sábado - 25/11/2017 - 10:16h
Em campanha...

Robinson Faria promete atualizar folha do funcionalismo


Promessa é dívida. Em 2014, em plena campanha ao governo estadual, o então vice-governador Robinson Faria (PSD) prometeu:

- Robinson, de mãos dadas, com o servidor público do nosso estado!

A âncora do seu programa eleitoral na TV adiantou seu compromisso:

- Robinson vai atualizar e cumprir rigorosamente o calendário de pagamento de todo o funcionalismo!

O resto da história você conhece.

Eleito ao governo, substituindo Rosalba Ciarlini (PP), ele se esmera em superá-la.

Em 2018, novamente deveremos ter candidatos prometendo coisa do gênero. Prepare-se para ser enganado.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI e o Instagram clicando AQUI.

Categoria(s): Política / Só Pra Contrariar
terça-feira - 24/10/2017 - 09:28h
Sem destino

RN caminha para outra “eleição por exclusão”


Caminhamos para outra eleição estadual “por exclusão”, como ocorreu em 2014.

O eleitor disse nas urnas que não queria Henrique Alves (PMDB) como governador.

Excluiu-o votando em Robinson Faria (PSD).

Para 2018, o cenário nebuloso que se forma tem o mesmo formato, tamanhã a esqualidez de nomes, ausência de espírito público e inexistência de propostas palpáveis.

Pobre RN Sem Sorte!

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política / Só Pra Contrariar
  • Lion, Moda Masculina, de João Paulo Araújo - 11-08-15
quarta-feira - 30/08/2017 - 12:24h
Fred Queiroz

Delator cita prefeitos e ex-prefeitos que receberam dinheiro


Por Dinarte Assunção (Portal Noar)

Na colaboração que celebrou com o Ministério Público Federal e o Ministério Público do Rio Grande do Norte, o empresário Fred Queiroz relacionou o nome de algumas lideranças que teriam recebido valores como forma de garantir apoio político à campanha ao Governo do Estado de Henrique Eduardo Alves (PMDB), em 2014.

Fred: dinheiro (Foto: arquivo)

De acordo com o relato, transferências bancárias foram feitas da conta das empresa Prátika Locações para as seguintes lideranças, no segundo turno da eleição de 2014:

Fabinho (ex-prefeito de Jandaíra);

Zeca Pantaleão (ex-prefeito de Carnaúba dos Dantas);

Flávio Azevedo (ex-prefeito de Nova Cruz);

Nilton Figueiredo (ex-prefeito de Pau dos Ferros);

Klaus Rego (ex-prefeito de Extremox);

Ivete Matias (prefeita de Brejinho);

Ivan Júnior (ex-prefeito de Assu);

Flávio Veras (ex-prefeito de Macau);

Osivan Queiroz (ex-prefeito de Lagoa Salgada);

Amaro Saturnino (ex-prefeito de Maxaranguape);

Aníbal (ex-prefeito de São João do Sabugi);

Felipe Muller (ex-porefeito de Caiçara do Rio do Vento)

Severino (ex-prefeito de Monte Alegre).

De acordo com Fred, as tratativas com essas lideranças eram feitas diretamente por Benes Leocádio, um dos coordenadores da campanha.

Os valores que tais pessoas teriam recebido não foram detalhados. Por ter informado que elas se beneficiaram a partir de transferências bancárias, Fred precisa dispor dos comprovantes de transferência para confirmar o que diz.

A reportagem tenta contato com os citados.

Leia também: Fred Queiroz detalha compra de apoios para Henrique Alves AQUI.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
quarta-feira - 28/06/2017 - 08:24h
Assembleia Legislativa

“Major Fernandes” é suplente pronto para substituir Dison


Se o líder do governismo na Assembleia Legislativa, deputado Dison Lisboa (PSD), for afastado do cargo pela Justiça, o tenente-coronel André Fernandes (da Polícia Militar), candidato a deputado estadual em 2014 com o nome político de “Major Fernandes”, pode substitui-lo.

Fernandes: na fila (Foto: arquivo)

Nascido no Rio de Janeiro (RJ), André Luis Fernandes da Fonseca (PSC), 43, o “Major Fernandes”, teve 25.006 votos em 2014 na Coligação Liderados pelo Povo III, inscrito no PSD do então candidato ao governo Robinson Faria.

Amazan

Se Dison chegar a ser afastado do cargo (veja AQUI), ele poderá ser convocado por ser o primeiro suplente. Mas podem existir controvérsias.

Há hipótese de ter questionamento à sua ascensão, se o PSD assim o desejar, bem como o segundo suplente Amazan Silva (PSD), atual prefeito de Jardim do Seridó.

Mas é pouco provável que isso aconteça, justamente pelo interesse do partido do governador em ter Fernandes na Casa, se for insanável o banimento de Dison, ex-prefeito de Goianinha, município da Grande Natal.

Provocação

Que fique claro: o mandato é do partido. Existe a extinção da coligação após as eleições, mas os efeitos dela decorrentes permanecem, a exemplo dos eleitos e os suplentes.

Tendo impedimento legal para o 1° suplente da coligação assumir, o 2° suplente assumirá e assim sucessivamente.

No caso da mudança de partido, a perda do mandato deve ser declarada, pela Justiça, mediante provocação. Eis a questão.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
  • Lion, Moda Masculina, de João Paulo Araújo - 11-08-15
sábado - 20/05/2017 - 17:40h
Ricardo Saud

Delator da JBS detalha e documenta propina para Henrique


Delator Ricardo Saud, executivo do grupo JBS, afirmou em seu depoimento que o então deputado federal e disputante ao Governo do RN em 2014, Henrique Alves (PMDB), recebeu R$ 3 milhões à campanha.

Deixou claro, que era “propina dissimulada em forma de doação oficial”.

Ele deu detalhes quanto ao repasse, entregando documentos que detalhariam esse fluxo financeiro. Além disso, ofereceu-se para qualquer necessidade de acareação com pessoas citadas, para confirmar as informações.

O outro lado

Escritório de advocacia que defende Henrique Alves emitiu nota contestando conteúdo da delação. Asseverou que toda a movimentação financeira foi amparada legalmente e atestada como lícita pela Justiça Eleitoral.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
quarta-feira - 28/12/2016 - 10:27h
Francisco José Júnior

Prefeito se diz enganado por Galeno Torquato e Robinson


“Da mesma forma que a população foi enganada, eu também fui”.

A frase acima foi propagada agora há pouco mais de meia hora pelo prefeito mossoroense Francisco José Júnior (PSD), em entrevista a Rádio Difusora de Mossoró.

Galeno, Francisco e Robinson: três homens e a distância de Mossoró (Foto: arquivo)

Ele referiu-se ao deputado estadual Galeno Torquato (PSD) e ao governador Robinson Faria (PSD), a quem apoiou ostensivamente nas eleições de 2014.

Nota do Blog – E o que dirá o povo mossoroense sobre o próprio “Francisco”?

Os dois citados não andam na cidade para uma simples olhadela há vários meses e o ainda prefeito está prestes a debandar.

Pobre Mossoró!

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
  • Repet
domingo - 09/10/2016 - 16:12h
Revelação

Robinson afirma que apoiou nome de Rosalba em Mossoró

Governador diz que faltou "humildade" a "Francisco" e seu interesse era aliança com ex-governadora

A decisão do prefeito mossoroense Francisco José Júnior (PSD), o “Francisco”, de ser candidato à reeleição este ano não tinha e não teve o endosso do governador Robinson Faria (PSD), seu líder político. A preferência de Robinson foi a ex-governadora Rosalba Ciarlini (PP), vencedora do pleito no domingo (2) passado.

Ele chegou até mesmo a estimular o voto nela, em contatos com eleitores e liderados em Mossoró, contrariando o projeto pessoal de Francisco, que em sua ótica não teve humildade, pois “as pesquisas mostravam que ele não tinha nenhuma chance de reeleição.”

Robinson fez essas confissões e revelou outros detalhes de bastidores relativos à sucessão municipal 2016, no programa “Diógenes Dantas Entrevista” (veja boxe acima, a partir dos 20 minutos de gravação), exibido hoje pela TV Tropical, afiliada da Rede Record de Televisão.

Robinson afirmou que após se reunir em Natal com o prefeito no período da pré-campanha (sem precisar o tempo), “ele tomou uma posição em Mossoró sem me consultar. Sem consultar o governador. Apoiou o candidato Tião da Prest (Tião Couto-PSDB), levou o PSD, sem consultar o governador. Então eu não tenho motivo de ir a Mossoró” (sic).

O governador deixou claro que se desembarcasse na cidade não seria para defender a candidatura do prefeito do seu partido, mas para “apoiar o nome de Rosalba. Rosalba era o nome que eu desejaria que o PSD apoiasse em Mossoró”.

Conversas com Carlos Augusto

Informou que chegou a conversar com várias vezes com o líder do rosalbismo (Carlos Augusto Rosado), marido de Rosalba, e adiantar para “alguns amigos meus: você vote em Rosalba.”

Sobre as relações político-administrativas, com eleitos em outubro deste ano, deixou patente que não adotará seletividade com base em afinidades partidárias ou não. “Eu sou o governador de todos os partidos, tenho que governar com as cidades”.

Disse que já telefonou para Carlos Eduardo Alves (PDT), vislumbrando uma parceria administrativa necessária e importante para a capital entre Prefeitura e Estado.

As relações com o prefeito mossoroense que está nos últimos meses de gestão, é que parecem esgarçadas. ”Eu disse a ele, aqui, que o nome dele não tinha nenhuma viabilidade para reeleição”, destacou o governador, relembrando reunião no primeiro semestre do ano, com Francisco.

- Falei que ele pensasse, tivesse humildade, que as pesquisas mostravam que ele não tinha nenhuma chance de reeleição. E depois ele desapareceu, lançou-se candidato, sem conversar comigo (…), botou o bloco nas ruas – disse a Diógenes Dantas.

Rosalba cumprimenta o sucessor Robinson pela vitória, no dia 31 de outubro de 2014, ao lado do marido Carlos (Foto: arquivo)

Amélia Ciarlini

O que Robinson Faria parece não ter digerido mais ainda nesse enredo da sucessão mossoroense, conforme expôs na entrevista, foi a forma como o prefeito e sua mulher Amélia Ciarlini tentaram satanizá-lo, num episódio burlesco (veja AQUI e AQUI):

- Ele foi para as redes sociais com a primeira-dama, querer questionar o governador, querer cobrar uma conta que não era minha. Além de renunciar a candidatura, teve aquela questão de sua esposa, da rede social que eu nem respondi, nem ia responder – isolou.

Quem terminou se envolvendo na polêmica à ocasião foi a primeira-dama do Estado, Juliane Faria (veja AQUI), que tratou Amélia como farsante, precipitando dias depois a desistência da candidatura do próprio Francisco José Júnior  (veja AQUI).

Robinson e Rosalba foram eleitos governador e vice em 2010, após ele romper com o grupo da então governadora Wilma de Faria (PSB), insatisfeito com inclinação dela a apoio à sua própria sucessão, ao vice-governador Iberê Ferreira (PSB).

Com menos de um ano de mandato, ele rompeu com Rosalba e começou a pavimentar caminho à sua sucessão em 2014. Foi eleito e Rosalba sequer conseguiu se viabilizar à reeleição, devido estrondosa reprovação popular.

Rosalba e Robinson estão ‘juntos’

Nesse espaço de tempo, os dois não chegaram a alimentar um fosso político entre si. Muito pelo contrário. Em 2014, Rosalba orientou seu eleitorado a votar em Robinson em Mossoró, na disputa ao Governo do Estado entre ele e Henrique Alves (PMDB), seu ex-aliado.

Meses antes, fizera o mesmo na eleição suplementar à Prefeitura de Mossoró: insuflou seus eleitores a descarregarem votos em Francisco José Júnior, para frustrar possibilidade de vitória da adversária (hoje aliada) e então deputada estadual Larissa Rosado (PSB).

Ainda em 2014, a transição de governo foi pacífica e alimentada por interesses de parte a parte. Robinson não criou dificuldades para que Rosalba aprovasse matéria para uso do Fundo Previdenciário do Estado (FUNFIR), para completar folha de pessoal. Ela sabia que precisaria pegar quadro menos dramático em relação aos servidores.

Robinson também deu sinal verde para que Rosalba nomeasse a sua secretária de Infra-estrutura, engenheira Kátia Pinto, como diretora Agência Reguladora de Serviços Públicos do Rio Grande do Norte (ARSEP), em dezembro de 2014. O cargo tem mandato de quatro anos, dentro justamente da administração do seu sucessor.

Vale ser anotado, que além de Kátia Pinto, a professora Isaura Amélia (cunhada da ex-governadora) é titular da Fundação José Augusto (FJA), órgão da cultura do Estado.

Um vice para Rosalba

O PP, partido controlado no RN pelo ex-deputado federal Betinho Rosado, cunhado de Rosalba, é da base aliada do governador.

Na campanha municipal, o marketing de Rosalba poupou a gestão de Robinson e procurou exaltar a passagem dela pela prefeitura em três mandatos, num contraponto com a administração de Francisco José Júnior.

Em Natal, o Blog ouviu ainda no final do primeiro semestre deste ano, em várias oportunidades, que o Governo alimentava hipótese de indicar um vice de Rosalba, mas sem influência direta ou indireta do prefeito Francisco José.

Sua entrevista de hoje confirma o que era notícia corrente entre auxiliares próximios de Robinson, que ele não acreditava em candidatura à reeleição do prefeito. Não estimulava essa aventura e teve que engolir o delírio do aliado, que realmente não teve humildade.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Eleições 2016 / Política / Reportagem Especial
quarta-feira - 24/02/2016 - 09:02h
Albert Dickson

Deputado estadual vai ser candidato a prefeito do Natal


Dickson: segundo mais votado (Foto: arquivo)

O deputado estadual e recém-empossado como dirigente do Pros no estado, Albert Dickson, é pré-candidato a prefeito do Natal.

Está decidido.

Evangélico da denominação Assembleia de Deus, Dickson já conversou sobre o assunto com o pastor Martim Alves. Cientificou-o de sua vontade e argumentou sobre importância da postulação.

Alves é presidente da Assembleia de Deus no estado. Se depender dele e da Igreja, Dickson pode cair em campo à viabilização da candidatura.

Albert Dickson teve quase 20.296 votos só em Natal na eleição de 2014, sendo 37.461 votos em todo o estado, Foi o segundo mais votado em Natal, ficando atrás apenas de Fernando Mineiro do PT.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter com notas em primeira mão clicando AQUI.

Categoria(s): Política
segunda-feira - 08/02/2016 - 08:50h

Lampedusa e tecnocracia


Por François Silvestre

Na Secretaria de Estado do Planejamento fui bem recebido e municiado com uma vasta explicação sobre o programa de implantação de uma prática estratégica de governabilidade. O Secretário e sua equipe têm uma visão de metas que aponta para resultados futuros.

Não cabe aqui avaliar a procedência do esperado. É coisa do futuro.

E a motivação deste texto não cuida dessa avaliação. Nasce ele de uma frase que ouvi do Secretário. “Foi o discurso prometendo um governo técnico que ganhou a eleição”.

Ouvi calado para cumprir uma regra da hospitalidade sertaneja. Quando o dono da casa pede a opinião do visitante, acata a resposta mesmo que dela discorde. Porém, quando a opinião é expressa pelo dono da casa o visitante há de retribuir com a mesma gentileza.

Silenciei, cumprindo a regra não escrita da terra e da gente de onde venho. Deste sertão profundo, cujos galhos da jitirana, ora enfronhados, refazem meus olhos de infância.

Incomodou-me o gentil silêncio. Por quê? Porque o interesse histórico, que é também interesse público, obriga-me a questionar o que me parece retórica do entusiasmo. Ainda mais tratando-se da história política daqui. Dessa terra que carrego no matulão para qualquer lugar aonde me leve o destino de retirante.

Não, meu caro, não foi esse discurso que elegeu Robinson. Foi um conjunto de fatores tão marcadamente convergentes, que o discurso fica na rabeira da fila.

Nenhuma gestão técnica conseguiu salvar qualquer nação na hora da crise ou da guerra. Estamos numa crise, quase guerra, que clama por soluções políticas.

Em matéria de administração ou gestão pública, a técnica há de ser linha auxiliar da política. A intromissão técnica emparedou o sonho de Cortez Pereira.

A vitória de Robinson nada deve à retórica. Foi a rejeição popular ao fantástico acerto de cúpula que ignorou completamente a memória coletiva. Desmentindo outra falácia técnica, de que o povo não tem memória.

O povo cuida das suas necessidades. Pouco importando a retórica, mesmo gostando de discurso bonito.

Um candidato sem máculas, simples, de comunicação fácil, contra um agrupamento de “aliados” que durante três décadas trocaram acusações e insultos. O povo reprovou o ajuntamento “heterogêneo”. Juntos e arrogantes.

A insatisfação popular votou contra aquela “amizade” de última hora. De “inimigos” longevos. A arrogância da vitória antecipada. Robinson soube aproveitar, rejeitando vantagens. Dizer que o tempo é outro é o mesmo que informar o frio do gelo.

Mudança é a mais prostituída palavra de cada governo. Na hora da disputa do voto, os técnicos são dispensáveis. E a mudança decantada é a de “que tudo mude pra que fique tudo do mesmo jeito”.

Da lição de Lampedusa. Il Gattopardo.

Té mais.

François Silvestre é escritor

Categoria(s): Artigo
domingo - 14/12/2014 - 09:26h
TRE

Convites para diplomação provocam insatisfação


A diplomação dos eleitos e suplentes, nas eleições deste ano  no Rio Grande do Norte, provoca uma insatisfação comum: o quantitativo de convite para familiares, amigos e correligionários.

Apenas dez convites por diplomados.

Vale lembrar que o evento é um ato de responsabilidade do Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

Está marcado para o próximo dia 18, quinta-feira, no Centro de Convenções de Natal.

Começará às 17h.

Categoria(s): Política
  • Repet
sexta-feira - 12/12/2014 - 22:07h
TSE

Deputado ‘Souza’ tem parecer no TSE que confirma sua eleição


O deputado estadual eleito Manoel Cunha Neto (PHS), o “Souza”, tem mais um motivo para comemorar o ano de 2014. Outra ótima notícia que chega.

Souza: mais uma vitória (Foto: TCM)

Hoje (sexta-feira, 12), parecer do vice-procurador geral eleitoral, Eugênio José Guilherme Araújo, endossa Recurso Especial Eleitoral (RESPE) interposto por ele, sacramentando mais ainda sua ascensão à Assembleia Legislativa.

O parecer de Eugênio José foi publicado na página da Procuradoria Geral Eleitoral (PGE), junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) às 12h06.

Desconstrói o acórdão (decisão de colegiado) do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), que chegou a cassar e afastar prefeita e vice de Areia Branca, respectivamente Luana Bruno (PMDB) e Lidiane Garcia (PSB), arrastando o próprio Souza à condição de inelegibilidade.

No TSE, Souza derrubou a decisão do TRE em decisão monocrática e agora ratifica tendência com o parecer da PGE.

Em seu arrazoado, o vice-procurador geral eleitoral considera inconsistente a tentativa de imputar a Souza, então prefeito de Areia Branca em 2012, uso de artifícios administrativos e de mídia, para favorecimento das candidatas eleitas Luana e Lidiane.

Inocentes

“(…) Inexistindo, a partir de matéria fática delineada no acórdão recorrido, ilícitos eleitorais a sustentar as sanções então aplicadas (cassação de diploma das recorrentes e multa; multas para os recorrentes), impõe-se o provimento dos recursos especiais interpostos, com o reconhecimento das violações demonstradas e consequentemente reforma o r. julgado impugnado”,  assinala o parecer.

Em síntese, o PGE não viu abuso de poder econômico, político ou dos meios de comunicação com deduzido pelo TRE.

Inocenta a prefeita e sua vice, além de Souza. Quem também é beneficiado é o médico e ex-prefeito Bruno Filho (PMDB), pai da prefeita eleita.

Ele e Souza tinham sido condenados ao pagamento de multa pecuniária (R$ 10 mil, cada um) e à inelegibilidade.

Vale ser assinalado que essa demanda, que partiu de uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE), já tinha sido considerada improcedente pelo juízo em primeira instância. O TRE é que reformou a decisão, vista em Brasília como equivocada.

O processo no TSE tem o ministro João Otávio Noronha como relator.

Categoria(s): Justiça/Direito/Ministério Público
quarta-feira - 05/11/2014 - 20:36h
Pós-eleições

PSDB busca base social e preocupa o PT


Do Blog Poder Online

Há na cúpula do PT uma preocupação com a estratégia desenhada no PSDB de construir uma base social e fortalecer sua militância. Os petistas sempre se orgulharam de ter o que chamam de “militância orgânica”. E criticavam os tucanos, alegando que a base social do partido de oposição era “artificial”.

O que os petistas perceberam na última eleição é que o PSDB procurou agir para mudar esse cenário. E tem dado sinais de que está sendo bem-sucedido na estratégia, principalmente no que se refere à mobilização por meio das redes sociais.

Os petistas entendem ainda que o PSDB conseguiu avançar bem mais que o esperado em algumas camadas da sociedade, em especial em setores da classe média.

A partir dessa conclusão, o PT decidiu que vai intensificar a mobilização de sua própria militância no segundo governo Dilma. A ideia é buscar temas capazes de ativar a base do partido. É o caso do discurso em defesa da reforma política, ou ainda a discussão sobre participação social no governo.

Categoria(s): Política
terça-feira - 04/11/2014 - 21:34h
Agora à noite

TSE não aceita pedido de auditoria nas eleições 2014


Do portal UOL

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) negou hoje (4)  pedido do PSDB para a criação de uma comissão a fim de auditar o resultado das eleições presidenciais. O tribunal, no entanto, autorizou o partido a ter acesso aos arquivos eletrônicos e demais documentos referentes à totalização dos votos.

O plenário seguiu o voto do presidente do TSE, Dias Toffoli.  Ele ressaltou que todos os procedimentos deferidos constam em resoluções da corte que tratam da transparência do processo eleitoral e estavam disponíveis antes da eleição.

Em seu voto, Toffoli disse que o partido não apresentou indícios de fraude e limitou-se a relatar a descrença de algumas pessoas no resultado da votação. Apesar de autorizar os procedimentos, o presidente garantiu a transparência das eleições e ressaltou que o desenvolvimento dos programas usados na apuração das urnas esteve a disposição, desde abril, de todos os partidos políticos, do Ministério Público Eleitoral (MPE) e da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), desde o momento em que começaram a ser elaborados.

Sobre a criação de uma comissão para auditar os resultados, o presidente rejeitou o pedido, formulado por um delegado do partido, pessoa sem legitimidade perante o TSE.

Apesar da unanimidade formada no plenário, o ministro Gilmar Mendes defendeu que a Justiça Eleitoral acabe com suspeitas de fraude no resultado nas eleições, mesmo que sejam descabidas e levantadas por meio das redes sociais. Segundo o ministro, o pedido do PSDB contribui para a pacificação do assunto.

Saiba mais AQUI.

 

Categoria(s): Política
quarta-feira - 29/10/2014 - 08:59h
Disputa presidencial

Um país separado por votos


Por Gaudêncio Torquato (Coluna Porandubas Políticas, site Migalhas)

O Brasil dividido ?

O Brasil saiu das urnas rachado ao meio. O racha, ao contrário do que muitos pensam, não mostra um país separado por regiões – Nordeste contra o Sudeste – mas por votos. É só olhar a aritmética eleitoral. Dilma conseguiu uma montanha de votos no Nordeste – mais de 12 milhões de votos de maioria, ou seja, 71% dos votos. Apenas 29% foram para Aécio.

Minas, o ponto nevrálgico

No país, Aécio perdeu por três pontos. O que aponta para seu Estado, MG, onde Dilma venceu por quase cinco pontos (4,82%), cerca de 550 mil votos. Se Aécio tivesse lá metade dos pontos de vantagem que obteve em SP, venceria. No maior colégio eleitoral (SP), Aécio ganhou de 64,31% a 35,62%, uma diferença de 28,62%. Como se recorda, os tucanos prometiam uma vitória em Minas com uma vantagem de mais de três milhões de votos.

Divisão mal feita

Se o país fosse dividido em dois, por regiões, como alguns radicais chegaram a propor nas redes sociais, não seria o Nordeste contra o resto. Ao Nordeste, seriam somados os Estados de Minas e RJ, onde a presidente obteve 58% dos votos válidos contra 42% da votação dada a Aécio.

Dilma, pior em 15 Estados

Em comparação com o 2º turno da eleição presidencial de 2010, quando venceu pela primeira vez, a presidente Dilma Rousseff piorou seu desempenho em 15 Estados e no DF. Nos demais 11 Estados, ela teve votação porcentual superior à registrada há quatro anos. Os maiores avanços ocorreram em SE e no AC, onde a votação da presidenta aumentou 25%. Logo a seguir aparecem RR (24%) e RN (18%). Todos nas regiões Norte e Nordeste. No outro extremo, as maiores quedas proporcionais ocorreram em DF (-28%), SP (-22%), AM (-20%) e SC (-18%).

Melhor desempenho

Na região Nordeste, maior reduto de Dilma, ela conseguiu melhorar seu desempenho em seis dos nove Estados da região. Além de SE e RN, houve aumento expressivo de sua parcela de votação em AL (16%) e no PI (12%). Onde houve piora, a queda foi pequena : 1% ou menos na BA, no CE e no MA, e 7% em PE, onde ganhou a campanha, para surpresa de muita gente que esperava vitória de Aécio, depois de receber o apoio da família de Eduardo Campos.

ACOMPANHE bastidores políticos e mais notícias e comentários em nosso TWITTER clicando AQUI.

Categoria(s): Artigo / Opinião
terça-feira - 28/10/2014 - 05:51h
Mossoró

Robinson comemora vitória em cidade fundamental ao êxito


O governador eleito do Rio Grande do Norte, Robinson Faria (PSD), fez a tradicional descida do Alto de São Manoel, pela Avenida Presidente Dutra, à noite dessa segunda-feira (27). Um dia após sua eleição, fez questão de comemorar na cidade que teve papel primordial em sua vitória, como ele mesmo asseverou.

Multidão acompanhou vitoriosos da campanha estadual em Mossoró (Foto: Rayane Mainara)

Ao lado do prefeito de Mossoró, Francisco José Júnior (PSD), Robinson agradeceu a multidão pelos votos e se emocionou. Também teve a companhia do filho e deputado federal reeleito Fábio Faria (PSD), senadora eleita Fátima Bezerra (PT), deputado estadual eleito Galeno Torquato (PSD), bem como dos prefeitos Ivan Júnior (PROS) de Assu e Fabrício Torquato (DEM) de  Pau dos Ferros, além de outros apoios no município e região.

Confiança

“Entregamos a nossa campanha a vocês e vocês acreditaram e nos deram a vitória nas urnas. Vamos retribuir cada voto dado em Mossoró ao nosso 55! Retribuir com muito trabalho e benefícios para a população. Contem com esse homem batalhador que é Francisco José na Prefeitura, com os nossos deputados estaduais e federais, com Robinson no governo, com Fátima no Senado, com Dilma na Presidência do Brasil”, destacou Robinson.

No segundo turno, Robinson recebeu a confiança de 79.619 mil eleitores, que representa 71,66% dos votos válidos, ampliando a diferença para o segundo colocado em mais de 48 mil votos.

“Eu sempre disse que nossa vitória começava por Mossoró, na terra da liberdade. Hoje a minha palavra é de agradecimento aos eleitores e de compromisso: iremos trabalhar dia e noite por melhorias para Mossoró e para o nosso Rio Grande do Norte”, destacou Robinson.

Os artistas Luan Estilizado e Banda Saia Rodada fizeram o recheio musical da mobilização.

Com informações da Coligação Liderados pelo Povo.

 

Categoria(s): Política
segunda-feira - 27/10/2014 - 17:05h
Eleições 2014

Henrique comenta resultado e agradece votação


O presidente da Câmara Federal, Henrique Alves (PMDB), que não conseguiu se eleger ao Governo do Estado do RN nesse domingo (26), emitiu nota sobre o resultado eleitoral.

Leia abaixo:

“Eu agradeço a todos os que me apoiaram, a cada cidadão que me confiou o voto e conseguimos fazer esta bonita campanha. Eu enfrentei de cabeça erguida, uma quando fui convocado para esta luta pelo meu partido, o PMDB, por outros partidos, e lideranças e me dediquei totalmente. Eu me entreguei de corpo e alma e dei o que eu tinha de competência, de experiência na vida política, desde os 28 anos de idade. E saio bastante tranquilo.

Como tenho uma formação democrática e por aprendizado também, venho aqui desejar ao futuro governador eleito, Robinson Faria, que cumpra com todos os seus compromissos. De nossa parte, ele terá uma oposição vigilante e democrática, como deve ser.

Não me arrependo de nada do que fiz. Pelo contrário, a trajetória que tenho de 11 mandatos de deputado federal, com o que consegui, com os projetos que realizei para o meu estado, acredito ter chegado a hora de oferecer ao meu Estado tudo que fiz e minha experiência, com muita honra, dedicação serenidade e minha campanha mostrou esse posicionamento.

E do jeito que entrei, eu saio de cabeça erguida por ter dado o melhor de mim, no momento que o Estado mais precisou de mim, seja nos debates, na campanha no contato porta a porta, e isso me fez reconhecer essa bonita campanha pelas estradas do meu Estado.”

Categoria(s): Política
  • Lion, Moda Masculina, de João Paulo Araújo - 11-08-15
segunda-feira - 27/10/2014 - 11:06h
Servidor público

O grande nó górdio que Robinson precisa desatar


Por Honório de Medeiros (Blog Honório de Medeiros)

Diz a lenda que o rei da Frígia morrera sem deixar herdeiro e que, ao ser consultado, o Oráculo anunciara a chegada, à cidade, do sucessor, num carro de bois. Um camponês, de nome Górdio, foi coroado.

Para não esquecer de seu passado humilde ele colocou a carroça, com a qual ganhou a coroa, no templo de Zeus. E a amarrou com um nó impossível de desatar, a uma coluna, e que por isso ficou famoso. Górdio reinou por muitos anos e quando morreu seu filho Midas assumiu o trono.

Midas expandiu o império mas não deixou herdeiros.

O Oráculo foi ouvido novamente e declarou que quem desatasse o nó de Górdio dominaria toda a Ásia Menor.

Em 334 a.C Alexandre, o Grande, ouviu essa lenda ao passar pela Frígia. Intrigado com a questão foi até o templo de Zeus observar o feito de Górdio. Após muito analisar, desembainhou sua espada e cortou o nó em dois, desatando-o.

Lenda ou não, o fato é que Alexandre se tornou senhor de toda a Ásia Menor poucos anos depois.

Pois bem, o nó Górdio que Robinson Faria terá que desatar quando assumir o Governo do Rio Grande do Norte diz respeito ao servidor público estadual. O Rio Grande do Norte tem aproximadamente 3,4 milhões de habitantes. Desses, 102.841 são servidores do Estado.

Multiplicando cada servidor por cinco, que é a média histórica de dependentes diretos seus, teremos um total de 514.205 norte-rio-grandenses. Esse número, entretanto, não dá a verdadeira dimensão da importância da remuneração do servidor público para a sobrevivência daqueles que vivem em seu entorno.

Se diretamente a média é em torno de cinco pessoas para cada servidor, de forma indireta podemos, sem medo, multiplicar cada servidor por dez. Ou seja, temos mais ou menos um milhão de pessoas vivendo às custas da remuneração de cada servidor público estadual no Rio Grande do Norte.

Parece exagerado?

Pense em um servidor público e relacione seus familiares, seus empregados, aqueles que lhe prestam serviços, e assim por diante, e conclua. Pois bem, a influência política de cada servidor sobre seus dependentes diretos e indiretos é muito forte. E a influência do conjunto dos servidores públicos estaduais sobre a política partidária maior ainda.

Aqui no Rio Grande do Norte dois Governadores, de forma mais expressiva, foram atingidos diretamente pela revolta do servidor público: Geraldo Melo e Rosalba Ciarlini. Certos ou errados, desde o início de seus governos abriram um contencioso tenso contra os servidores e amargaram índices muito altos de rejeição popular no final do mandato.

Esse nó Górdio, em relação a Robinson, é ainda mais complexo dada a peculiaridade de seu futuro Governo: com uma mão terá que administrar uma pesada herança de natureza financeira, fruto de gestões passadas, e, com outra, demandas incisivas dos servidores, historicamente espoliados, e dessa vez apadrinhados por quem praticamente lhe deu a vitória, o PT.

Demandas cada vez maiores face à inflação oficial alta e extra-oficial altíssima (inflação de serviço), e a compressão salarial. Medidas paliativas, ou de negaceio, historicamente utilizadas, não resultarão em nada favorável. Caso sejam utilizadas em muito breve hão de dilapidar seu patrimônio de legitimidade política. E confrontos, bem como a inércia do servidor “emburrado”, vão paralisar sua administração.

Há soluções?

É possível.

Um primeiro e importante passo é enfrentar o problema imediatamente, admitindo sua existência e o tratando com a importância que ele sempre teve e merece. Como não pode deixar de ser, alguns passos têm natureza político estratégica. Alguns outros são de natureza essencialmente técnica…

Esse é, apenas, um dos primeiros passos que precisam ser dados para que o Governador eleito possa estabelecer uma diferença essencial em relação aos governos anteriores. Há muito outros, claro.

Entretanto como se trata de algo que afeta profundamente as finanças públicas do Estado, e atinge diretamente um número expressivo de seus habitantes que têm forte poder de replicação, é possível considera-lo o verdadeiro nó Górdio das administrações públicas estaduais.

Categoria(s): Artigo
segunda-feira - 27/10/2014 - 10:29h
Opinião

Resultado eleitoral “consagra” Aécio, afirma José Agripino


O presidente nacional do DEM e um dos coordenadores da campanha do presidenciável Aécio Neves (PSDB), José Agripino, emitiu nota comentando resultado eleitoral de domingo (26) no país.

Para ele, mesmo com o insucesso nas urnas, Aécio pode se considerar um vencedor.

“O resultado das eleições consagra Aécio Neves como líder e a oposição como força política, que fala pela metade do país. Com altivez e espírito público, ele conduziu a oposição ao seu melhor resultado em doze anos”.

Adiante, conclui:

“O governo que se inicia em primeiro de janeiro já começa em contagem regressiva. A oposição vai exercer o seu papel, procurando unir o país, mas sem perder de vista o protagonismo de combater os erros com determinação, responsabilidade e energia”.

Categoria(s): Política
  • Lion, Moda Masculina, de João Paulo Araújo - 11-08-15
domingo - 26/10/2014 - 23:15h
Mossoró

Francisco José Jr. diz que ampliação de vitória é mérito seu


Do Blog Panorama Político

O prefeito de Mossoró Francisco José Júnior (PSD) avaliou que a ampliação da maioria de Robinson Faria (PSD) no colégio eleitoral de Mossoró foi mérito dele próprio e não da governadora Rosalba Ciarlini (DEM).

“Eu estava trabalhando há quatro meses. Trabalhei em todo Oeste. Rosalba ajudou, trouxe sua contribuição. Mas é diferente o meu trabalho constante do trabalho da governadora que ficou só no final de semana”, disse Silveira Júnior.

Categoria(s): Política
domingo - 26/10/2014 - 21:34h
Discurso

Eleita, Dilma propõe diálogo para evitar divisão do país


Do portal G1

Em seu primeiro pronunciamento após ser confirmada como presidente reeleita do Brasil, Dilma Rousseff (PT) afirmou neste domingo (26) não acreditar que a acirrada disputa eleitoral, decidida por uma diferença de cerca de 3,4 milhões de votos, tenha “dividido” o país. A petista ressaltou ao longo dos 26 minutos de discurso que está “disposta ao diálogo” e que quer ser uma presidente “melhor” em seu segundo mandato.

Petista fez pronunciamento de 26 min após ser reeleita para mais quatro anos de mandato. (Foto: Evaristo Sá/AFP)

“Conclamo, sem exceção, a todas as brasileiras e brasileiros para nos unirmos em favor do futuro de nossa pátria. Não acredito que essas eleições tenham dividido o país ao meio.

Creio que elas mobilizaram ideias e emoções às vezes contraditórias, mas movidas por um sentimento comum: a busca por um futuro melhor”, declarou Dilma no pronunciamento realizado em um hotel de Brasília pouco mais de uma hora após o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) confirmar que ela estava matematicamente eleita.

Reforma política

Dilma afirmou que pretende efetivar grandes projetos e que a prioridade será a reforma política. “Entre as reformas, a primeira e mais importante é a reforma política. Quero discutir esse tema profundamente com o Congresso e a população ”, disse.

Em meio a investigações de um suposto esquema de propina na Petrobras que teria sido utilizado para abastecer o caixa do PT, a presidente reeleita disse que vai combater a corrupção.
“Terei o compromisso rigoroso com o combate à corrupção, propondo mudanças na legislação atual para acabar com a impunidade”, disse.

Dilma encerrou o discurso dizendo que “não fugirá da luta”. “Vamos dar as mãos e avançar nessa caminha que vai nos ajudar a construir o presente e o futuro. Brasil, mais uma vez essa filha tua não fugirá da luta. Viva o Brasil, viva o povo brasileiro”, disse, sendo aplaudida.

Veja matéria completa AQUI.

Categoria(s): Política
domingo - 26/10/2014 - 21:01h
Aproveite!

Veja todos os números eleitorais no RN e no país


Você pode saber todos os números das eleições no Rio Grande do Norte e no país, com acesso direto.

Clique neste Link AQUI e pesquise dados do município que se interessar no Rio Grande do Norte, como também no Brasil.

É possível se informar quanto ao comportamento do eleitor em todos os detalhes numéricos.

Bom proveito.

ACOMPANHE bastidores políticos em nosso TWITTER clicando AQUI.

 

Categoria(s): Política
domingo - 26/10/2014 - 20:43h
Governador eleito

Robinson consegue maioria de quase 150 mil votos no RN


Fim da apuração de votos no Rio Grande do Norte. Com 100% das urnas apuradas, veja abaixo o resultado que aponta vitória ao Governo do Estado do candidato da Coligação Liderados pelo Povo, Robinson Faria (PSD).

Robinson Faria empalmou 877.268 votos (54,42%), contra 734.801 votos (45,58%) do adversário Henrique Alves (PMDB), da Coligação União pela Mudança.

ACOMPANHE bastidores políticos em nosso TWITTER clicando AQUI.

A maioria de Robinson ficou em 142.467 (8,84%).

No primeiro turno houve maioria de Henrique: 78.582 votos ( 5,30%).

Veja números finais da apuração neste segundo turno e compare com o primeiro turno.

Governo do Estado – (2º Turno)

Robinson Faria (PSD) – 877.268 (54,42%) – Maioria - 142.467 (8,84%)
Henrique Eduardo Alves (PMDB) – 734.801 (45,58%)
Branco – 58.770 (3,07%)
Nulo – 244.893 (12,78%)
Abstenções – 410.927 (17,66%)
Votos apurados – 1.915.732
Votos válidos  - 1.612.069 (84,15%)

Governo do Estado – (1º Turno)

Henrique Eduardo Alves (PMDB) – 702.196 (47,34%) – Maioria - 78.582 ( 5,30%)
Robinson Faria (PSD) – 623.614 (42,04%)
Professor Robério Paulino (PSOL) – 129.616 (8,74%)
Simone Dutra (PSTU) – 14.549 (0,98%)
Araken Farias (PSL) – 13.396 (0,90%)
Branco – 136.498 (7,05%)
Nulo – 315.236 (16,29%)
Abstenção – 391.478 (16,83%)
Votos apurados – 1.935.105
Votos válidos  - 1.483.371 (76,66%).
Categoria(s): Política
Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.