• Vale Norte - Nativa Comunicação - 2º Banner - 14-11-17
quarta-feira - 02/07/2008 - 16:22h

“Operação Sal Grosso” (Entrevista)


Titular da 11a Promotoria do Patrimônio Público de Mossoró, o promotor Eduardo Medeiros Cavalcanti garante: no curso da campanha eleitoral deste ano, o MP fará denúncia à Justiça contra vários vereadores.

O procedimento é algo decorrente de investigações denominadas de "Operação Sal Grosso".

O trabalho veio à tona no dia 14 de novembro do ano passado, com mandados de busca e apreensão sendo cumpridos até na sede da Câmara Municipal. Veja abaixo a primeira parte da entrevista que o promotor concedeu com exclusividade ao semanário Jornal Página Certa:

Página Certa – Como andam os trabalhos de investigação da "Operação Sal Grosso"?

Eduardo Medeiros Cavalcanti – Primeiramente, gostaria de esclarecer que os mandados de busca e apreensão, feitos em 14 de novembro de 2007, se devem ao início das investigações – que tiveram como causa os fortes indícios de denúncias de irregularidades, que já vinham sendo rastreadas, nos diversos setores da Câmara Municipal de Mossoró. Depois da apreensão dos documentos, o Ministério Público levou cerca de três meses se defendendo da Câmara e de outras instituições. Nesse ínterim, tivemos que nos dedicar também à compilação de dados e informações, copiando documento e arquivos de computadores (42 CPUs) para devolução dos mesmos, o mais rapidamente possível, com o intuito de não atrapalhar a rotina da Câmara.

JPC – Quando começou efetivamente a investigação?

EMC – As análises dos documentos só tiveram início a partir do final do mês de fevereiro deste ano, quando conseguimos reunir uma equipe de profissionais qualificados para dar início ao trabalho pericial e cruzamento de informações. É importante ressaltar que a Operação Sal Grosso é muito mais complexa do que as recentes operações Impacto (que apura fraudes na Câmara de Natal) e Hígia (que investiga crimes de licitações fraudulentas em setores do governo do Estado). Isso porque a Câmara de Mossoró tem vícios que remontam décadas.

JPC – Qual o período que está sendo investigado?

EMC – Estamos fazendo um levantamento minucioso de tudo o que aconteceu na Câmara nos exercícios de 2005, 2006 e 2007, que vão desde análise de extratos bancários, folhas de pagamentos, compras e contratações de serviços, licitações, dentre outros procedimentos administrativos não menos importantes. Para isso é necessário um corpo técnico de profissionais especializados, que está trabalhando em ritmo acelerado, inclusive, aos sábados.

JPC – A investigação vai ficar restrita apenas a esses exercícios?

EMC – Não. Essa é a primeira etapa que estamos perto de concluir. A investigação não se limita apenas a esse período que está sendo investigado. Com certeza, numa segunda fase a investigação deverá retroagir a exercícios anteriores e posteriores, como é o caso do atual exercício de 2008.

Aguarde. Em poucos minutos vou postar a segunda parte da entrevista.

Categoria(s): Entrevista/Conversando com...

Faça um Comentário

*


Current day month ye@r *

Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.