• Vale Norte - Nativa Comunicação - 2º Banner - 14-11-17
sexta-feira - 10/11/2017 - 11:18h
Operação Vulcano

Réus são beneficiados por pecados primários da acusação


A sentença do juiz da Cláudio Mendes Júnior, titular da 3ª Vara Criminal de Mossoró, no caso da “Operação Vulcano” (veja postagem mais abaixo ou clicando AQUI), traz um aspecto particularmente curioso e preocupante.

Muito curioso e preocupante, que se diga.

O magistrado inocentou a ex-prefeita Fafá Rosado (DEM, hoje no PMDB), seu irmão Gustavo Rosado (ex-chefe de Gabinete e prefeito de fato) e mais outras cinco pessoas, ao identificar “inépcia da inicial por ausência de individualização da conduta e de justa causa, além de excesso de prazo para início da ação penal.”

Enfim, acatou a tese da defesa.

Simplificando, o Ministério Público do RN (MPRN), órgão acusador, teria cometido pecados primários em sua peça, que favoreceram os dois réus e outros envolvidos. Daí a “absolvição sumária”.

Nada a comentar.

* Glossário Jurídico: Inépcia – Característica da petição inicial, denúncia ou queixa que, por não atender às exigências legais ou por ser contraditória, é rejeitada pelo juiz, não produzindo os efeitos previstos

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Justiça/Direito/Ministério Público / Política

Comentários

  1. Vicente diz:

    Se não individualizou as condutas é porque provavelmente não tinham provas para tal.

  2. João Claudio diz:

    Apenas duas pessoas sabiam que o resultado final seria esse: Deus e mundo.

  3. François Silvestre diz:

    Já disse isso há muito tempo. No afã dos holofotes, não se cogita de indícios que levem a provas e suas consequências. E os “investigadores” primários, holofoteiros, se bastam ao retumbar da mídia. Nisso, salvam-se os inocentes, depois da honra enlameada. E se livram os culpados, por conta da denúncia insalubre. Esse é o mal do Estado policial. Carlos, num dos processos movidos contra mim, em cujos venci todos, quase vinte, o Juiz diz textualmente: “Apesar do esforço hercúleo do Ministério Público, não há, nos autos, indícios, provas documentais ou testemunhais que incriminem o acusado ou produzam dúvidas sobre os atos praticados por”…E aí cita meu nome. É esse “esforço hercúleo” e incompetente que produz violência à hona e impunidade à culpa.

  4. François Silvestre diz:

    Corrija por favor: no final, “violência à honra”, em vez de hona. Brigadão.

  5. Honório de Medeiros diz:

    Preocupante, mesmo. Muito preocupante.

Faça um Comentário

*


Current day month ye@r *

Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.