quinta-feira - 14/12/2017 - 23:48h
Recife-PE

Tribunal nega seis pedidos de habeas corpus de Henrique


Do Congresso em Foco

O Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF-5), sediado em Recife, negou nesta quinta-feira (14) seis pedidos de habeas corpus impetrados pela defesa Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) com o objetivo de tirar da prisão o ex-presidente da Câmara.

Alves: dificuldades incessantes (Foto: EBC)

Ex-ministro do Turismo de Dilma Rousseff e Michel Temer, o peemedebista foi preso preventivamente em 6 de junho, em um dos desdobramentos da Operação Lava Jato.

Defesa

O advogado Marcelo Leal, que defende Henrique Alves, já avisou que recorrerá da decisão do TRF-5 ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), segundo a Agência Brasil. A reportagem assinada por Felipe Pontes lembra que cada pedido de liberdade expôs argumentação específica.

Dois dos habeas corpus apontava a incompetência da Justiça Federal do Rio Grande do Norte no processo, haja vista que os crimes apontados teriam origem em Brasília.

A defesa também procurou demonstrar a inexistência de provas de que o ex-ministro foi beneficiado em negociatas envolvendo as construtoras Andrade Gutierrez e Carioca Engenharia, que participaram do empreendimento.

Veja matéria completa clicando AQUI.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI e o Instagram clicando AQUI.

Categoria(s): Justiça/Direito/Ministério Público / Política
terça-feira - 12/12/2017 - 23:28h
Vitória da incompetência

Interdição do Porto-ilha continua sem qualquer solução


Desde o dia 1º deste mês, portanto há 11 dias, que o “Terminal Salineiro de Areia Branca (TERMISA) – Luiz Fausto de Medeiros” – o Porto-ilha,  – está sob interdição.

Foi decisão do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

Ao todo foram lavrados 38 autos de infração.

Incompetência remunerada mantém porto parado (Foto: arquivo)

O prejuízo para a indústria salineira é incomensurável e, para o próprio estado, que produz cerca de 97% do sal do país.

Até aqui, a incompetência está ganhando de goleada.

A diretoria da Companhia Docas do Rio Grande do Norte (CODERN), que administra o porto, foi nomeada pelos deputados federais Beto Rosado (PP) e senador José Agripino (DEM), além do ex-deputado federal Henrique Alves (PMDB).

Até aqui, esses dirigentes seguem preservados. Intactos em seus cargos e com salários em dia.

Ruim mesmo está para a o setor salineiro, que tem esse equipamento parado, quando deveria dar vazão à cerca de 40% do sal marinho do estado, desafogando o tráfego de carretas em nossas rodovias e BRs.

O RN é um caso perdido.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI e o Instagram clicando AQUI.

Categoria(s): Opinião da Coluna do Herzog
  • Lion, Moda Masculina, de João Paulo Araújo - 11-08-15
sexta-feira - 08/12/2017 - 08:38h
Porto Maravilha

Henrique é denunciado pelo MPF por lavagem de dinheiro


Do G1

Ministério Público Federal no Distrito Federal (MPF/DF) denunciou o ex-ministro do Turismo e ex-presidente da Câmara dos Deputados Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) à Justiça, nesta quinta-feira (7), pelo crime de lavagem de dinheiro.

Alves: Mais uma denúncia (Foto: José Cruz)

Segundo a ação, o político recebeu propina ligada às obras do Porto Maravilha, no Rio de Janeiro, e enviou o dinheiro para paraísos fiscais.

O caso foi remetido para a 10ª Vara Federal e decorre das investigações da operação Sépsis – feitas pela mesma força-tarefa que coordena as operações Greenfield e Cui Bono. Se a denúncia for recebida, Henrique Alves pode virar réu por lavagem de dinheiro cometida em 2014 e 2015.

O ex-ministro já responde pelo mesmo crime e por corrupção passiva nos autos da operação Sépsis, por práticas supostamente cometidas em 2011.

Advogado de Henrique Alves nesse caso, Marcelo Leal afirmou ao G1 que não tinha sido notificado da denúncia até o fim da tarde e, por isso, não teria como comentar o caso.

Veja mais detalhes clicando AQUI.

Nota do Blog - Henrique Alves completou seis meses de prisão na última quarta-feira (6).

Está recolhido a uma sala na Academia de Polícia Militar do RN, em Natal, desde o dia 6 de junho.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI e o Instagram clicando AQUI.

Categoria(s): Justiça/Direito/Ministério Público / Política
quarta-feira - 06/12/2017 - 14:28h
Eleições 2018

Rosalbismo avalia apoio à Fátima e esfria com Carlos Eduardo


Não é ponto pacífico no grupo da prefeita mossoroense Rosalba Ciarlini (PP), o apoio e composição em chapa que deve ser encabeçada pelo prefeito natalense Carlos Eduardo Alves (PDT), ao governo estadual, em 2018.

A própria passagem de Carlos Eduardo por Mossoró no dia de ontem, com “visita de cortesia” fugaz à Rosalba, na sede do governo municipal, disse muito.

Fátima e Rosalba: união possível, novamente (Foto: Web)

Rosalba não o evitou, é certo; mas não se empolgou à pose com ele para fotografias – como o Blog Carlos Santos revelou (veja: Carlos Eduardo Alves destaca visita à Rosalba; ela, não AQUI).

Observação do cenário

O momento do rosalbismo não é de definição de rumo em 2018,  mas de observação do cenário, com possibilidade de apoio à postulação ao governo da senadora Fátima Bezerra (PT).

Esse apoio é defendido por setores do grupo rosalbista e não causaria estranheza.

Em 2014, dia 29 de setembro, Rosalba anunciou publicamente apoio à candidatura dela ao Senado (veja AQUI como foi), recebendo em troca o arrefecimento da pressão de movimentos sindicais contra seu governo no estado.

Blog antecipou apoio

Meses antes o Blog Carlos Santos antecipara que isso estava na iminência de acontecer: As razões de Rosalba para apoiar a “companheira” Fátima AQUI. Postamos no dia 24 de março de 2014 (mais de seis meses antes do fato).

Paralelamente, Rosalba tinha interesse na derrota do deputado federal Henrique Alves (PMDB) ao governo àquele ano. Ele foi um dos articuladores de veto à candidatura dela à reeleição, no âmbito do DEM (legenda dela à época).

A então governadora deu o troco dentro de sua área de influência, Mossoró, fomentando votação em favor do seu “vice dissidente” Robinson Faria (PSD), eleito à sua sucessão.

Os próximos meses e avaliação de conjuntura e futuro dirão onde Rosalba e seu grupo estarão. Por enquanto, Carlos Eduardo é apenas uma foto nas redes sociais (dele).

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
  • Lion, Moda Masculina, de João Paulo Araújo - 11-08-15
quinta-feira - 30/11/2017 - 13:59h
Corrupção

MPF denuncia e pede nova prisão para Henrique Alves


Mais uma, outra, novamente. Mais uma denúncia do Ministério Público Federal (MPF/RN) contra o ex-deputado federal Henrique Alves (PMDB), que está preso na Academia de Polícia Militar do RN, em Natal, desde o dia 6 de junho deste ano.

O MPF ainda pede sua prisão.

A ação penal aponta a prática dos crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro qualificada e organização criminosa qualificada, envolvendo o esquema montado por ambos para recebimento de propinas de empresas interessadas em financiamentos da Caixa Econômica Federal. O ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) é outro denunciado.

Além deles, são denunciados o empresário Lúcio Bolonha Funaro (colaborador das investigações); o publicitário e cunhado de Henrique, Arturo Silveira Dias de Arruda Câmara; e quatro ex-assessores de Henrique Alves: José Geraldo Moura da Fonseca Júnior, Aluízio Henrique Dutra de Almeida, Norton Domingues Masera e Paulo José Rodrigues da Silva.

A ação penal tramita na Justiça Federal sob o número 0812330-44.2017.4.05.8400. Confira a íntegra da denúncia clicando aqui e do pedido de prisão preventiva (0812388-47.2017.4.05.8400) clicando aqui.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI e o Instagram clicando AQUI.

Categoria(s): Justiça/Direito/Ministério Público / Política
quarta-feira - 29/11/2017 - 14:50h
Mais uma

Henrique, Cunha e Funaro são denunciados por MPF/RN


Do UOL

O MPF-RN (Ministério Público Federal no Rio Grande do Norte) denunciou os ex-presidentes da Câmara dos Deputados Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) e Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e outras seis pessoas pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

No grupo de denunciados está o ex-operador do PMDB, Lúcio Funaro e outras cinco pessoas ligadas a Henrique Eduardo Alves.

Henrique e Eduardo Cunha: mais problemas - (Foto de Fábio Rodrigues Pozzebom)

A denúncia se refere ao repasse de pelo menos R$ 4,2 milhões para a campanha de Henrique Alves ao governo do Rio Grande do Norte em 2014. Segundo o MPF, o dinheiro seria resultado do esquema que cobrava propina de empresas que buscavam financiamentos na Caixa Econômica Federal (CEF).

A denúncia foi protocolada na Justiça Federal do Rio Grande do Norte na última terça-feira (28).

Se a Justiça Federal do Estado aceitar a denúncia, eles viram réus. A denúncia é resultado da Operação Manus, um desdobramento da Operação Lava Jato, que levou Henrique Alves à prisão em julho deste ano.

Colaboração

Segundo os procuradores, Eduardo Cunha e Henrique Eduardo Alves pediram e receberam propina paga por empresários e repassada à campanha pelo então operador do PMDB, Lúcio Funaro, que firmou acordo de colaboração premiada com a PGR (Procuradoria-Geral da República) e detalhou o esquema.

Cunha foi denunciado por lavagem de dinheiro, enquanto Henrique Eduardo Alves foi denunciado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Lúcio Funaro foi denunciado por lavagem de dinheiro, mas os procuradores pediram que as penas previstas pelo crime fossem substituídas pelas que foram acordadas por ele e pela PGR em seu acordo de delação premiada.

As penas de Cunha podem chegar a dez anos de prisão. Se condenado, Henrique Alves pode ser punido com penas que vão de três a 12 anos de prisão.

Saiba mais detalhes clicando AQUI.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI e o Instagram clicando AQUI.

Categoria(s): Política
segunda-feira - 06/11/2017 - 09:12h
Hoje

Henrique Alves completa cinco meses de prisão


Hoje (segunda-feira, 6), faz cinco meses que o ex-ministro e ex-deputado federal Henrique Alves (PMDB) está preso numa sala da Academia de Polícia Militar do Rio Grande do Norte, em Natal.

Ele teve contra si dois mandados de prisão no dia 6 de junho deste ano, nas operações Manus e Sepsis.

Suas tentativas de habeas corpus até aqui fracassaram.

Os desdobramentos de investigações até aqui só complicam sua vida.

Acompanhe o  Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
segunda-feira - 06/11/2017 - 08:52h
Delação

Fred Queiroz detalha fluxo de dinheiro em campanha


Por Dinarte Assunção (Do Blog do BG)

Às 19h48 de 18 de agosto deste ano, uma notificação surgiu no sistema do processo judicial da 14ª Vara da Justiça Federal do Rio Grande do Norte (JFRN). Nela, o procurador da República Rodrigo Telles, atualizava os autos da “Operação Manus” (que resultou na prisão do ex-deputado federal Henrique Alves e outras pessoas, no dia 6 de junho deste ano) com uma certidão de oito tópicos, onde dava ciência ao juiz Eduardo Guimarães, sobre a junção dos termos de colaboração premiada da família Queiroz.

Fred Queiroz foi alcançado pela Operação Manus e transformou-se em importante fonte (Foto: Arquivo)

Quase tudo que está lá descrito chegou recortado à imprensa 11 dias depois, quando repórteres colocaram as mãos em reproduções de trechos dos documentos. Um item da certidão de Rodrigo Telles, no entanto, ainda não foi revelado: grafado como último tópico, o documento do procurador é encerrado com a indicação de que se juntam aos autos “Documentos anexos referentes à Campanha de 2014 de Henrique Alves” ao governo estadual, que o Blog do BG revela agora com exclusividade.

O calhamaço de elementos juntados para sustentar as alegações de Fred Queiroz são amplos e devem ser encarados, antes de tudo, como documentos resultado de transações eleitorais. Caberá, ao fim do processo, à Justiça decidir o que foi ilegal ou não. Fred Queiroz antecipou o que sabia ser ilegal.

Resumo

O conjunto de elementos que sustentam a delação de Fred é aberto com um resumo de todas as circunstâncias entregues por ele, com um organograma onde são apontados os responsáveis pela execução da campanha de 2014.

O que vem na sequência é o relato de situações que se dividem entre a descrição de crimes, a operacionalização da campanha e circunstância da Prefeitura de Natal.

São citados nesse resumo, o deputado federal Rogério Marinho, o prefeito de São Gonçalo do Amarante, Paulinho da Habitação, os deputados estaduais Kelps Lima (Solidariedade) e Ricardo Motta (PROS, hoje no PSB), o vereador Paulinho Freire, o presidente da Federação dos Municípios do RN (FEMURN), Benes Leocádio (PMDB), e auxiliares de Henrique Eduardo Alves.

É importante destacar que as situações descritas por Fred Queiroz são de contexto eleitoral, não sendo possível afirmar que todos os nomes citados incorreram em ilícito.

Os tópicos descrevem a articulação do que parece ser a compra de votos. Isso porque o delator cita diretamente o uso de recursos em cash sem aparante declaração à Justiça eleitoral, além de mencionar explicitamente empresas como a JBS e a Odebrecht.

O relato vai da bonança à dificuldade, quando o delator detalha que Henrique Alves chegou a distribuir cheques com a promessa de cobri-los depois para garantir o apoio de lideranças.

Recursos para o interior x JBS

Arturo

Dinheiro em SP

Aluísio Dutra

Cheques de Henrique

Recursos extras

Ramalho Moreira (aqui, Fred descreve supostos desvios em obra da Prefeitura de Natal)

Vereadores e Deputados

Secretaria de Turismo

Secretaria de Obras

Veja AQUI íntegra do relato;

Veja AQUI cópias de comprovantes de depósitos e transferências, além de planilhas relacionadas a lideranças do interior;

Acompanhe o  Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Justiça/Direito/Ministério Público / Política
  • Repet
sábado - 04/11/2017 - 09:20h
Folha de São Paulo

‘Terra arrasada’ coloca em xeque caciques do RN


Por João Pedro Pitombo (Do jornal Folha de São Paulo)

Com o governador investigado e o seu principal adversário atrás das grades, o Rio Grande o Norte vive um cenário de “terra arrasada” para as eleições de 2018.

Se há três anos Robinson Faria (PSD) e Henrique Eduardo Alves (PMDB) duelavam em uma das disputas mais acirradas do país, hoje ambos enfrentam reveses que devem mudar completamente o quadro eleitoral no Estado, tradicionalmente dominado por quatro clãs: os Alves, os Maia, os Rosado e os Faria.

Henrique Alves está preso desde o dia 6 de junho em Natal numa situação inusitada à política do RN (Foto: arquivo)

Eleito em 2014, Robinson Faria vive seu momento mais difícil: foi denunciado pela Procuradoria Geral da República por suspeita de obstrução de Justiça no âmbito da Operação Dama de Espadas, que investigou fraudes na Assembleia Legislativa.

No campo administrativo, enfrenta uma grave crise financeira que resultou em atrasos no pagamento aos servidores – os salários de setembro terminarão de ser pagos apenas em novembro. “A questão eleitoral se tornou acessória diante das adversidades da crise que o governo enfrenta”, diz o vice-governador Fábio Dantas (PC do B).

Desgastado, o governador terá dificuldades até em formar uma chapa e pode não disputar a reeleição caso se torne réu no Superior Tribunal de Justiça. Se esse cenário se concretizar, será a segunda eleição seguida na qual o governador não vai para a reeleição –em 2014, a governadora Rosalba Ciarlini (DEM) ficou fora da disputa.

Na oposição, a prisão de Henrique Eduardo Alves em desdobramento da Operação Lava Jato desestruturou o grupo capitaneado pelo PMDB. O ex-deputado costumava ser o principal articular político, fazendo o contato com prefeitos e coordenando campanhas.

Senadores terão reeleição difícil

Também investigados na Lava Jato, os senadores Garibaldi Alves (PMDB) e Agripino Maia (DEM) terão uma eleição difícil para renovar seus mandatos no próximo ano.

O nome natural do grupo para ao governo é o do prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves (PDT), primo de Henrique Alves e Garibaldi Alves. Mas o sobrenome que costumava ser um trunfo é encarado como a principal dificuldade do prefeito, que tem trajetória política própria e chegou a ser adversário dos primos em outras eleições.

Diante do desgaste dos sobrenomes tradicionais, nomes de fora dos grupos familiares têm sido cogitados para a disputa de 2018. Dono da rede de lojas Riachuelo, o empresário Flávio Rocha aparece como principal opção, assim como do dono da distribuidora de combustíveis Ale, Marcelo Alecrim.

“São dois nomes que pacificariam a nossa base. São empresários bem-sucedidos, mas que sempre tiveram bom trânsito na política”, afirma Agripino Maia.

Outro cotado ao governo é o ex-presidente do Tribunal de Justiça do Estado, desembargador Cláudio Santos, que deve se aposentar no início do próximo ano.

Nos últimos meses, ele intensificou críticas ao governo de Robinson Faria e tem participado de solenidades e eventos por todo o Estado. Procurado pela Folha, classificou como “especulação” a hipótese de candidatura.

Terceira via

Entre os dois principais grupos políticos do Estado, a senadora petista Fátima Bezerra aparece como uma terceira via na disputa pelo governo. Ligada à educação e com forte inserção no interior do Estado, é uma das principais apostas do PT para ampliar sua presença no Nordeste.

Para garantir um palanque forte, o partido conta com a presença do ex-presidente Lula como candidato a presidente ou como cabo eleitoral. E tem buscado potenciais aliados para compor a chapa uma chapa competitiva. Uma das prováveis candidatas ao Senado na chapa deve vir de uma das famílias mais tradicionais do RN: a deputada federal Zenaide Maia (PR).

Caso confirme sua candidatura, ela deverá enfrentar o primo Agripino Maia nas urnas.

Para o cargo de vice-governador, o PT busca o nome de um empresário. A ideia é reeditar uma chapa nos moldes da formada por Lula e José Alencar em 2002 e 2006.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
quarta-feira - 01/11/2017 - 07:22h
Operação Lavat

Assessores de Henrique Alves têm preventiva determinada


Presos no último dia 26 na “Operação Lavat”, pessoas ligadas ao ex-deputado federal e ex-ministro Henrique Alves (PMDB) tiveram prisões temporárias convertidas em preventivas nessa terça-feira (31). Decisão da Justiça Federal.

O que isso significa: não há prazo para eles ganharem habeas corpus.

Aluísio Henrique Dutra de Almeida (assessor de Henrique Alves) e Norton Domingues Masera (ex-chefe da assessoria parlamentar do Ministério do Turismo) foram alcançados pela decisão.

Henrique foi preso no dia 6 de junho, através de dois mandados de prisão, como desdobramento da Operação Lava Jato, nas operações Manus e Sepsis.

Completará cinco meses de prisão na Academia da Polícia Militar do RN em Natal.

Leia também: PF cumpre mandados em cinco municípios do RN e Brasília AQUI;

Leia também: Polícia Federal prende assessores de Henrique até em ministério AQUI;

Leia também: A boa vida do operador de Henrique Alves em Brasília AQUI.

O outro preso na Operação Lavat no último dia 26 foi José Geraldo Moura Fonseca Júnior, que não teve prisão preventiva determinada.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
  • Repet
quinta-feira - 26/10/2017 - 20:36h
Operação Lavat

PF suspeita que Henrique Alves teria usado atestado falso


Henrique está preso desde o dia 6 de junho (Foto: Arquivo)

Do G1 e Blog Carlos Santos

O ex-ministro Henrique Eduardo Alves teria usado um atestado falso para evitar sua transferência de Natal, onde está preso, para Brasília. A informação está na decisão que autorizou a Operação Lavat, deflagrada na manhã desta quinta-feira (26) no RN e no Distrito Federal. A defesa de Henrique Alves nega e classifica como “infâmia” a acusação.

De acordo com o que alega a Polícia Federal, com base em escutas autorizadas pela Justiça, a esposa do ex-ministro, Laurita Arruda, seria a responsável por conseguir o atestado médico fajuto. Em uma conversa gravada, um empregado de Henrique Alves teria dito à filha dele que os problemas médicos pelos quais o ex-ministro estava passando eram uma mentira “criada com o propósito de ‘botar pressão”.

“Essa conversa revela que Laurita Arruda buscou médico para obter atestado falso a fim de impedir a transferência de seu marido, Henrique Alves, para Brasília”, afirma a PF no relatório.

O advogado Marcelo Leal, que defende Henrique Alves, emitiu nota desmentindo a versão de que a mulher de Henrique estivesse fazendo esse tipo de operação.

Nota de Marcelo Leal refuta versão e informações passadas pela Polícia Federal sobre mulher e filha de Henrique

Marcelo Leal também contesta que Andressa Steimann, filha do ex-deputado federal e ex-ministro, estivesse participando de alguma trama para lavagem de dinheiro.

Preso

Henrique Eduardo Alves permanece preso na Academia de Polícia Militar do Rio Grande do Norte, desde a deflagração da Operação Manus, que investiga corrupção ativa e passiva e lavagem de dinheiro na construção da Arena das Dunas, em Natal.

Leia também: Mulher e filha de Henrique são alvos de buscas da PF AQUI.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
quinta-feira - 26/10/2017 - 08:38h
Operação Lavat

Federal prende assessores de Henrique até em ministério


G1, Rede Globo, Blog Carlos Santos

A Polícia Federal prendeu três pessoas nesta quinta-feira (26) em operação contra a lavagem de dinheiro no Rio Grande do Norte. É desdobramento da Operação Manus, que em junho levou à prisão o ex-deputado federal e ex-ministro Henrique Alves (PMDB).

Norton: preso em Brasília (Foto: IstoÉ)

Hoje, os principais presos e alvos de condução coercitiva são assessores de Henrique, que está preso em Natal desde 6 de junho último.

Foram presos: Aluísio Henrique Dutra de Almeida (assessor de Henrique Alves), José Geraldo Moura Fonseca Júnior e Norton Domingues Masera (chefe da assessoria parlamentar do Ministério do Turismo).

Foram alvos de condução coercitiva (quando o investigado é levado até a delegacia para prestar depoimento): Domiciniano Fernandes da Silva e Fernando Leitão de Moraes Júnior.

Inter TV Cabugi

Um dos mandados de busca e apreensão foi cumprido na sede da Inter TV Cabugi, em Natal, mas a emissora não é alvo da operação. As buscas foram feitas na sala de Herman Ledebour, assessor de Henrique Alves.

Em nota, a direção da TV informou que Herman é procurador e representante de Henrique, que é sócio minoritário da emissora.

Leia também: PF cumpre mandados em 5 municípios do RN e Brasília AQUI.

* Veja adiante, postagens que mostram quadro de influência que torna situação de Henrique ainda mais delicada.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
quinta-feira - 26/10/2017 - 06:36h
Operação Lavat

PF cumpre mandados em 5 municípios do RN e Brasília


Do G1RN e MPF/RN

Polícia Federal deflagrou na manhã desta quinta (26) a Operação Lavat, destinada a desarticular uma organização criminosa investigada na Operação Manus – que prendeu no dia 6 de junho deste ano o ex-ministro e ex-deputado federal Henrique Eduardo Alves (PMDB).

Ele está preso em Natal desde então. Na ocasião, o ex-deputado Eduardo Cunha também foi alvo de mandado de prisão preventiva.

Cerca de 110 policiais federais cumprem 27 mandados judiciais, sendo 22 mandados de busca e apreensão, 3 de prisão temporária e 2 de condução coercitiva em Natal, Parnamirim, Nísia Floresta, São José de Mipibu, Angicos e Brasília/DF – no Ministério do Turismo, que chegou a ser ocupado por Henrique Alves.

As medidas foram determinadas pela 14ª Vara da Justiça Federal no Rio Grande do Norte e têm como alvo assessores e familiares do ex-presidente da Câmara dos Deputados Henrique Eduardo Alves.

Arena

Durante a análise do material apreendido da Operação Manus, deflagrada em junho deste ano, foram identificadas fortes evidências quanto à atuação de outras pessoas pertencentes a organização criminosa, que continuou praticando crimes de lavagem de dinheiro e ocultação de valores para o chefe do grupo.

Foi identificado também esquema criminoso que fraudava licitações em diversos municípios do Estado visando obter contratos públicos, que somados alcançam cerca de 5,5 milhões de reais, para alimentar a campanha ao governo do estado de 2014.

O nome da operação ainda é referência ao provérbio latino “Manus Manum Fricat, Et Manus Manus Lavat”, cujo significado é: uma mão esfrega a outra; uma mão lava a outra.

A operação tem relação direta com desvios estimados em R$ 77 milhões na construção do Arena das Dunas.

Leia também: Henrique Alves é preso em desdobramento da Lava Jato AQUI.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
terça-feira - 24/10/2017 - 09:28h
Sem destino

RN caminha para outra “eleição por exclusão”


Caminhamos para outra eleição estadual “por exclusão”, como ocorreu em 2014.

O eleitor disse nas urnas que não queria Henrique Alves (PMDB) como governador.

Excluiu-o votando em Robinson Faria (PSD).

Para 2018, o cenário nebuloso que se forma tem o mesmo formato, tamanhã a esqualidez de nomes, ausência de espírito público e inexistência de propostas palpáveis.

Pobre RN Sem Sorte!

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política / Só Pra Contrariar
sexta-feira - 20/10/2017 - 08:40h
Hoje

Garibaldi Filho assume comando do PMDB no estado


O PMDB do Rio Grande do Norte realiza convenção estadual protocolar (cartorial) no dia de hoje.

Começa às 9 horas na sede da legenda, Avenida Everton Dantas Cortês, 1440, no Tirol, em Natal.

O senador Garibaldi Filho será conduzido à presidência.

Garibaldi substitui Henrique Alves (PMDB), ex-deputado federal e ex-ministro que está preso desde o dia 6 de junho, por envolvimento em supostos casos de corrupção no rastro da Operação Lava Jato.

Até o momento, o deputado federal Walter Alves – vice-presidente – estava dirigindo o partido.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
terça-feira - 17/10/2017 - 18:22h
RN

Garibaldi vai presidir o PMDB; convenção é sexta


O PMDB do Rio Grande do Norte realiza na próxima sexta-feira, dia 20, a partir das 9 horas, a sua convenção estadual. Na ocasião, o senador Garibaldi Filho será aclamado o novo presidente da agremiação. A reunião será realizada na sede do partido, na avenida Everton Dantas Corês, 1440, no Tirol, em Natal.

Na pauta, a escolha do novo diretório, da comissão executiva e dos delegados que representarão o RN na convenção nacional de novembro, em Brasília.

“Uma das prioridades da minha gestão será a revitalização do PMDB no Rio Grande do Norte. Vamos promover uma campanha de filiação para que cada vez mais a população potiguar possa manifestar suas ideias e posições através da nossa legenda”, disse o senador.

Atuação

A presidência estava com o ex-deputado federal Henrique Alves, preso desde o dia 6 de junho. Quem assumiu em seu lugar foi o vice, deputado federal Walter Alves, filho de Garibaldi, atual vice-presidente.

“Queremos ampliar nossa atuação como caixa de ressonância do eleitor. Nesse momento em que o Brasil vive importantes transformações, o PMDB está preparado para dar sua parcela de contribuição para o aperfeiçoamento de nossas instituições”, afirmou Garibaldi Filho.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
sexta-feira - 13/10/2017 - 12:23h
Comunicação

Concretizada venda do Tribuna do Norte e Rádio Cabugi


Camargo controla grupo (Foto: arquivo)

Por Thaísa Galvão

Concretizada a venda do jornal Tribuna do Norte e rádio Globo/Cabugi ao grupo do empresário Fernando Camargo, que já domina a InterTV Cabugi.

Henrique Alves permanece no grupo com 14%.

Ricardo Gobat, que continuarà como gestor, tem 4%.

Os demais ‘Alves’ que tinham participação no grupo, venderam suas cotas

Fernando Camargo também comprou o prédio onde funciona o Memorial Aluízio Alves, em frente à InterTV.

Leia também: Empresas de comunicação do grupo Alves são vendidas AQUI;

Leia também: Grupo fecha ciclo de demissões AQUI.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Comunicação
sexta-feira - 06/10/2017 - 17:10h
Saúde

Estado de ânimo de Garibaldi Filho preocupa amigos e família


O senador Garibaldi Filho (PMDB) anda sorumbático.

Estado de ânimo tem uma razão de ser.

A prisão do primo e irmão-siamês na política, ex-deputado federal Henrique Alves (PMDB), o abala profundamente.

Falta-lhe ímpeto para o próprio exercício político.

Amigos e familiares andam preocupado com o congressista.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
quarta-feira - 04/10/2017 - 15:56h
Mossoró

Larissa Rosado e Robinson dialogam sobre união política


O jornalista Bruno Barreto, da FM 95.7 e TV Cabo Mossoró (TCM), resumiu em conversa com o Blog Carlos Santos, diálogo que teve hoje à tarde num restaurante da cidade, à mesa de almoço, com o governador Robinson Faria (PSD) e deputada estadual Larissa Rosado (PSB).

Dá mostras de que o caminho está pavimentado para entendimento entre o grupo de Robinson e da parlamentar. Há necessidade mútua de conjunção de forças.

Robinson tem companhia de Larissa (Foto: cedida)

Resumo da conversa:

Bruno: “Está pintando uma aliança governador?”

Robinson: “Se depender de mim, sim.”

Bruno: “É verdade que Larissa vai assumir o PSD (Informação dada em primeira mão por Carol Ribeiro hoje no Meio-Dia Mossoró da FM 95.7)?”

Robinson: “Já fiz o convite (seguido de um largo sorriso)”.

Bruno: “E aí, Larissa!? Vai trocar o B (PSB) pelo D (PSD)?”

Larissa: (após risos) “Isso é brincadeira de Robinson.”

Cá com meus botões não tenho dúvidas que Larissa e Robinson não só reataram a velha amizade como estão politicamente realinhados.

Nota do Blog Carlos Santos – Estava escrito. Desde o ano passado que o grupo de Larissa e de sua mãe e vereadora Sandra Rosado (PSB) tem um acordo firmado (veja AQUI) com o PMDB dos Alves, para retorno pro peemedebismo e parcerias para pleito de 2018.

Mas a prisão do ex-deputado federal Henrique Alves (PMDB) produz outra realidade e elas buscam uma saída para a nova salvação eleitoral.

Henrique tem problemas maiores para sanar. Elas, os próprios.

Leia também: Grupo de Sandra ‘cola’ em Robinson à cata de saída eleitoral AQUI;

Leia também: Grupo Rosado e Robinson precisam um do outro em Mossoró AQUI.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
terça-feira - 26/09/2017 - 04:12h
Robinson Faria

Uma maré de sorte em meio a tantos infortúnios


Nos meios político e jurídico do Rio Grande do Norte, opinião corrente sustenta que o governador Robinson Faria (PSD) está numa maré de sorte, não obstante tantos infortúnios judiciais que se encorpam em seu entorno.

Não fosse o cargo de governador e o foro privilegiado, o seu destino seria a companhia do ex-deputado Henrique Alves (PMDB) na Academia de Polícia Militar do RN, em Natal.

Faz sentido.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
segunda-feira - 18/09/2017 - 21:32h
Justiça

Henrique oferece garantia para ter desbloqueio de contas


Por Marcelo Rocha (Expresso Época, revista Época)

Henrique: R$ 1 milhão (Foto: José Cruz/ Agência Brasil)

A defesa do ex-ministro Henrique Eduardo Alves (PMDB), preso desde de junho, ofereceu ao juiz Vallisney Oliveira, da 10ª Vara Federal, bens em garantia no valor equivalente a R$ 1 milhão para que as contas do peemedebista possam ser movimentadas pela família. Alves recebe os rendimentos de suas empresas nessas contas, mas elas foram bloqueadas por determinação de Oliveira.

O ex-ministro alega que seus familiares precisam dos recursos para custear despesas básicas. O juiz consultou o Ministério Público Federal sobre o pedido.

Alves é réu da Operação Sépsis, que investiga corrupção envolvendo a liberação de recursos do FI-FGTS, administrados pela Caixa.

O advogado Marcelo Leal, que defende o político potiguar, pediu à 10ª Vara que a delação do corretor de valores Lúcio Bolonha Funaro seja anexada aos autos – a defesa de Funaro fez o mesmo. Sem a delação, avalia Leal, ficam inviabilizados interrogatórios dos acusados previstos para esta semana.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
domingo - 17/09/2017 - 10:02h
Raquel Dodge

Um fio de esperança para Henrique Alves


Dodge: posse amanhã (Foto: Web)

Nos intramuros do grupo Alves, há incontida esperança de que o ex-ministro e ex-deputado federal Henrique Alves (PMDB) possa ter flexibilizada sua prisão.

Expectativa é de que seja convertida em cárcere domiciliar.

Henrique está preso desde o dia 6 de junho numa sala de cerca de nove metros quadrados, na Academia de Polícia Militar, em Natal. Dois mandados de prisão preventiva, irrevogáveis até aqui, mantêm-no aprisionado.

A passagem da gestão do “Furacão Janot” e chegada da substituta Raquel Dodge na Procuradoria Geral da República (PGR) é um fio de esperança para Henrique.

Ela tomará posse amanhã  (segunda-feira, 17).

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.