domingo - 01/01/2017 - 18:20h

O começo mais difícil


Por Carlos Duarte

A ex-governadora Rosalba Ciarlini (PP) assume, hoje, a Prefeitura de Mossoró mergulhada numa crise administrativa-financeira sem precedentes na história recente do município. Terá à frente uma missão dificílima para equilibrar as contas públicas e devolver aos mossoroenses a esperança de dias melhores.

O começo mais difícil de sua vida pública.

O cenário conjuntural da crise nacional agrava a situação e suas ações de gestão e de políticas públicas terão que ser, imprescindivelmente, ágeis e eficazes.

Não há mais tempo a perder com lamentações e busca de culpados para o caos, a exemplo do que fez quando foi governadora do RN. O momento atual exige um outro olhar da gestora – que deve ser focado na solução de problemas com pragmatismos e inovações.

Espera-se que, desta vez, o governo Rosalba Ciarlini esteja com um Planejamento Estratégico bem elaborado e pronto para ser executado, juntamente com um competente Conselho Gestor de Crises.

Se insistir na prática da velha maneira de fazer política e na condução de gestão pública ultrapassada, certamente, sua administração será um fiasco e a população poderá até sentir saudades do ex-prefeito Silveira Junior (PSD) – o que será uma tragédia.

As evidências ainda não apontam para mudanças estruturantes, como a situação exige, mas ainda é muito cedo para conclusões precipitadas e há (pouco) tempo para correções de rumo.

O destino de Mossoró, agora, está entregue ao governo Rosalba Ciarlini e, independentemente, da cor partidária e de convicções políticas todos devemos torcer pelo sucesso da administração, pedindo a Deus que ilumine sua equipe nesse mandato. O mossoroense não merece mais tanto sofrimento.

Boa sorte, Mossoró!

SECOS E MOLHADOS

Câmara – Izabel Montenegro (PMDB) foi eleita e assumiu hoje a presidência da Câmara Municipal de Mossoró. A situação de sucessivos desgastes é sempre resultado de má gestão de presidentes despreparados ou de conchavos políticos, que tornam o poder legislativo de Mossoró uma sala contígua ao Palácio da Resistência. Isso também precisa mudar. É oportuno lembrar que o presidente da CMM é o terceiro na linha sucessória do município. A qualquer momento poderá vir a assumir a prefeitura, por isso, tem que ser uma pessoa preparada e experiente. Tivemos exemplo recente.

Robinson – O governo Robinson Faria vai se instalar em Mossoró, entre os dias 11 a 13 de janeiro. Está preparando uma agenda positiva, mas o verdadeiro objetivo é a formação de um grupo político próprio do governador em Mossoró. Fará uma parceria, apenas, administrativa com a prefeita Rosalba Ciarlini, mas quer remontar seu grupo, liderado diretamente por ele, em Mossoró e região. Está procurando um imóvel para montar um ‘escritório’ de governo.

Robinson: gabinete em Mossoró

Segurança – A segurança no RN, que está muito ruim, poderá piorar ainda mais, em 2017. O orçamento aprovado pela Assembleia Legislativa para a Secretaria de Estado de Segurança Pública é de apenas 0,2%. Isso significa que, mesmo se o orçamento aprovado for totalmente repassado, o valor ainda não cobre a necessidade de custeio – que já é um caos. Além da falta de políticas públicas eficazes, a pasta da Segurança convive com índices baixíssimos de resolutividades de homicídios, recordes de crimes violentos (quase 2.000 assassinatos, em 2016), déficit de contingente de PMs (mais de 4 mil), diárias operacionais insuficientes, entre outras mazelas. Lembrando: A Segurança foi a principal bandeira de campanha do governador Robinson Faria.

Onda – Como uma onda…! No conjunto da obra, esse foi o efeito do governo Francisco José Júnior (PSD), em Mossoró. Chegou majestosa, com crista alta e imponente. Todos se encantaram com o surfista habilidoso que nela singrava. No refluxo, arrastou as esperanças e os sonhos de mudanças positivas. Lamentável. Mas, ele promete voltar na crista de outra onda. Aposta no tsunami que poderá ser o governo Rosalba Ciralini.

Emprego – A locomotiva da geração de emprego no RN, a construção civil, é agora o setor que mais demite. A fruticultura irrigada é o setor que mais contrata e ultrapassa a construção em números de vagas, apesar da sazonalidade, da estiagem, da crise econômica, da alta carga tributária e da falta de investimentos de infraestruturas do Estado.

Desemprego – Historicamente o final de ano é o período em que o desemprego dá uma trégua. Neste foi diferente: o mercado de trabalho mostrou sinais de deterioração e o País alcançou o recorde de 12,132 milhões de desempregados. Por outro lado, a renda média dos que permaneceram empregados mantiveram tendência de queda.

Energia – O consumo de energia elétrica no Brasil caiu 1,2%, em novembro. Isso é a consequência da crise econômica, sem sinais de recuperação da indústria. O “lado bom” é que a partir de janeiro a bandeira tarifária será verde. Isso não acontecia desde janeiro de 2015, quando o sistema de bandeiras tarifárias foi implementado.

* Veja coluna anterior clicando AQUI.

Carlos Duarte é economista, consultor Ambiental e de Negócios, além de ex-editor e diretor do jornal Página Certa

Categoria(s): Artigo

Comentários

  1. Inácio Augusto de Almeida diz:

    “Se insistir na prática da velha maneira de fazer política e na condução de gestão pública ultrapassada, certamente, sua administração será um fiasco e a população poderá até sentir saudades do ex-prefeito Silveira Junior (PSD) – o que será uma tragédia.”
    Pelo nível do secretariado nomeado e pelo empenho na eleição de uma condenada em primeira instância a mais de 5 anos de cadeia por prática de improbidade para presidir o legislativo mossoroense, já começa a se fazer presente uma pontinha de saudade do Francisco. Pelo menos na administração dele a Câmara foi presidida por um vereador que a nada estava condenado por prática de improbidade.
    Se não fizer a entrega do UNIFORME ESCOLAR, deixar falta MERENDA ESCOLAR e TRANSPORTE ESCOLAR a saudade do Francisco começará a se tornar mais presente. Se continuar faltando medicamentos e a insegurança aumentar o povo irá às ruas gritar VOLTA FRANCISCO.
    Que ninguém duvide que isto possa acontecer. Depois da eleição de uma condenada em primeira instância a mais de 5 anos de cadeia a presidente da CMM, com total apoio da que diz amar Mossoró, não é mais possível duvidar de nada nesta cidade tão rica e de um povo empobrecido por administrações, digamos, desastradas. Mossoró é uma cidade onde o impossível acontece.
    ////
    OS RECURSOS SAL GROSSO SERÃO JULGADOS DEPOIS DO RECESSO FORENSE? AGUARDEM!
    AS DENÚNCIAS DO PROCURADOR DA CMM ESTÃO SENDO APURADAS? ESTÃO?

  2. Marcos Pinto. diz:

    A prefeita e o governador são irmãos-gêmeos nos ítens INCOMPETÊNCIA ABSOLUTA e DESFAÇATEZ. Pense numa dupla imbatível como cultores de gestões entregues à rubrica do fiasco e da propaganda enganosa !. Uma lástima, pois.

Faça um Comentário

*


Current day month ye@r *

Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.