram época, narrando e dissecando fatos que somente um obstinado tem a coragem de fazê-lo.” – declara o desembargador João Batista Rodrigues Rebouças, no posfácio da obra.

Segundo o reitor da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), Milton Marques de Medeiros, no prefácio da obra, “Francisco Rodrigues da Costa, ou Chico de Neco Carteiro, canta e universaliza sua aldeia em confidências que nos arrastam por intensas emoções.”

Caminhos de Recordações terá lançamento, também, nas cidades de Natal e Mossoró.

Foto – (Arquivo Blog do Carlos Santos) – O autor (à esquerda, camisa clara), o editor desta página no centro e o escritor e editor da Sarau das Letras, Clauder Arcanjo, no dia 16 de junho de 2009 em Areia Branca, no lançamento do "Folhas de outono".

Categoria(s): John Deacon
sexta-feira - 29/10/2010 - 12:43h

A mudança com maturidade pelas mãos de Iberê Ferreira


No núcleo central do rosalbismo, que vai se aboletar no Governo do Estado a partir de janeiro de 2012, há um consenso: o atual governador Iberê Ferreira (PSB) não criará dificuldades à mudança de poder.

Faz sentido.

Iberê tem um perfil de político moderado e elegância no trato interpessoal. Certamente não vai concluir seu período de gestão criando embaraço à governadora eleita Rosalba Ciarlini (DEM).

É uma postura equilibrada e decente, que ajudará sobremodo a Rosalba e sua equipe.

A equipe de transição da governadora eleita vai começar a trabalhar nas entranhas do governo, recebendo informações da máquina estadual, a partir do dia 15 de novembro.

Por algumas medidas tomadas pelo governador, para contenção de despesas, equilíbrio do custeio e ajuste à Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), o Estado não será entregue como terra arrasada.

Dificuldades existem.

Porém é possível que se venda essa versão alarmista.

Categoria(s): Sem categoria
  • Repet
sexta-feira - 29/10/2010 - 12:10h

Agripino admite situação delicada com prefeita Micarla



Não existe meio termo. A relação do senador José Agripino e, consequentemente, do partido Democratas, com a prefeita de Natal, Micarla de Souza (PV) azedou.

Este blogueiro conversou por meia hora com o senador, ocasião em que gravamos entrevista para o programa Cenário Político (segunda a sexta-feira, 18h30, no Canal 10 da TCM).

Agripino reclamou de ter ficado em situação delicada, depois que Micarla declarou apoio à candidatura de Dilma Roussef (PT) à Presidência da República. A queixa do senador é que, antes do entendimento com a petista, a prefeita de Natal havia pedido a intermediação de Agripino para um entendimento com o candidato do PSDB, José Serra.

O senador contou que, à pedido de Micarla, viabilizou um encontro entre Micarla e Serra. Os dois teriam afinado o entendimento de apoio para o segundo turno. A prefeita de Natal, inclusive, se comprometeu a liderar o movimento para que os diretórios do Partido Verde (PV) na região Nordeste oficializassem, em bloco, apoio à candidatura de Serra.

De acordo com Agripino, Micarla de Souza não deu explicações sobre a mudança de posição. "Ela tem o direito de apoiar quem quiser. Mas o que não poderia era ter pedido minha atuação, combinar uma coisa e depois mudar. Eu é que fiquei em situação delicada", reclamou o líder dos Democratas.

Sobre a relação política, daqui pra frente, com Micarla de Souza e seu governo na Prefeitura de Natal, Agripino foi enfático ao afirmar que vai depender de como a prefeita vai conviver com os petistas. "A chance de eu me aproximar do PT é zero. Então depende de como ela vai lidar com seus novos parceiros", condicionou Agripino.

Do Blog de Julierme Torres AQUI.

Nota do Blog - O senador José Agripino não conta na entrevista, mas o Blog do Carlos Santos apurou, que um jatinho learjet chegou a pousar no Aeroporto de Parnamirim e levou Micarla para encontro com José Serra em Brasília.

Ladeada por Agripino, ela assegurou que faria articulação no estado e Nordeste, para tentar atrair outras referências do PV.

Ao voltar a Natal fez tudo ao contrário.

Categoria(s): Sem categoria
sexta-feira - 29/10/2010 - 11:50h

Rural promove hoje “De olho nas Eleições 2010″



A Rádio Rural de Mossoró realiza a segunda edição do programa especial  “De Olho nas Eleições 2010”. É hoje à noite.

Será às 20h.

Terá a mesma dinâmica e formato do programa ocorrido na véspera das eleições no primeiro turno, dia 2 de outubro.

O programa é uma mesa-redonda comandada pelo padre Flávio Augusto Forte Melo, na própria emissora.

Padre Flávio receberá jornalistas, professores, advogados etc  para um bate-papo sobre o pleito, administração pública, Justiça Eleitoral e outros assuntos correlatos.

Nota do Blog - Obrigado pelo convite. Estarei lá.

Categoria(s): Paulo de Tarso Fernandes
  • Repet
sexta-feira - 29/10/2010 - 11:08h

Pensando bem…


"A prisão não são as grades, e a liberdade não é a rua; existem homens presos na rua e livres na prisão. É uma questão de consciência."

Gandhi

Categoria(s): Pensando bem...
sexta-feira - 29/10/2010 - 11:01h

“Ninguém vai salvar o RN sozinho”, alerta padre Flávio


Na homilia que promoveu à tarde dessa quinta (28), em missa pelo aniversário da governadora eleita Rosalba Ciarlini (DEM), o vigário-geral da Diocese, Flávio Augusto, fez uma pregação oportuna.

Diante de uma Catedral de Santa Luzia lotada (veja postagem mais abaixo), ele destacou a expectativa em torno do novo governo.

Admitiu que Rosalba vai precisar de ajuda para governar.

"Ninguém vai salvar o RN sozinho. Precisamos avançar e responder a expectativa", disse.

Categoria(s): Sem categoria
  • Repet
sexta-feira - 29/10/2010 - 10:39h

Micarla, o cavalo de Átila e a crise na Prefeitura do Natal


O escritório da vice-Prefeitura do Natal hoje amanheceu com os telefones cortados.

Depois das unidades de Saúde da rede municpal, agora é a vez da vice-prefeitura, ocupada por Paulinho Freire (PP), também ter a comunicação suspensa.

A inicitiva da Oi/Telemar ocorre devido ao grande débito acumulado nas linhas da Vice-Prefeitura.

Do Blog Panorama Político (Anna Ruth).

Nota do Blog - A passagem da prefeita Micarla de Sousa (PV) pela Prefeitura do Natal lembra a trilha de Átila, o rei dos Hunos, que chegou a impor temor ao Império Romano.

Dizia-se que por onde o cavalo dele pisava não nascia mais vegetação alguma.

Pobre Natal!

Categoria(s): Sem categoria
sexta-feira - 29/10/2010 - 00:39h

A ilusão do rateio do poder no Governo do Estado



Pela quantidade de supostos compromissos da governadora eleita Rosalba Ciarlini (DEM), com pessoas e grupos, ela terá que formar três ou quatros secretariados.

Ou distribuir "pastas" escolares para compensar a falta de espaço para tantos "pré-candidatos".

Ouço cada disparate, que não posso me segurar: só rindo.

- Fulano terá direito a indicar nomes para três secretarias – dizem uns;

- Sicrano vai ficar com cinco secretarias;

- Beltrano não abre mão de apontar o diretor disso e o titular daquilo…

Quanta inocência de quem espalha e maior ainda de quem acredita nesse rateio do poder por parte do líder rosalbista, ex-deputado estadual Carlos Augusto Rosado.

Carlos Augusto não é Garibaldi Filho (PMDB), que em duas gestões como governador loteou o governo, fatiou suas prerrogativas e transferiu responsabilidades.

Anote, por favor.

Categoria(s): Blog
Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.