quarta-feira - 04/10/2017 - 10:34h
Política e história

Disputa à Assembleia Legislativa gera grande expectativa

Mossoró já elegeu 4 deputados estaduais em 1974 e espera 2018 com cenário confuso para novo feito

Mossoró já chegou a determinar a eleição de quatro deputados estaduais num único ano. Foi em 1974, há 43 anos. Um feito raro. Poderá ser repetir no próximo ano, mas é precipitado se fazer um vaticínio nesse sentido.

João Newton: 1974 (Foto: arquivo)

O excelente resultado contrasta com o fenômeno de 2014: nenhum candidato nativo do município chegou ao êxito nas urnas.

Em 2014, os deputados mossoroenses que tentaram a reeleição, Larissa Rosado (PSB) e Leonardo Nogueira (DEM), fracassaram.  Nenhum novato local vingou.

Quem se sobressaiu, com votos determinantes de Mossoró à eleição-surpresa, foi o ex-prefeito areia-branquense Manoel Cunha Neto (PHS), “Souza”, que tem laços familiares, profissionais e estudantis com a cidade. Cerca de 18% dos seus votos foram do eleitorado local.

Em 1974, foram eleitos João Newton da Escóssia (Arena) e Alcimar Torquato (Arena), com apoio do deputado federal Vingt Rosado (Arena). O primeiro, cunhado do parlamentar; o segundo, natural de Luís Gomes, mas que há mais de uma década atuava na medicina local.

Eleitos de 1974 a 2014  tendo Mossoró como base

1974 – João Newton da Escóssia, Alcimar Torquato, Assis Amorim e Luís Sobrinho;

1978 – Carlos Augusto Rosado

1982 – Jota Belmont e Carlos Augusto Rosado

1986 – Laíre Rosado e Carlos Augusto Rosado

1990 – Carlos Augusto, Antônio Capistrano e Frederico Rosado

1994 – Frederico Rosado e Francisco José (pai)

1998 – Frederico Rosado, Sandra Rosado e Ruth Ciarlini

2002 – Larissa Rosado, Francisco José (pai) e Ruth Ciarlini

2006 – Larissa Rosado e Leonardo Nogueira

2010 – Larissa Rosado e Leonardo Nogueira

2014 – Nenhum

“De quebra”, ainda teve a reeleição do médico Dalton Cunha (Arena). Era mossoroense da gema, mas tinha como base principal de votos o município de Apodi e adjacências.

Luís Sobrinho (MDB) e Assis Amorim (MDB), apoiados pelo ex-governador cassado Aluízio Alves (MDB), também foram eleitos no mesmo ano a partir de Mossoró.

Frederico: 1990 (Foto: Arquivo)

Um dado interessante dessa lista de eleitos: nenhum era da família Rosado. Depois de 1974, em todas as eleições essa oligarquia elegeu membros seus à Assembleia Legislativa, à exceção de 2014.

Derrocada

Em 2018, com um cenário político extremamente confuso, Mossoró pode ter uma profusão de candidaturas à Assembleia Legislativa. Há possibilidade de repetir 1974 ou ficar num meio-termo.

Porém é pouco provável que se veja uma reedição de 2014. Três candidaturas do clã Rosado a deputado estadual, desgaste político da então governadora Rosalba Ciarlini (PP), a prefeitura nas mãos de um adversário dos Rosados (prefeito Francisco José Júnior) e escassez de recursos para financiamento de campanhas, foram alguns dos fatores que desenharam a derrocada à época.

Alguém pode sobrar

Mesmo assim, a conjuntura que se forma para o próximo ano poderá gerar surpresas, principalmente porque após se reunificar parcialmente, o clã Rosado tentará eleger quadros familiares num contexto completamente diferente do passado recente e tempos mais remotos.

O “maior eleitor” mossoroense, a Prefeitura Municipal de Mossoró, historicamente não tem elegido mais do que um deputado estadual por pleito. Preliminarmente, não há qualquer pré-candidatura Rosado se formando na oposição, mas pode surgir a figura da ex-prefeita Fafá Rosado (ainda no PMDB).

No governismo, as primas Larissa Rosado e Lorena Rosado (PP) – filha da prefeita Rosalba e secretária do Desenvolvimento Social do município, tendem a ser candidatas no mesmo palanque. Alguém pode sobrar.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política / Reportagem Especial
terça-feira - 27/12/2016 - 10:53h
O futuro já começou...

Rosalba terá filha em equipe focando a Assembleia Legislativa


Um nome anunciado hoje através do Blog do Barreto (veja AQUI) como integrante da futura equipe de secretários da prefeita eleita e diplomada, Rosalba Ciarlini (PP), precisa ser observado com atenção: Lorena Ciarlini.

Será a titular da pasta da Ação Social.

Filha da própria prefeita, não por acaso estará em cargo estratégico, com relação direta com a massa-gente e diversos programas assistenciais.

Lorena, Rosalba e Kadu em momento da diplomação no último dia 19, mas com olhar em 2018 (Foto: Web)

Indicador mais do que forte de ser o nome do rosalbismo à Assembleia Legislativa em 2018, onde a família Rosado-Ciarlini deixou de ter representante com a não-reeleição de Ruth Ciarlini (irmã de Rosalba) em 2006.

Até bem pouco tempo, o nome mais comentado nos intramuros do rosalbismo para ser essa escolha, era do marqueteiro da própria Rosalba na campanha deste ano, seu filho Kadu Ciarlini.

Ungida à Ação Social, Lorena aparece como verdadeiro nome à disputa. Para ser “nomeada” nas urnas, previsivelmente.

Nas eleições à Assembleia Legislativa em 2014, o rosalbismo fez aliança pontual com o ex-prefeito (duas vezes) de Areia Branca Manoel Cunha Neto (PHS), o “Souza”, numa dobradinha com o agrônomo Beto Rosado (PP), sobrinho-afim de Rosalba. Os dois conseguiram se eleger.

Puro-sangue

Para 2018, com a Prefeitura em mãos, o rosalbismo sinaliza que quer repetir fórmula “puro-sangue” que aconteceu antes, à época em que Rosalba foi prefeita, ensejando a eleição de Ruth duas vezes.

Quando saiu da Prefeitura para ser candidata ao Senado (eleita em 2006) e ao Governo do Estado (eleita em 2010), o espaço foi ocupado pelo médico Leonardo Nogueira (DEM). Não por coincidência, na municipalidade estava sua mulher, a enfermeira Fafá Rosado (DEM, hoje PMDB).

Na tentativa de se reeleger para terceiro mandato em 2014, Nogueira não teve êxito. Na Prefeitura, não por coincidência, Fafá já não estava mais. O prefeito era Francisco José Júnior (PSD), eleito em pleito suplementar meses antes (4 de maio).

Francisco optou por apoiar àquele ano o ex-prefeito de São Miguel Galeno Torquato (PSD), região do Alto Oeste, um estranho ao eleitor e à cidade, mas que saiu vitorioso e com votação expressiva em Mossoró (12.306 votos).

Leonardo Nogueira sonhava com o apoio de Francisco, que não houve. Sua votação no município não passou de 9.111 votos.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
domingo - 02/10/2016 - 23:52h
Bye Bye!

Ex-prefeita e ex-deputado seguem sem rumo e sem prumo


Fafá e Leonardo: ô luta medonha (Foto: arquivo)

Se faltava mais alguma coisa para a ex-prefeita Fafá Rosado (PMDB dissidente), ex-deputado estadual Leonardo Nogueira & Seus Cabras da Pestes saírem da política, não falta mais.

Procuraram sombra no palanque do candidato a prefeito pela Coligação Unidos Por Uma Mossoró Melhor, Tião Couto (PSDB).

Não acrescentaram nada.

Sem vitória nas urnas do candidato, ficaram novamente sem rumo e sem prumo.

Com o grupo da ex-governadora Rosalba Ciarlini (PP), eleita hoje à Prefeitura de Mossoró pela quarta vez, já tinham sido descartados quando Fafá pleiteava vaga de vice.

Talvez agora caiam na real.

Ô luta medonha!

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Eleições 2016 / Política
segunda-feira - 29/08/2016 - 11:02h
Coligação Todos por uma Mossoró Melhor

Fafá e Leonardo se integram hoje à campanha de Tião e Jorge


A ex-prefeita Fafá Rosado (PMDB) e seu marido e ex-deputado estadual Leonardo Nogueira (PMDB) vão ser apresentados hoje à militância dos candidatos a prefeito e vice Tião Couto (PSDB) e Jorge do Rosário (PR) em Mossoró.

O casal anunciou oficialmente na última sexta-feira (26) – veja AQUI - o apoio à chapa da Coligação Todos por uma Mossoró Melhor.

A apresentação será às 19h no Espaço 45, imóvel que está localizado ao lado do antigo Lizete Buffet no centro da cidade.

Fafá e Leonardo não participaram da programação dos candidatos nesse último final de semana.

Acompanhe nosso Twitter AQUI. Notas e comentários mais ágeis.

Categoria(s): Eleições 2016 / Política
sexta-feira - 26/08/2016 - 19:40h
Mossoró

Fafá Rosado e Leonardo anunciam apoio a Tião e Jorge


A ex-prefeita Fafá Rosado (PMDB) – por duas vezes – pegou um rumo na campanha municipal de Mossoró. Anunciou hoje, ao lado do marido e ex-deputado estadual de dois mandatos, Leonardo Nogueira (PMDB), apoio à chapa Tião Couto (PSDB)-Jorge do Rosário (PR), da Coligação Todos por uma Mossoró Melhor.

Fafá trabalhou durante vários meses e chegou a divulgar por setores da imprensa, que era nome “certo” para ser vice da hoje candidata Rosalba Ciarlini (PP).

Fafá e Leonardo: quatro mandatos (Foto: arquivo)

Não vingou. Seu nome sequer foi cogitado no grupo da ex-governadora e ex-prefeita Rosalba Ciarlini para ocupar espaço na chapa majoritária.

Insatisfeita, sequer participou da convenção municipal do seu partido e entregou a presidência da sigla através de uma representante (veja AQUI).

Nesse espaço de tempo, testemunhou a grande maioria das pessoas próximas a si desembarcarem na campanha de Rosalba.

Cláudia Regina, Rosalba e Carlos Augusto

Para não ficar isolada e à margem do processo eleitoral, ela chega à campanha de Tião e Jorge. Porém saiu atirando na liderança de Rosalba e do seu marido, ex-deputado estadual Carlos Augusto Rosado (veja AQUI). Para ela, o casal a “descartou” de forma ingrata.

Por lá, um pouco antes, já tinha aportado a ex-prefeita que sucedeu Fafá na Prefeitura, Cláudia Regina (DEM) – veja AQUI.

Há profunda e rápida desnutrição no capital político-eleitoral de Fafá Rosado, que o próprio processo sucessório municipal revela. Veja AQUI em postagem especial do Blog.

Mesmo seu apoio à Coligação Todos por uma Mossoró Melhor, não chega a ser consenso. Internamente, duas correntes discutiram se era salutar ou não contar com ela e Leonardo, além do seu irmão – agitador cultural Gustavo Rosado – no palanque (veja AQUI).

Acompanhe nosso Twitter AQUI. Notas e comentários mais ágeis.

Categoria(s): Eleições 2016 / Política
quarta-feira - 10/08/2016 - 16:30h
Verdade dos fatos

Fafá Rosado e seu esquema vivem como “almas penadas”


A ex-prefeita Fafá Rosado (PMDB) e seu esquema ainda estão zanzando por aí, como almas penadas, verdadeiros zumbis da política mossoroense na sucessão municipal 2016.

Como este Blog cantou há incontáveis milênios, ela não saiu em faixa própria à Prefeitura de Mossoró.

Como este Blog antecipou há incontáveis séculos, ela não seria a vice de Rosalba Ciarlini (PP).

Por quê?

No passado, Rosalba, Fafá e Leonardo pareciam um só grupo (Foto: reprodução da Web)

Simples: falta de capital eleitoral e capacidade mínima de articulação.

Nem mesmo as lideranças do seu partido, o PMDB, fizeram maior pressão para uma coisa ou outra. Jogaram a toalha (veja AQUI).

A ex-prefeita não pode se queixar de ninguém, utilizando o velho complexo de transferência de culpa, para posar de vítima. Fafá é vítima de suas próprias limitações, isso sim.

Nunca soube ser prefeita e entregou a direção da Prefeitura (em duas gestões) ao irmão menor, o caçula da prole de Dix-neuf Rosado e Odete, agitador cultural Gustavo Rosado.

Mossoró sabe, qualquer pessoal razoavelmente bem-informada sabe, que Fafá foi marionete nas mãos de Gustavo. Ela apenas assinava papeis, normalmente sem ler ou ser melhor informada quanto ao conteúdo.

Desde então, como prefeita, Fafá Rosado perdeu o que tinha de melhor como política: a capacidade de se inter-relacionar com a massa-gente.

Depois que saiu da Prefeitura, tudo ficou ainda pior: assumiu o PMDB, sem nunca ter o dirigido de verdade; foi candidata a deputado federal, sem sucesso; tentou ser vice de Rosalba, sem nunca sequer ter sido lembrada pelo rosalbismo para esse fim.

Em relação à própria Rosalba, Fafá e seu esquema não podem choramingar falta de apoio, prestígio etc. Alto lá!

Fafá e seu esquema devem a bonança a partir de duas eleições municipais, que viabilizaram dois mandatos de deputado estadual pro seu marido (Leonardo Nogueira-PMDB), à Rosalba e seu grupo.

De Fafá, Leonardo e Gustavo, Rosalba ganhou demonstrações de desprezo e ingratidão.

Só para lembrar: Leonardo votou contra o desejo dela de ser candidata à reeleição ao Governo do Estado em 2014, na votação interna do DEM, partido dos dois à época.

Meses antes, já tinha se apresentado como “liderado” do então prefeito interino Francisco José Júnior (PSD), candidato posteriormente a prefeito na eleição suplementar de Mossoró (2014), isolando Rosalba.

Agora, em 2016, coincidência ou não Rosalba deixou Fafá Rosado e seu esquema ‘arrastando asas’ até a 25ª hora, para ignorá-los. Preferiu apostar no apoio do grupo da prima e também adversária, ex-deputada federal Sandra Rosado (PSB).

Quanto ao futuro de Fafá e seu esquema, é provável que apenas fiquem vivos. Serão penduricalhos, anexo ou força auxiliar de outro grupo forte.

Como grupo, nunca existiu. E Fafá, nem prefeita foi. O agitador cultural Gustavo Rosado que o diga.

Acompanhe nosso Twitter AQUI. Notas e comentários mais ágeis.

Categoria(s): Política
  • Lion, Moda Masculina, de João Paulo Araújo - 11-08-15
sexta-feira - 05/08/2016 - 18:10h
Foi por pouco...

Temendo vexame, Fafá Rosado evita postulação a vereador


Mossoró terá dois ex-deputados federais, primos, como candidatos a vereador.

Fafá: decepção e recuo (Foto: arquivo)

Ambos, nomes graúdos do clã Rosado

Mas poderia ser mais.

Além do anúncio já feito de Sandra Rosado (PSB) e Betinho Rosado (PP), a ex-prefeita Fafá Rosado (PMDB) andou saçaricando para empinar igual projeto.

Consciente de que fora descartada do posto de vice de Rosalba Ciarlini (PP), a conversa de ser candidata a vereador foi acalentada no seio familiar.

Terminou não prosperando.

O temor, de gente mais sensata, era de que ela passasse por um último e terrível vexame. Pior do que experimentou em dose dupla em 2014, quando não se elegeu à Câmara Federal e viu o marido, deputado Leonardo Nogueira (DEM), não se reeleger à Assembleia Legislativa.

Acompanhe nosso Twitter AQUI. Notas e comentários mais ágeis.

Categoria(s): Política
terça-feira - 12/07/2016 - 10:56h
Mossoró

Disputa por vice leva clã Rosado à situação de estresse extremo

Grupo de Sandra e esquema de Fafá têm luta delicada e um dos lados poderá fazer o papel de trouxa

O grupo da ex-deputada federal Sandra Rosado (PSB) faz um esforço hercúleo para ter um nome a vice na chapa à Prefeitura de Mossoró, encabeçada pela ‘adversária’ Rosalba Ciarlini (PP).

Empina a postulação do vereador Lahyrinho Rosado (PSB) como ‘certa’.

Na concorrência frenética também está o esquema da ex-prefeita Fafá Rosado (PMDB), prima de Sandra – veja postagem abaixo ou AQUI.

Sandra e Rosalba podem fazer composição mesmo em meio a enorme fosso entre ambas (Foto: Raul Pereira)

Seus defensores juram de pés juntos, mãos postas para o céu e olhos rútilos no infinito, que a ex-prefeita é que deve ser ungida.

O que é certo, sem qualquer preferência por “a” ou “b”, é que um dos lados fará papel de trouxa.

Sobrará li-te-ral-men-te.

Mas há uma outra hipótese: os dois podem sobrar.

A aspiração de Fafá e de Sandra tem razão de ser. Em jogo, não há qualquer afinidade política com Rosalba ou espirito público, em nome da “reconstrução” de Mossoró, digamos.

Devastação de capital político

As eleições de 2014 provocaram devastação no capital de votos e de poder do grupo de Sandra Rosado e no esquema de Fafá Rosado. Afetaram o clã Rosado em si. A própria Rosalba também saiu no prejuízo (sem mandato), que pode começar a ser recuperado este ano, caso se eleja pela quarta vez à Prefeitura.

Sandra não foi reeleita, quando tentava o quarto mandato consecutivo à Câmara Federal.

Sua filha e ex-deputada estadual Larissa Rosado (PSB) também não se reelegeu, além de ter capitalizado no mesmo ano a quarta derrota seguida à Prefeitura, no pleito suplementar que teve o vereador Francisco José Júnior (PSD) eleito.

Quanto à Fafá, o prejuízo também foi considerável. Uma eleição vista internamente em seu grupo como “certa” à Câmara Federal, acabou se transformando em votação pífia.

Senado

Seu marido, o deputado estadual Leonardo Nogueira (do DEM, hoje no PMDB), terminou derrotado na tentativa de se manter na Assembleia Legislativa para o terceiro mandato.

No passado, Rosalba, Fafá e Leonardo eram um só grupo; depois... (Foto: reprodução da Web)

Rosalba seria a tábua de salvação. Mas só há uma cadeira de vice.

Eis a questão.

Com projeto de ser candidata novamente ao Senado, como fora eleita em 2006, Rosalba Ciarlini tem que avaliar não apenas qual melhor opção para ser o seu vice-prefeito, mas quem lhe seria mais confiável ou menos prejudicial, a curto e médio prazos.

Com sua hipotética eleição, renúncia e candidatura ao Senado já em 2018, o vice precisa ser alguém em quem possa confiar.

Sandra e seu grupo são adversários históricos, com alguns momentos de acordos pontuais de bastidores, cada um do seu lado, mas também de muitas mágoas.

Quanto à Fafá e seu esquema, as lembranças também não são das melhores. Prefeita com apoio de Rosalba, ela paulatinamente foi isolando Rosalba, Carlos e seus aliados até se transformar em adversária deles.

Sincera hipocrisia

Enfim, em relação às opções postas ou que se oferecem, a convivência de Rosalba com elas é marcada por uma máxima que sempre repetimos:

- O que há de mais verdadeiro nessa relação é uma sincera hipocrisia.

Sob a ótica da política, a união não é impossível. É pouco provável. Ao optar por um desses ramos familiares, o rosalbismo excluirá o outro.

Unida a um deles ou a ambos, sabe-se lá como, dará discurso consistente para opositores.

Ainda precisa ser analisado o seguinte: Rosalba precisa de um desses apoios ou dos dois para ser eleita à Prefeitura de Mossoró?

Esmiuçando números de pesquisas e sob outras análises, é possível se observar que quem acrescenta maiores dividendos eleitorais é o grupo de Sandra Rosado, mesmo que Rosalba tenha de dar muitas explicações durante os 45 dias de campanha. Fafá nem grupo possui; voto, então…

Como já asseveramos antes em várias matérias ao longo de muitos anos, um dia os Rosado estarão juntos, mesmo com suas diferenças e idiossincrasias. Mas para isso, precisarão se defrontar com um adversário comum e muito forte, capaz de aniquilá-los politicamente.

Chegou esse tempo?

Talvez não.

* Aguarde mais postagem sobre esse assunto, com informações de bastidores.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
  • Lion, Moda Masculina, de João Paulo Araújo - 11-08-15
segunda-feira - 06/06/2016 - 17:16h
Leonardo Nogueira e Fafá Rosado

Fafá e ex-deputado conversam sobre sucessão mossoroense


No início da tarde desta segunda-feira (6), o deputado federal Walter Alves (PMDB) participou, em Natal, de uma reunião que contou com participação da ex-prefeita e pré-candidata a prefeita de Mossoró, Fafá Rosado (PMDB) e o ex-deputado estadual Leonardo Nogueira (DEM).

No encontro, foram discutidos alguns problemas enfrentados pela população do município.

Leonardo, Fafá e Walter estiveram reunidos à tarde de hoje (Foto: cedida)

Durante a reunião, Fafá e Leonardo explicaram ao deputado que a população de Mossoró está sofrendo com sérios problemas causados pela atual gestão municipal.

Atraso no pagamento de salários de funcionários, deficiência na limpeza púbica, falta de obras e saúde precária foram algumas das situações pontuadas.

Além do atual cenário no segundo maior município do Rio Grande do Norte, Walter, Leonardo e Fafá falaram sobre o pleito eleitoral deste ano.

Fafá é nome posto à sucessão pelo PMDB.

Com informações da Assessoria de Imprensa de Walter Alves.

Categoria(s): Política
domingo - 29/05/2016 - 22:28h
Mossoró

Insucessos pesam sobre personagens da campanha 2014


O ministro do Turismo, ex-deputado federal Henrique Alves (PMDB), retornou nesse sábado (28) a Mossoró para programação político-eleitoral do seu partido (veja AQUI). Repetiu um pouco do que fez em 2014, quando foi candidato a governador.

As lembranças mossoroenses mais recentes dele e de seus aliados locais não são das melhores, além dos próprios infortúnios políticos. Na volta à cidade, Henrique até repetiu parte do “script” da campanha de 2014, que lhe causou considerável vexame em Mossoró.

Promoveu evento do seu partido dirigido a pré-candidatos, através da Fundação Ulysses Guimarães – na Câmara Municipal. Mas participação teve comparecimento modestíssimo. Seu PMDB segue desarticulado em Mossoró.

Insucessos

Como em 2014, Henrique esteve em separado com seus principais apoios. Visitou a prefeita cassada Cláudia Regina (DEM), conversou com a ex-deputada federal Sandra Rosado (PSB) e dividiu mesa na Câmara com Fafá.

Em 2014, sua campanha em Mossoró teve três palanques. As três lideranças nas se “bicavam” e ele não conseguiu juntá-las. Compreensível duas derrotas expressivas para Robinson Faria (PSD), nos dois turnos eleitorais. Terminou sem mandato.

Cláudia teve cassação e inelegibilidade por oito anos confirmadas posteriormente, Sandra e a filha (então deputada estadual Larissa Rosado-PSB) não se reelegeram, Fafá não obteve êxito à Câmara Federal e seu marido não voltou à Assembleia Legislativa.

Toc, toc, toc. Três batidas na madeira, galhinho de arruda e banho de sal grosso vão fazer bem a todos, além de não repetir certos erros evidentes demais.

Categoria(s): Política
  • Repet
terça-feira - 18/08/2015 - 06:40h
Política e negócios

Saúde é o que interessa


O ex-deputado estadual Leonardo Nogueira, sua mulher e ex-prefeita mossoroense Fafá Rosado (PMDB) preparam pesado investimento financeiro em Mossoró.

O foco é o segmento de saúde.

Quem também deve entrar na empreitada é o agitador cultural Gustavo Rosado, irmão de Fafá, que em suas duas gestões municipais fora o “prefeito de fato”.

Categoria(s): Política
sábado - 25/07/2015 - 20:49h
Mossoró

PMDB de Fafá convive com decadência e futuro incerto

Partido tem vereadores e históricos distantes e sem comando possa revitalizá-lo para eleições 2016

A passagem do ministro Henrique Alves (PMDB) e senador Garibaldi Filho (PMDB) por Mossoró nessa última sexta-feira (veja AQUI), para começar a rearrumar o partido às eleições do próximo ano, não poderia ser mais frustrante. A sigla continua como dantes: desarrumada, sucateada, esvaziada, dividida. Seu futuro é incerto no segundo maior colégio eleitoral do estado.

Fafá, Henrique e Leonardo na campanha de 2014: PMDB fragilizado. Derrotas humilhantes (Foto: campanha)

Em entrevistas e discursos, claro que não. Tudo parece diferente. É o melhor dos mundos.

O comando partidário nas mãos da ex-prefeita Fafá Rosado (ex-DEM), desde final de junho do ano passado, até aqui não propiciou qualquer fortalecimento ao PMDB. Sua própria chegada em 2013, quase nada acrescentou, haja vista que prometeu filiação em massa e de nomes representativos, mas isso não aconteceu.

Para se ter uma dimensão desse quadro, os três vereadores do PMDB na Câmara Municipal não seguem a postura de oposição do comando partidário estadual. Alex Moacir, Izabel Montenegro e Claudionor dos Santos são da base do prefeito adversário Francisco José Júnior (PSD).

Inércia

O PMDB de Mossoró ficou cerca de 20 anos nas mãos do grupo da ex-deputada federal Sandra Rosado (PSB). Depois, o próprio Henrique e Garibaldi decidiram evitar novo controle partidário fora do alcance de ambos. Esteve entregue à Izabel Montenegro, que terminou catapultada da presidência.

Pressões políticas do esquema de Fafá no ano passado, às vésperas da campanha em que Henrique foi candidato a governador, fizeram-no capitular. Aboletou Fafá na presidência (veja AQUI).  De lá para cá, entretanto, o partido praticamente não saiu da inércia. E Henrique teve duas derrotas acachapantes em Mossoró.

Em pouco mais de um ano de comando do PMDB mossoroense, Fafá não fez sequer uma reunião com filiados, não abriu nenhum diálogo com novas forças políticas ou de outras legendas. Não estabeleceu metas mínimas de reestruturação. É, sem ser. Nem parece que é presidente do PMDB. Não é vista ou notada.

Para piorar o cenário, chegou ao ponto de indicar como membros de Comissão Provisória do PMDB, duas pessoas de sua família que sequer eram filiadas ao partido, seu sobrinho Arturo Rosado e o filho Jerônimo Rosado. Os dois foram oficializados assim mesmo.

Veja AQUI a postagem do dia 3 de julho de 2014, sob o título “Fafá ‘ocupa’ PMDB’ com familiares que sequer são filiados”.

É ainda mais surreal e inconsistente a tese de que a ex-prefeita é “pré-candidata” a prefeito. Quem vende esse projeto é gente de seu absoluto círculo familiar, como o marido e ex-deputado estadual Leonardo Nogueira (veja AQUI). Isso, sob a tese de suposto “clamor popular” à sua volta.

Falso “apelo”

Esse hipotético “apelo” do povo não sobrevive a uma volta em torno da Praça Bento Praxedes, a chamada “Praça do Codó”, onde Fafá morou toda sua infância e adolescência.

A ex-prefeita não conseguiu sequer se eleger deputada federal o ano passado. Seu marido não se reelegeu como deputado estadual. Só tem o vereador Francisco Carlos (PV) como nome de proa e com mandato na atualidade.

Em oito anos de mandato como prefeita, ela não conseguiu firmar-se como liderança ou formatar um grupo. Era conhecida como “Prefeita de direito”. De fato mesmo era seu irmão menor, agitador cultural Gustavo Rosado (PV).

Os três vereadores do partido não a ouvem, não a seguem. Atuam de forma independente e para onde o nariz aponta, ou seja, a direção do Palácio da Resistência (sede da Prefeitura).

“Hub” partidário

Hoje, Fafá Rosado saracoteia para ser ungida candidata pelas mãos da ex-governadora Rosalba Ciarlini (sem partido). Para isso, se for o caso, vai se filiar ao partido que a ex-governadora escolher. O PMDB é uma conexão, espécie de “Hub” partidário, se for o caso.

A expectativa de Fafá Rosado, é que Rosalba não escape de julgamento final no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e torne-a candidata à Prefeitura de Mossoró em 2016. Até o momento, a ex-governadora continua inelegível por oito anos.

O PMDB segue definhando onde foi protagonista durante décadas, primeiramente sob a sigla “MDB” (Movimento Democrático Brasileiro), no período do regime militar.

Continua como penduricalho de Fafá e seu esquema. “Arrendado” até quando for útil. Só isso.

Veja mais notícias e notas em primeira mão em nosso TWITTER clicando AQUI.

Categoria(s): Política / Reportagem Especial
  • Repet
quarta-feira - 15/07/2015 - 23:38h
Dinâmica política

Leonardo vê Fafá como ‘candidata’ e acena à Sandra Rosado


Para o ex-deputado estadual Leonardo Nogueira (DEM), “se vendeu os votos de Mossoró (sic)” nas últimas eleições. Em sua ótica, em parte isso explica por que o município não ter um representante nativo na Assembleia Legislativa.

Fafá e Leonardo: o médico e a "candidata" (Foto: Web)

Sua manifestação foi agora à noite, ao programa Cenário Político da TV Cabo Mossoró (TCM).

- O meu futuro é medicina. Sou realizado com medicina – acrescentou, descartando projeto pessoal de retorno à disputa eletiva. Em seu entendimento, a política acaba sendo muito ingrata.

Mas em relação à sua mulher, ex-prefeita Fafá Rosado (PMDB), é diferente:

- Hoje ela é candidata. As pessoas estão falando muito dela.

Leonardo também não descartou uma futura composição com o grupo da ex-deputada Sandra Rosado (PSB). Uma hipótese palpável, admitiu.

Até lembrou que a ex-deputada estadual e filha de Sandra, Larissa Rosado (PSB) tinha papel importante na AL, somando para Mossoró.

Veja bastidores da notícia em nosso TWITTER clicando AQUI.

Categoria(s): Política
segunda-feira - 02/02/2015 - 07:02h
Mossoró

Fafá Rosado sonha com novo espaço em Prefeitura


O esquema da ex-prefeita mossoroense Fafá Rosado (PMDB) emitiu sinais na direção do prefeito mossoroense Francisco José Júnior (PSD).

Por enquanto, sem retorno positivo ou negativo.

Uma recomposição política é o sonho de Fafá e companhia. Ela é seu esquema o apoiaram à Prefeitura no pleito suplementar de 2014, mas racharam antes das eleições estaduais.

Estão sem mandatos, sem espaços na Prefeitura, Estado e União.

Ela teve votação sofrível à Câmara Federal e seu marido Leonardo Nogueira (DEM) não se reelegeu à Assembleia Legislativa, também com performance pífia.

Categoria(s): Política
domingo - 28/12/2014 - 08:31h
Estrada

“Rota do Sol Nascente” é entregue oficialmente à Costa Branca


A governadora Rosalba Ciarlini (DEM) inaugurou, neste sábado (27), a obra de duplicação da RN-013, que liga Tibau, no litoral norte do Estado, a Mossoró. A expectativa é que a ampliação fomente o turismo e proporcione mais segurança aos tibauenses que se deslocam para Mossoró constantemente, divulga o seu Governo.

“Com uma estrada preparada para receber os turistas que chegam o resultado é mais oportunidade, desenvolvimento econômico, geração de trabalho e renda; uma estrada com toda infraestrutura significa mais segurança para os filhos da terra e seus visitantes, então é com imensa alegria que chegamos a este momento”, declarou a Governadora após o descerramento da placa de inauguração ao final da tarde, na área urbana de Tibau, Avenida Governador Tarcísio Maia.

Rosalba, Souza e Naldinho: obra importante para economia regional (Foto: divulgação)

A cerimônia foi acompanhada pelo Prefeito de Tibau, Josinaldo Souza (PSD) “Naldinho”, pelo Deputado Federal, Betinho Rosado (PP), pelo Deputado Estadual Leonardo Nogueira (DEM), pelo Deputado Federal Diplomado Betinho Rosado Segundo (PP), pelo Deputado Estadual Diplomado Manoel Cunha Neto (PHS) “Souza”, pelo Chefe do 1º Distrito Rodoviário do DER, Nilton Rêgo, pelo Presidente da Câmara de Areia Branca, Sandro Góis (PV), pela ex-Deputada Estadual Ruth Ciarlini (DEM), vereadores e lideranças políticas locais.

A RN-013, chamada também de “Rota do Sol Nascente”, tem 28 km de extensão e a principal porta de entrada para Tibau e se transforma em equipamento indispensável ao turismo da região conhecida como Costa Branca.

“Precisamos fortalecer Tibau como destino turístico e essa obra, aliada a outras de infraestrutura, é necessária e só alguém que conhece o polo Costa Branca, como a Governadora, para ter a sensibilidade de realizar”, disse o Deputado Estadual Diplomado Manoel Souza.

A principal expectativa com relação a estrada é que seja possível atrair mais turistas para a cidade.

“É uma alegria recebermos esta obra, estamos gratos a Governadora, e o município também está fazendo sua parte com o início da urbanização da Praia das Emanoelas e a pavimentação de ruas, pois sabemos do nosso potencial”, esclareceu o Prefeito de Tibau.

Com informações das Assessorias de Imprensa do Governo do Estado e da Prefeitura do Tibau.

Categoria(s): Administração Pública
segunda-feira - 22/12/2014 - 22:19h
De olho em 2016

Fafá e Leonardo buscam novo rumo partidário


O esquema da ex-prefeita Fafá Rosado (PMDB) e do ainda deputado estadual Leonardo Nogueira (DEM) procura uma nova sigla para se abrigar.

Tenta tomar um rumo.

Contudo já tem pelo menos uma direção.

Quer porque quer, novamente, a companhia da governadora Rosalba Ciarlini (DEM) – no partido que ela escolher depois que sair do Governo.

Pretendem largar o PMDB do líder Henrique Alves, derrotado ao Governo do Estado.

Já deu o que tinha que dar.

A propósito, promoveram enorme pressão para a tomada do partido em Mossoró, mas devem vomitá-lo aos pedaços, sem qualquer contribuição ao seu fortalecimento.

O casal está de olho nas eleições municipais de 2016.

Aposta que sendo inelegível, Rosalba possa apoiar novamente Fafá à Prefeitura, unindo parte do clã Rosado.

Eles também sonharam na reeleição de Leonardo à Assembleia Legislativa neste 2014 e na eleição de Fafá à Câmara Federal, também no pleito deste ano.

Deu no que deu.

Derrotas homéricas e humilhantes.

Categoria(s): Política
  • Lion, Moda Masculina, de João Paulo Araújo - 11-08-15
quinta-feira - 18/12/2014 - 04:13h
De volta ao futuro

Esquema de Fafá começa saçaricado na direção da “Rosa”


Nos bons tempos era só alegria (Foto: reprodução da Web)

O esquema da ex-prefeita Fafá Rosado (PMDB) começou saçaricado na direção da ainda governadora Rosalba Ciarlini (DEM).

O deputado estadual em fim de mandato, Leonardo Nogueira (DEM), então…

Ele parece que está com um GPS à mão, monitorando programação da “Rosa”.

Coisa que não acontecia há muitos e muitos meses.

Onde ela aporta, lá está ele.

O casal Fafá-Leonardo cresceu à sombra do grupo da governadora. Tentou alçar voo próprio e não conseguiu sequer ser liderado – por muito tempo – do atual prefeito mossoroense Francisco José Júnior (PSD).

Resta saber  se Rosalba topa uma reaproximação, após tantos desapontamentos e até humilhações sofridas.

Bom perguntar ao maridão da Rosa, Carlos Augusto Rosado (sem partido).

Ele tem comentários sempre muito ríspidos sobre a patota.

Categoria(s): Política
domingo - 09/11/2014 - 13:27h

Só Rindo (Folclore Político)


Um “esconde-esconde” surpreendente

Apressada para ir à rua à cata de votos, Fafá Rosado (ex-prefeita de Mossoró) deixa para trás o marido e deputado estadual Leonardo Nogueira.

O ritmo dele, a ex-prefeita sabe, é aquele mesmo: lento… de olhar oblíquo… quase parando.

Contudo em trânsito, Fafá constata que algo imprescindível ficara em sua mansão. De imediato, orienta o motorista a retornar ao seu endereço.

Meia volta, volver.

Depois de pegar o que esquecera, procura sair de novo às pressas.

Nesse ínterim, chama o marido repetidas vezes. Ele não responde.

Ao passar por um dos compartimentos do seu labirinto familiar, ela vê um par de pés proeminentes saindo da base de uma longa cortina.

- Leonardo, deixe de brincadeira.

E insiste, já deixando desabrochar um sorriso brejeiro: “Leonardo, deixe de brincadeira!”

Sem observar qualquer movimento à sua provocação, Fafá resolve desfazer o “esconde-esconde” puxando a cortina com a mão em sentido horizontal.

Da camuflagem salta um desconhecido em disparada, que foge sem roubar nada, e a deixa paralisada ante à surpresa.

Não era brincadeira de Leonardo.

Categoria(s): Folclore Político
  • Repet
terça-feira - 28/10/2014 - 07:13h
Francisco José Júnior

Prefeito articula liderança própria além dos limites de Mossoró


Olhares menos atentos podem imaginar que o prefeito Francisco José Júnior (PSD) fortaleceu sua imagem de liderança emergente, apenas com as vitórias superlativas de seus candidatos em Mossoró. Ledo engano.

Cláudia começou voo; Francisco sabe como fazer (Foto: arquivo)

Também pesa na contabilidade a seu favor, articulações além dos limites mossoroenses no segundo turno.

A atração do prefeito pau-ferrense Fabrício Torquato (DEM) para apoio ao governador eleito Robinson Faria (PSD) e, outras intervenções, mostraram sua destreza nos bastidores.

O prefeito “Silveira” avança para ser uma referência regional. Esforça-se para ir mais além, agora sob o incentivo incisivo de Robinson.

Faz exatamente o contrário do que teve oportunidade, nas mãos, mas não ousou em qualquer momento, a ex-prefeita Fafá Rosado (DEM, hoje no PMDB).

Ela ficou oito anos na prefeitura (dois mandatos), mas nunca conseguiu formar grupo próprio e não percebeu a necessidade de expandir eventual liderança para outros municípios.

Não é do ramo

Pagou caro pelo primarismo. Nitidamente não é do ramo.

Ficou no ramerrame paroquial cavilosamente “estatizando” boa parte da imprensa e vaquejando vereadores. Iludiu-se com a ideia de que era “líder”.

A prova da estratégia errada veio agora com eleição à Câmara Federal. Fafá não se elegeu e teve votação paupérrima dentro e fora de Mossoró. Seu marido e deputado estadual Leonardo Nogueira (DEM), da mesma forma.

A imprensa já não lhe fez mais tantos afagos como antes e dos vereadores, apenas Francisco Carlos (PV) a seguiu.

Quem começou a fazer diferente foi Cláudia Regina (DEM), prefeita cassada e afastada, que substituiu Fafá Rosado. Começou a mil, que se diga.

Revitalizou a Associação dos Municípios do Oeste do Rio Grande do Norte (AMORN), passou a presidi-la e maquinava voo mais alto, quando perdeu mandato. Com a maior parte da imprensa e vereadores fez o de sempre. Fora do poder, recebeu deles o de sempre: desprezo.

Francisco José Júnior, diante dos dois exemplos, já sabe exatamente o que fazer e o que não fazer.

Categoria(s): Política
segunda-feira - 27/10/2014 - 09:07h
Óbvio ululante

Desmoronamento de Henrique em Mossoró “estava escrito”


Candidato derrotado ao Governo do Estado, o presidente da Câmara Federal Henrique Alves (PMDB) teve em Mossoró a dimensão da fragilidade de apoios que recebeu. Sua postulação nunca foi prioridade.

No segundo turno, ele ficou entregue à própria sorte e todo esforço para unificar trabalho em seu favor foi em vão. Deu no que  deu. Mais do que previsível o estrago.

Apesar de contar com duas ex-prefeitas (Fafá Rosado-PMDB e Cláudia Regina-DEM), dois deputados estaduais (Larissa Rosado-PSB e Leonardo Nogueira-DEM) e uma deputada federal e também ex-prefeita (Sandra Rosado-PSB) como referências, Henrique foi “presa” fácil para a candidatura do governador eleito Robinson Faria (PSD).

Ele teve 29.494 (32,25%) votos em Mossoró no primeiro turno e 31.484 (28,34%) no segundo.

Só aumentou seu capital eleitoral 1.990 votos de um turno para o outro.

Já Robinson Faria ampliou sua votação em 26.733 votos de uma eleição para a seguinte.

Desmoronamento

Teve 52.886 (57,82%) no primeiro turno, com maioria de 23.392 (25,57%) votos.

Agora, 79.619 (71,66%). Maioria de 48.135 (43,32%).

Em pelo menos duas postagens, o Blog antecipou que o desmoronamento seria ampliado.

Veja AQUI a matéria “Dimensão de disputa em Mossoró é em números”, no dia 22 deste mês.

Antes, matéria analítico-opinativa dizia no dia 9 de outubro, quatro dias após eleições do primeiro turno: “Mossoró pode causar outro estrago em candidatura” (veja AQUI).

Dava diagnóstico do que fora o primeiro turno no município:

O rosalbismo em parte considerável votou no que considera um “mal menor”: Robinson. Ou nulo/branco.

A campanha de Robinson imperou praticamente sozinha, sob as ordens do prefeito Francisco José Júnior (PSD).

A campanha de Henrique foi marcada pela ausência de comando central e fracionamento de forças, além de vaidade e litigância entre seus principais apoios – Fafá Rosado (PMDB), Cláudia Regina (DEM) e Sandra Rosado (PSB) -, que tangiam outras prioridades.

Os recursos também foram escassos. Chegou ao final catando centavos e cada um no seu quadrado, se lixando para a chapa majoritária, que quase não teve campanha a maior parte do tempo.

Categoria(s): Política
  • Lion, Moda Masculina, de João Paulo Araújo - 11-08-15
sexta-feira - 24/10/2014 - 07:50h
Leonardo Nogueira e Fafá Rosado

Construtora adquire mansão de deputado e ex-prefeita


Rosário: negócio fechado

A Repav (Rosário Edificações e Pavimentação Ltda), uma das mais conceituadas empresas mossoroenses da área da construção civil, adquiriu a mansão do casal deputado estadual Leonardo Nogueira (DEM)-ex-prefeita Fafá Rosado (PMDB).

O endereço fica no bairro Santo Antônio.

Os números – vultosos – do negócio não foram revelados.

Acerto aconteceu antes das eleições do primeiro turno.

Por lá deverá ser erguido outro arranha-céu.

O projeto não tem pressa, pactuaram comprador e negociadores.

O engenheiro Jorge do Rosário – que também é dirigente esportivo, presidente do Potiguar – é o comandante-em-chefe da Repav.

Categoria(s): Economia / Política
quinta-feira - 23/10/2014 - 10:29h
Fafá e Leonardo

Casal de deputado e ex-prefeita planeja “aposentadoria”


Fafá e Leonardo: exílio confortável

O casal deputado estadual Leonardo Nogueira (DEM)-ex-prefeita Fafá Rosado (PMDB) está  com planos novos após as eleições de domingo.

Em breve, ambos estarão fixando residência em Tibau, a pouco mais de 42 quilômetros de Mossoró.

Investiram – há alguns meses – soma vultosa em reforma de casa que já possuíam nessa cidade-praia.

Mas nem tudo está perdido politicamente.

Os dois apostam ainda numa sobrevida política, via eleição do candidato ao Governo do RN pela Coligação União pela Mudança, Henrique Alves (PMDB).

Se ele for eleito, aí sim. Os chinelos da aposentadoria ficarão de lado por mais um tempinho.

Não sendo… o exílio à beira-mar estará de excelente tamanho.

Só para lembrar: Leonardo não se reelegeu para o terceiro mandato e Fafá não conseguiu se eleger à Câmara Federal.

Categoria(s): Política
Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.