• Vale Norte - Nativa Comunicação - 2º Banner - 20-09-17
quarta-feira - 06/09/2017 - 19:10h
Odebrecht

Palocci afirma que Lula acertou propina de R$ 300 milhões

Ex-ministro prestou depoimento ao juiz Sérgio Moro e disse ser o 'Italiano' das planilhas da propina

O Estado de São Paulo

O ex-ministro Antonio Palocci (fazenda/Casa Civil – Governos Lula e Dilma) incriminou o ex-presidente Lula em ação sobre propinas da Odebrecht. Palocci prestou depoimento nesta quarta-feira, 6, perante o juiz federal Sérgio Moro, em Curitiba, base da Operação Lava Jato.

Ex-presidente Lula é o centro dos relatos de Palocci, homem de peso do PT em seu governo (Foto: Gabriela Biló/Estadão)

Palocci confessou ter praticados crimes na Petrobrás. Ouvido como réu em um processo criminal da Operação Lava Jato, o petista citou R$ 300 milhões da Odebrecht para o esquema do partido.

Nesta ação, Lula é acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro sobre contratos entre a Odebrecht e a Petrobrás.

“No jantar ocorrido no apartamento do presidente Lula, em que participaram todas essas pessoas, o ex-ministro Palocci os convenceu e os dissuadiu no sentido de que essa operação era escandalosa e que poderia expor demais essa situação. Ficou clara toda a participação do ex-presidente Lula”, afirmou o advogado Adriano Bretas, que defende Palocci.

Palocci, que seria o responsável pela conta do PT e de Lula com a Odebrecht, confessou o esquema e citou reuniões com o ex-presidente.

Identificado como “Italiano” na planilha do setor de propinas da Odebrecht, Palocci confessou pela primeira vez seus crimes diante do juiz da Lava Jato. A conta do PT teria alcançado R$ 300 milhões.

Lula, que era identificado como “Amigo”, teve a reserva de R$ 40 milhões.

Palocci narrou a Moro que houve um acerto entre Odebrecht e o governo Lula, para prática de atos de ofício que beneficiassem a empresa, em troca de propinas. O ex-minsitro narra dois encontros que incriminam Lula. Um deles com o empresário Emílio Odebrecht, em que foi acertado um “pacote de vantagens indevidas”, tanto de negócios para empresa como valores para o partido, segundo relatou outro advogado do ex-ministro Tracy Reinaldet.

Um encontro foi durante a troca de governo, com a eleição da ex-presidente Dilma Rousseff. Segundo ele, havia preocupação da Odebrecht de que a nova presidente não trata-se o grupo com os mesmos privilégios.

“Para comprar a boa vontade do novo governo, sobretudo a partir da influência do ex-presidente Lula na presidente Dilma, a empresa Odebrecht por intermédio de Emílio Odebrecht, propõe ao presidente Lula um pacote de vantagens indevidas: composto pela compra do terreno do Instituto Lula, pela compra do sítio em Atibaia e pela disponibilização de R$ 300 milhões de vantagens indevidas para utilização em campanhas ou para fins partidários ou pessoais. Para manter essa relação fluida entre a empresa Odebrecht e o governo do PT.”

A defesa de Lula

O advogado Cristiano Zanin Martins, defensor do ex-presidente Lula, declarou em nota:

Palocci muda depoimento em busca de delação. O depoimento de Palocci é contraditório com outros depoimentos de testemunhas, réus, delatores da Odebrecht e com as provas apresentadas.

Preso e sob pressão, Palocci negocia com o MP acordo de delação que exige que se justifiquem acusações falsas e sem provas contra Lula.

Como Léo Pinheiro e Delcídio, Palocci repete papel de validar, sem provas, as acusações do MP para obter redução de pena.

Palocci compareceu ato pronto para emitir frases e expressões de efeito, como “pacto de sangue”, esta última anotada em papéis por ele usados na audiência.

Após cumprirem este papel, delações informais de Delcídio e Léo Pinheiro foram desacreditadas, inclusive pelo MP.

Saiba mais detalhes clicando AQUI.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política

Comentários

  1. François silvestre diz:

    Quantos partidos teve Palloci? Só o PT. Por qual partido esse crápula foi prefeito, ministro, deputado? Foi tudo. Após a queda do Dirceu, ele virou o segundo na cúpula do mando. Lula e Dilma vendiam Palloci como auxiliar imprescindível. Ele podia tudo. Aliado “in pectoris”, “primus inter pares”. Espera-se que a militância não abuse da nossa burrice culpando outros pelo caráter e comportamento de Palloci. Palloci é filho uterino do PT. O resto é peneira no “pingo da mei dia”.

  2. Elves Alves diz:

    Lula “fudeu o psicológico” da petralhada miúda.

  3. João Claudio diz:

    Se a dinheirama suja recebida através de propinas era para a abastecer o PT e os políticos em atividades em troca de ”favores” presidenciais e ministeriais, eu pergunto:

    Quem é o politico honesto do PT?????? Qual o nome dele?

    Mais: a peneira do PT não deixa o Sol passar, porque está abarrotada de ladrões. A dita cuja faz sombra até no “pingo da mei dia”.

    O dois ex presidentes meteram a mão sem pena e a mundiça subalterna seguiu junto. Isso É fato IN-DIS-CU-TÍ-VEL.

    A casa caiu.

    João Claudio acertou TODAS. Só errou a data. A Era da Canalhice não começou em 2003 como eu costumava escrever aqui. O desmantelo começou em 2002, antes mesmo da Besta Barbuda assumir a presidência.

    Quem corrigiu o meu erro foi o bandido Palocci, braço direito da ”Ladrão Mor”, ou, chefe da quadrilha, ou, chefe da maior organização criminosa da história do brasil, se assim preferirem.

    SEGUNDA INSTÂNCIA JÁ.

    CADEIA JÁ.

Faça um Comentário

*


Current day month ye@r *

Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.