segunda-feira - 22/02/2016 - 16:22h
Idema

Pivô de desvio milionário aponta deputado como envolvido


Do portal Noar

O ex-diretor administrativo do Idema, Gutson Johnson Reinaldo, pivô do escândalo da Operação Candeeiro, afirmou em depoimento nesta segunda-feira (22) que 60% dos recursos desviados do Idema foram destinados ao deputado estadual Ricardo Motta. O Ministério Público, contudo, indica que não há participação do parlamentar, razão pela qual tem resistido em aceitar a delação premiada de Gutson. Em nota, Ricardo Motta negou as acusações e afirmou que tomará “as medidas cabíveis para que este absurdo não fique impune”.

Na 6ª Vara Criminal de Natal, Gutson afirmou que os desvios começaram em 2012. Segundo seu depoimento, a ideia partiu do próprio deputado Ricardo Motta, que teria lhe indicado para o cargo e lhe pressionava para honrar despesas de campanha de 2010 e 2012.

Gutson apresentou declarações que não são confirmadas pelo MP até o momento (Foto: Noar)

Segundo o Ministério Público, através de esquema simulado de pagamentos fraudados, foram desviados do Idema R$ 19 milhões em janeiro de 2013 e novembro de 2014. Um dos réus da ação penal, Clebson Bezerril, ex-diretor financeiro, declarou, todavia, que os desvios começaram antes do período delimitado e alcançam R$ 30 milhões.

Ao depor nesta segunda, Gutson confirmou que os desvios teriam começado antes do período investigado pelo Ministério Público. Segundo ele explicou, já em 2012, ele foi pressionado a ampliar os desvios fazer frente despesas da campanha eleitoral daquele ano.

De acordo com réu confesso, o resto do dinheiro era rateado entre os demais participantes do esquema criminoso. Ele afirmou que ficava com 20%, e outros 20% eram divididos entre os outros integrantes do esquema.

MP contesta

Para o promotor Paulo Batista Lopes, a versão de Gutson é frágil. Segundo ele declarou em entrevista, durante toda a investigação, o nome do deputado Ricardo Motta não apareceu em nenhum momento, não havendo indicativo de que ele tenha se beneficiado dos desvios.

“Na verdade, isso tem que ser avaliado à luz do que se tem para provar. A pessoa pode falar o que quiser, mas precisa provar. O fato é que em toda a investigação, o nome do deputado Ricardo Motta não aparece em nenhum momento, tampouco nas quebras de sigilo telemático e bancário”, declarou o promotor.

Segundo o membro do Ministério Público, é preciso que haja uma triagem das informações para que seja checado se o que está sendo dito procede. “Isso que está no processo, até o momento, não dá suporte à tese de Gutson. Ele diz que tem coisas a entregar. Quando o MP receber isso, se ele tiver interesse, teremos que fazer um cotejo dessas provas para saber se há possibilidade de êxito em uma ação penal contra o deputado que ele diz ter participado”, reforçou o promotor.

Lopes contestou ainda frontalmente a versão de Gutston segundo a qual o deputado Ricardo Motta foi quem idealizou o esquema de desvios. “O que tem que ficar claro é que, para os promotores do Patrimônio Público, o mentor do esquema é o senhor Gutson, que precisava da participação de pessoas com conhecimentos técnicos”.

Veja também AQUI.

* Ricardo Motta emite nota contestando declarações de Gutson. Veja na próxima postagem.

Categoria(s): Justiça/Direito/Ministério Público

Comentários

  1. João Claudio diz:

    Já emitiu aquela famosa ”notinha” dizendo que é a segunda alma mais honesta do país.

    Todos começam da mesma forma, emitindo rapidamente a tradicional ”notinha”, como se os juízes fossem otários, e o povo um bando de Zé Mané.

    Alguém surpreso? Acredito que não!

    Foram roubados mais de 30 milhões. Tem mais deputados, ou senão todos, na ”jogada”. Afinal, 60% era para eles.

    Aguardem o desenrolar do jogo que apenas começou.

    • Inácio Augusto de Almeida diz:

      Não vejo nenhum motivo para preocupação por parte de nenhum dos citados no depoimento.
      Se forem indiciados, se forem julgados, se forem condenados; basta recorrer.
      E recorrendo poderão continuar exercendo seus mandatos.
      Como os recursos demoram a ser julgados ninguém se surpreenda se forem beneficiados com a famigerada prescrição. Ou não é assim que acontece com os recursos SAL GROSSO que há anos esperam por julgamento e os condenados em breve serão agraciados com a prescrição?
      É por isto que eu digo:
      NÃO ADIANTA PROTESTAR COMO UM LEÃO E DEPOIS VOTAR COMO UM JUMENTO.
      PROTESTAR COMO UM LEÃO É CLAMAR CONTRA A CORRUPÇÃO.
      VOTAR COMO UM JUMENTO É VOTAR EM CORRUPTO.
      Somente nós, atraves do voto, conseguiremos tirar os corruptos da vida pública.
      As leis frouxas protegem demais os que cometem improbidade administrativa.
      /////
      O TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO RN JULGARÁ SAL GROSSO ANTES DAS ELEIÇÕES?
      SE SAL GROSSO PRESCREVER COMO DIZER AOS MEUS FILHOS QUE O CRIME NÃO COMPENSA?

  2. Francy Granjeiro diz:

    E é o pai que responde pelo filho?

Trackbacks

  1. [...] contra o deputado estadual Ricardo Motta, por Gutson Johnson Giovany Reinaldo Bezerra (veja AQUI), principal acusado de comandar desvios de recursos no Instituto de Desenvolvimento Sustentável e [...]

Faça um Comentário

*


Current day month ye@r *

Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.