quarta-feira - 18/10/2017 - 15:54h
Política e Justiça

Talvez não fosse a hora do porrete, prefeita


Do ponto de vista político, a prefeita Rosalba Ciarlini (PP) errou feio.

Vou direto ao ponto: a interpelação judicial à Marleide Cunha, presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Mossoró (SINDISERUM), não terá qualquer efeito positivo à gestão e à governante.

Para Marleide e o Sindiserpum fará bem.

Theodore Roosevelt: diálogo e porrete têm seu momento

A sindicalista não é mártir, mas pode se tornar vítima;

O sindicato vem de um movimento grevista pífio, em que praticamente decretou sua morte, mas agora pode ser ressuscitado.

Ah, um detalhe!

A prefeita tem todo direito de utilizar a força legal e o poder público para “se defender” e à sua gestão, de supostos excessos de opositores. Entretanto em tempos de crescente desgaste, é imprescindível mais inteligência do que beligerância.

O presidente norte-americano Theodore Roosevelt, no início do século passado, aconselhava: “Fale baixinho, mas com um porrete à mão.”

Talvez não fosse a hora do porrete, prefeita. Cabia o diálogo. Cabe.

É o que penso.

Aguardarei os desdobramentos.

Leia também: Governo Rosalba interpela judicialmente dirigente sindical AQUI.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Opinião da Coluna do Herzog
sexta-feira - 13/10/2017 - 09:44h
Mossoró

Prefeitura, deficiente, compromete construção civil local


Comissão de empresários da construção civil de Mossoró pediu a interveniência da presidente da Câmara Municipal de Mossoró, Izabel Montenegro (PMDB), para buscar explicações e soluções à atuação da Secretaria Municipal de Infraestrutura, Meio Ambiente Urbanismo e Serviços Urbanos (SEMURB). A iniciativa também chegou ao Blog Carlos Santos, em tom de apelo.

São problemas que comprometem a economia da cidade, dificulta a empregabilidade e o próprio faturamento tributário da municipalidade.

Setor da construção civil fez apelo para que estrutura da Semurb seja melhorada logo (Foto: web)

Por deficiência técnica, falta de recursos e outros fatores que fogem à compreensão do setor, a Semurb está com uma limitação (que é bom que se diga, que não vem de agora, mas de outras gestões), em relação à liberação de documentação, principalmente a “Certidão de Característica e Habite-se”.

A pasta tem apenas um veículo para toda as suas atividades e não apenas às fiscalizações. O agravante, é que até o abastecimento de combustível dessa “frota” é emperrado.

“Falta até pilha no GPS, para liberação da certidão de número”, chegou a relatar o empresariado.

Resultado dessa e de outras deficiências até bizarras, é que um documento que seria emitido em cerca de 15 dias chega a levar até 30 ou 40 dias. Negócios emperrados, meio circulante comprometido drasticamente em meio a uma crise econômica ainda não debelada.

Nota do Blog – Mais uma vez o Blog Carlos Santos dá contribuição à atividade produtiva e à gestão Rosalba Ciarlini (PP) no sentido de que algo funcione na municipalidade.

Não é uma “denúncia vazia”, mas outro alerta, com sentido de colaborar com a gestão e a cidade.

É preciso que as prioridades saiam do campo da propaganda e do faz-de-conta, passando a medidas que visem enxugamento de custo e aumento de receitas, com eficiência na prestação de serviços à sociedade.

Aguardamos desdobramentos positivos.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Administração Pública / Economia
  • Repet
quinta-feira - 12/10/2017 - 11:54h
Opinião

Poder que cega e revela a burrice preexistente na política do RN


O poder fascina e faz sina. Cega, que se diga. Os exemplos podem ser pinçados aqui e ali, na quantidade que quisermos, em qualquer tempo, sem nenhuma restrição geopolítica ou ideológica. Da infância à idade outonal. Sem veto de gênero ou raça, credo etc.

No Rio Grande do Norte, os últimos anos têm revelado que proporcionalmente à implosão do erário e ao esfacelamento dos serviços públicos, o fervor ao poder cresce obsessivamente. É regra com escassas exceções.

Robinson Faria (PSD), governador, é um caso mais atual a ser analisado. Apesar de ter níveis crescentes e incontroláveis de reprovação administrativa e repulsa política, delira com olhos esbugalhados e vítreos.

Ele repete entre os que lhe rodeiam, o mantra de que será reeleito.

Friedrich Nietzsche, filósofo alemão, afirmava que “o poder emburrece”. Mas em muitos e muitos casos, ele apenas expõe a burrice preexistente. Estava lá, à espera de ser reanimada. O RN é pródigo em situações assim.

A visão de Robinson Faria, é de que numa competição de baixo nível, espécie de Liga de Acesso à Papuda, possa vencer em face da mediocridade da peleja e pelas vantagens de estar aboletado na “máquina” estatal.

É provável, porém, que ele não concorra à sucessão estadual. A motivação pode ser um choque de racionalidade ou um sopapo judicial.

Isso não tira de Robinson a característica que lhe marcou no acesso ao governo: a crença no possível.

Essa também era a firme convicção da antecessora Rosalba Ciarlini (PP), atual prefeita mossoroense, quando em 2014 ainda se saracoteou para tentar a reeleição.

Rosalba foi impedida, não pelos índices estelares de rejeição ao governo (chegou a 82% em setembro daquele ano) e à sua imagem, mas por seu partido à época. O DEM do senador José Agripino, que não lhe deu legenda à aventura.

Antes de ambos, quem esteve com essa cegueira proporcionada pelo cargo e virou verbete do fracasso (“micarlização”), foi a ex-prefeita natalense Micarla de Sousa (era do PV). Ela chegou a 91,60% de reprovação em fevereiro de 2012, último ano de sua hecatombe administrativa. Terminou ejetada da prefeitura por decisão judicial.

Nesse rol, é oportuno ser lembrado o ex-prefeito mossoroense Francisco José Júnior (PSD) numa narrativa mais recente. Ele também se via convencido de que seria reeleito ano passado, apesar de ter pesquisas com até 82% de repulsa popular.

Sua teimosia o levou a viver situação humilhante. Candidato, desistiu da luta eleitoral a poucos dias do pleito, por absoluta insuficiente de intenção de votos. Seu slogan de campanha soou ridículo no final melancólico: “Sempre resistir. Recuar, jamais!”

Em todos esses casos, a psicologia tem explicação para esse atordoamento, que colocou e coloca esses protagonistas políticos desconectados do mundo lá fora. Para que desçam do pedestal, é preciso o tal “choque de realidade”, o que não ocorre sem traumas.

Às vezes o tratamento só é possível nas urnas. Quando chegam a elas, claro. Aí o “rei” estará nu, como na parábola do dinamarquês Hans Christian Andersen. Será muito tarde.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Opinião da Coluna do Herzog / Política
quarta-feira - 11/10/2017 - 09:48h
Mossoró sem jeito

Nova maquete se incorpora a acervo do ilusionismo político

Peça de propaganda repete fórmula do Nogueirão reformado e ampliado e Santuário de Santa Luzia

A classe política de Mossoró acrescenta mais uma novidade a seu acervo de tapeações e desatinos. Na verdade, repete fórmula. Agora é a maquete da sede própria da Câmara Municipal de Mossoró que entra em cena.

Na segunda-feira (9), a prefeita Rosalba Ciarlini (PP) reuniu com pompas um elenco de vereadores, secretários e imprensa no Palácio da Resistência (sede do Executivo), para apresentar o projeto (veja AQUI) da futura sede do Legislativo. Custo do mimo: R$ 10 milhões.

A maquete do "Versailles" afronta a cidade em que pessoas morrem ou ficam mutiladas por falta de assistência (Reprodução)

Para começar, claro. Sempre aparecem depois os aditivos e não está na conta todo o acervo mobiliário, tapetes, condicionadores de ar, equipamentos de segurança etc., que a obra depois de pronta precisará para dar vida ao lugar, que ficará em terreno no Nova Betânia.

A prefeita é reincidente nessa modalidade de arte. A arte de iludir com uso de maquetes e similares.

Golpe com o Nogueirão

Em 2012, no ápice da campanha municipal, na condição de governadora do RN, ela desembarcou na cidade para apresentar a maquete do Estádio Manoel Leonardo Nogueira (Nogueirão), com promessa de investir R$ 39 milhões em reforma e ampliação.

Nunca colocou uma pá de cá no Nogueirão, que passou por várias interdições. Foi um legítimo estelionato político-eleitoral e esportivo. Sabia desde o primeiro momento que o estado, alquebrado, não teria como investir tanto recurso no empreendimento.

Mas sejamos justos. Ela não está só nesse ilusionismo que continua fazendo vítimas, com apoio da maioria da imprensa, que não se arvora a fazer o mínimo de análise crítica dos fatos, recapitulando a história recente e a reincidência nesse tipo de “enrolation”.

Em 2012, Rosalba já tinha apresentado maquete para iludir mossoroenses em algo que não botou uma pá de cal (Foto: arquivo)

O ex-prefeito Francisco José Júnior (PSD) também deixou sua contribuição. Ele apareceu com a maquete do Santuário de Santa Luzia, que seria construído no alto da Serra Mossoró.

Chegou ao requinte da trucagem, ao “importar” um empresário bondoso e devoto da santinha, que garantiria pelo menos R$ 15 milhões para tanger a obra. Tudo, claro, em nome de sua fé.

Trouxas

Até representantes da Igreja Católica local caíram nesse golpe, pagando mico que hoje preferem esquecer. Virou assunto proibido no clero mossoroense, quase pecado mortal, se remexer nesse assunto.

Esse povo de Mossoró não aprende mesmo. Gosta de ser enganado, ser transformado em trouxa e ser ridicularizado além dos limites do município.

O agravante nesse caso mais recente do “golpe da maquete”, é que alguns de seus personagens voltam ao local do crime, com a mesma desfaçatez de antes.

Francisco José Júnior e sua "maquete", em mais um ato de trucagem comum à política de Mossoró (Foto: arquivo)

Pior ainda: numa conjuntura financeira delicada, principalmente para a saúde pública, que vive seu pior momento. Tem gente morrendo e ficando mutilada por falta de cirurgias eletivas, insulina, remédios básicos ou simples analgésicos.

Médicos prometem parar atividades (veja AQUI) porque prefeitura não os paga.

1% de bom senso

Quem conhece razoavelmente o atual prédio que abriga a Câmara Municipal de Mossoró, sabe que ele é dispendioso e inapropriado para continuar abrigando esse poder. É caro, que se diga.

Porém, cadê aquele 1% de bom senso que teria sobrado aos seus ocupantes, para priorizarem o interesse público em vez desse “Versailles” do semiárido? Será que não sobrou nem isso aos caríssimos vereadores e à prefeita que “fez, faz e sabe fazer”?

Francamente!

Parar por aqui para não baixar o nível (o que rende mais processos judiciais, mas é cabível ao caso).

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política / Reportagem Especial
  • Repet
terça-feira - 10/10/2017 - 23:52h
Sindiserpum

“Greve” sindical chega ao fim de forma melancólica


Chegou ao fim, de forma melancólica, como foi todo o movimento, a “greve” empinada pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Mossoró (SINDISERPUM).

Completaria um mês nessa quarta-feira (11).

Nunca passou de um pífio aglomerado de sindicalistas, tão-somente, que chegou a se reunir algumas vezes à calçada da sede da municipalidade (Palácio da Resistência).

Nas redes sociais, como é comum, não faltaram apoios e “participantes”. A grande maioria dos “apoiadores” nunca saiu do comodismo da rede, sofá ou cama com smartphone à mão.

A entidade não conseguiu mobilizar os servidores, em luta por reajuste salarial acima do proposto (3,93%) pela gestão Rosalba Ciarlini (PP).

Nota do Blog – O Sindiserpum precisa se reinventar, repensar suas estratégias de luta e sua relação com os próprios servidores.

Definha velozmente, desde que foi “parceiro” da gestão Francisco José Júnior (PSD), por conveniência político-partidária.

Paga o preço do alinhamento iníquo. Essa greve foi sem nunca ter sido. Nunca passou de uma paralisação do próprio sindicato.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Gerais / Política
terça-feira - 10/10/2017 - 14:44h
Mossoró

Silêncio: oposição dormindo!


A oposição política em Mossoró é tão letárgica e imperceptível, que dá sono.

A prefeita Rosalba Ciarlini (PP) convive com baixa aprovação, gestão administrativa sofrível, mas nem assim deve se sentir perturbada.

Pelo menos por enquanto.

Silêncio: oposição dormindo!

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
terça-feira - 10/10/2017 - 10:48h
Blog Carlos Santos

Alerta sobre Lorena Ciarlini causa indignação e reflexão


A postagem sob o título “Filha de prefeita carrega peso de projeto familiar estressante” (veja AQUI) segue causando reações diversas no governismo municipal mossoroense.

Lorena e a mãe-prefeita: mãos à obra

Oscilam particularmente entre a indignação e a reflexão sobre o que foi dissecado.

A matéria mostrou dificuldades de conversão da secretária do Desenvolvimento Social e filha da prefeita Rosalba Ciarlini (PP), Lorena Ciarlini (PP), em política apta à corrida eleitoral à Assembleia Legislativa no próximo ano.

Cópia de matéria

A própria Lorena printou (copiou virtualmente) a postagem e enviou a endereços reservados, irritada com o enunciado.

Com pesquisas em mãos, a cúpula rosalbista sabe que o Blog não exagerou nem mentiu. Sabe que não basta elege-la, mas o fazer com demonstração de força eleitoral nas urnas.

Daí a consciência de que precisa investir mais e mais para torná-la palatável e menos dependente da máquina municipal, de auxiliares próximos (que tocam de verdade a secretaria) e da prefeita.

Mãos à obra.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
segunda-feira - 09/10/2017 - 17:35h
Mossoró

Prefeitura apresenta projeto de sede própria de Câmara


A Prefeitura Municipal de Mossoró apresentou, na manhã desta segunda-feira (09), o projeto arquitetônico de sede própria para a Câmara Municipal, em solenidade realizada no Salão de Grandes Atos do Palácio da Resistência.

A sede própria da Câmara contará com área de construção de quase 7 mil metro quadrados, 23 gabinetes, 65 vagas cobertas de garagem, auditório para 178 pessoas, plenário com capacidade para 151 pessoas nas galerias, além de lanchonetes, elevadores, banheiros, e salas para diversos setores.

A vereadora-presidente da Câmara Municipal, Izabel Montenegro (PMDB), destaca que o principal objetivo da sede própria é deixar de ter custo de mais de R$ 1,3 milhão só com aluguel a cada legislatura, a cada dois anos. Não foi divulgado o custo final da construção.

Viabilização

Após aprovação do projeto arquitetônico, o próximo passo será o orçamento e, posteriormente, a viabilização dos recursos. Não há previsão para que as obras sejam iniciadas.

A cerimônia histórica contou com participação da prefeita Rosalba Ciarlini, vice-prefeita Nayara Gadêlha, secretários municipais Aldo Fernandes (Planejamento), Kátia Pinto (Infraestrutura, Meio Ambiente, Urbanismo e Serviços Urbanos), Aglair Abreu (Comunicação Social) General Eliéser Girão (Segurança Pública, Defesa Civil, Mobilidade Urbana e Trânsito) Lahyre Rosado Neto (Desenvolvimento Econômico, Trabalho, Agricultura e Turismo), Karine Ferreira (Procuradora Geral); presidente da Previ-Mossoró, Elviro Rebouças; vereadores Izabel Montenegro (presidente da Câmara), Aline Couto, Maria das Malhas, Didi de Arnor, Emílio Ferreira, Sandra Rosado, Flávio Tácito, Ricardo de Dodoca, Tony Cabelos, Alex Moacir e Manoel Bezerra.

Com informações da Prefeitura Municipal de Mossoró.

Categoria(s): Administração Pública
domingo - 08/10/2017 - 09:03h

Duelo distancia Executivo e servidor de missão comum


Por Gutemberg Dias

Desde a posse da atual prefeita Rosalba Cialini (PP) para seu quarto mandato na municipalidade, em janeiro deste ano, que os servidores públicos municipais vêm em franco duelo com sua gestão. Inicialmente pela cobrança dos salários em atraso e, mais recentemente, pelo reajuste ofertado no acordo coletivo.

Diante disso, as paralisações se tornaram parte do contra-ataque do sindicato ao que consideram um desrespeito aos servidores.

Será que não é esse o momento de repensar o modelo administrativo e o papel do servidor no âmbito da gestão municipal? Tanto a gestão municipal quanto o sindicato será que não precisam fazer uma autocrítica?

Não resta dúvida que é preciso que a gestão assuma um compromisso ético-político de realizar uma gestão pública democrática, participava, ágil e eficiente, reservando uma atenção especial aos servidores públicos do município.

Vale lembrar que os servidores são sujeitos sociais determinantes na dinâmica das relações sociais da estrutura organizacional do município e quem tem um papel importantíssimo para qualquer mudança de rumo administrativo.

Neste sentido é preciso que se estabeleça uma política de valorização do servidor público municipal que contemple a elevação da autoestima, uma permanente qualificação, salários dignos, instituição da meritocracia e humanização das relações de trabalho.

A valorização do servidor público precisa ser ampla e irrestrita. Por isso que acredito que o melhor caminho para isso seria a criação de um único Plano de Cargos, Carreira e Salários (PCCR) que contemple todas as carreiras e que as regras sejam iguais para todos, obviamente, levando em conta as especificidades de algumas funções.

Será muito difícil  conquistar essa valorização quando dentro do próprio sistema tem servidores que tem suas mudanças de níveis movidas a jatos propulsores e outros que nem se quer tem um PCCR para dizer que é seu.

Uma outra forma de melhorar a relação com os servidores é elaborar e implementar um programa visando a melhoria da comunicação interna, capaz de promover a articulação das ações entre setores e socializar as informações com agilidade. Dessa forma, será possível pensar de forma sistêmica e otimizar as ações de gestão. Vamos dizer que é preciso fazer valer o endomarketing.

Um outro caminho é elaborar um manual de rotinas do trabalho de cada órgão/setor, estabelecendo o fluxo operacional e de tramitação, contendo o detalhamento de atribuições e competências de cada função. Essa ação certamente garantirá a definição clara do que cada servidor é responsável e assim facilitará a forma, também, dele ser cobrado.

É importante frisar que sem adotar o Planejamento Estratégico, como instrumento norteador e balizador 
da gestão de qualidade, 
fica muito difícil que a gestão pública tome novos rumos. É preciso que o servidor e a própria gestão saibam o que querem e quais são seus propósitos.

É urgente estruturar um programa de capacitação profissional direcionada 
para todas as categorias de trabalhadores envolvidos na prestação dos serviços básicos. Sem ampliar o nível de conhecimento do servidor para os diversos segmentos que ele irá atuar não poderemos ter no futuro uma mudança de valores.

A capacitação é peça chave na engrenagem de uma gestão com foco em resultados.

Por fim, é indispensável um grande censo para entender onde estão os servidores públicos e se é preciso fazer a reorganização de equipes, ou se é preciso ampliar o quadro de servidores públicos do município, através da realização de concursos públicos, para adequar a estrutura administrativa a uma realidade que possa efetivamente atender as necessidades da população.

É bom ressaltar que concurso público tem um papel muito importante para acabar com a questão do nepotismo e, também, do clientelismo que toma conta da administração pública de um modo geral.

A pergunta que fica no ar é bem simples: será que a atual gestão municipal de Mossoró tem ímpeto e coragem para repensar a questão dos servidores públicos dentro dessa linha de raciocínio?

Sei que não é fácil mudar algo que está enraizado tanto na cultura administrativa municipal, quanto na própria essência do servidor. Sem dúvida que num processo como esse as dores vão aflorar com muita intensidade.

Diante disso é imprescindível que as partes saibam ceder para que todos ganhem ao final de um processo de reestruturação que, certamente, trará ganhos a todos que fazem a administração pública municipal de Mossoró.

A força da mudança não está apenas no gestor, mas em todos que fazem a gestão, incluindo os servidores.  Esse duelo desgasta e distancia Executivo e servidor de missão comum: servir à comunidade.

Gutemberg Dias é graduado em geografia, mestre em Ciências Naturais, empresário e presidente da Redepetro/RN.

Categoria(s): Artigo
sexta-feira - 06/10/2017 - 10:34h
Alto risco

Palanque dos primos poderá “desabar” em 2018


A oligarquia Rosado caminha para uma aposta consideravelmente perigosa na campanha de 2018. Num momento de profundo desgaste da classe política, da política e partidos, esquadrinham um palanque lotado apenas por primos.

Pode desabar.

Serão candidatos a deputado estadual as primas Lorena Ciarlini (PP) e Larissa Rosado (PSB), filhas respectivamente das primas prefeita Rosalba Ciarlini (PP) e vereadora Sandra Rosado (PSB) – que sonha em voltar à Câmara Federal.

Lorena, estreante na corrida pelo voto; Larissa, que tentará a reeleição.

Ainda consta na lista, Beto Rosado (PP), atual deputado federal e que tende a concorrer à reeleição. Ele é primo de Lorena e Larissa e sobrinho-afim da prefeita.

Ainda há possibilidade da ex-prefeita Fafá Rosado (PMDB) ser candidata a deputado estadual numa faixa partidária oposicionista.

Ela é prima de Sandra Rosado e também prima do ex-deputado estadual Carlos Augusto Rosado (PP), marido de Rosalba.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
  • Repet
sexta-feira - 06/10/2017 - 07:38h
Lorena Ciarlini

Filha de prefeita carrega peso de projeto familiar estressante


Lorena: estresse (Foto: arquivo)

Entre interlocutores próximos, a secretária de Desenvolvimento Social da Prefeitura de Mossoró e pré-candidata a deputado estadual, Lorena Ciarlini (PP), tem relatado enxaqueca e estresse com o ritmo da pasta.

Sente-se deslocada num papel que nunca cumpriu e parece não ter qualquer afinidade.

Sua sobrecarga é atenuada, porque em seu entorno e retaguarda foram escaladas assessoras de vasta experiência, que na verdade tocam as atividades da secretaria. Ela é secretária de direito, pelo menos.

Nota do Blog - Filha da prefeita Rosalba Ciarlini (PP), que a quer deputada, imagine quando Lorena – sem qualquer vivência na atividade política ou qualquer relação com a finalidade de sua secretaria, começar a percorrer bairros e periferia da cidade, posando com crianças remelentas e catarrentas nos braços.

Hoje, por exemplo, ela estará no bairro Santo Antônio para outra programação político-eleitoral subliminar, denominada pelo marketing da municipalidade de “Meu Bairro Melhor”. Foi criada para alavancar popularmente seu nome.

A primeira edição da iniciativa que leva vários serviços sociais à população periférica e pobre aconteceu no bairro Belo Horizonte, dia 15 de setembro.

É, não é fácil mesmo essa vida! Ela carrega o peso de um projeto familiar com o qual não se identifica.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
quarta-feira - 04/10/2017 - 19:13h
Mossoró

A oposição à Rosalba Ciarlini está órfã


A oposição à Rosalba Ciarlini (PP) está órfã.

Tem lugar para o grupo de Sandra Rosado (PP), atual vereadora governista e ex-adversária.

É só querer.

Até porque, ninguém soube ocupar esse espaço com um pingo de competência.

E não é por falta de munição para tal fim.

Mas só um detalhe: os tempos são outros.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
  • Lion, Moda Masculina, de João Paulo Araújo - 11-08-15
quarta-feira - 04/10/2017 - 14:39h
Bye

Rosalba ‘escala’ vice para acompanhar agenda de Robinson


A vice-prefeita Nayara Gadelha (PP) foi escalada para recepcionar o governador Robinson Faria (PSD) em Mossoró, em sua estada para agenda político-administrativa na cidade, nesta quarta-feira (4).

A prefeita Rosalba Ciarlini (PP), que comumente fazia as honras da casa, tomou distância.

Leia também: Grupo de Sandra ‘cola’ em Robinson à cata de saída eleitoral AQUI.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
quarta-feira - 04/10/2017 - 14:14h
Mossoró

Grupo de Sandra ‘cola’ em Robinson à cata de saída eleitoral


O governador Robinson Faria (PSD) tem companhias até inesperadas em sua estada em Mossoró, no dia de hoje (quarta-feira, 4). A vereadora Sandra Rosado (PSB) e seus filhos, deputada estadual Larissa Rosado (PSB) e o secretário municipal do Desenvolvimento Econômico Lahyrinho Rosado (PSB), não desgrudam do governante.

Robinson, Larissa, Sandra e Lahyrinho: proximidade em Mossoró em momento delicado do grupo (Foto: cedida)

A proximidade, mesmo que a princípio eles não sejam correligionários, tem razão de ser.

O grupo da ex-deputada Sandra Rosado busca alternativas e saídas político-eleitorais para 2018. Ela e os filhos, Larissa e Lahyrinho, sabem que a acomodação no sistema governista municipal comandado pelo ex-deputado estadual Carlos Augusto Rosado (PP) e a prefeita Rosalba Ciarlini (PP), não lhes dará “sombra” no próximo ano.

Compensação

Obtiveram uma “sobrevida”, com o acordo político feito ano passado, após quase 30 anos de litigância eleitoral e até pessoal com o rosalbismo. Porém até aqui, não são nada mais de que aliados comuns. Estariam no limite da compensação pelo apoio dado à “Rosa” no pleito municipal.

Deduz-se, que com o governador é possível se abrir um caminho de afinação, capaz de garantir a reeleição de Larissa Rosado à Assembleia Legislativa e meios de uma candidatura de Sandra, outra vez, à Câmara Federal.

Abre-se uma janela que já tem sido trabalhada há certo tempo, nos intramuros da política potiguar.

P.S – (14h40) - Informação do jornalista Bruno Barreto, postada em seus endereços nas redes sociais, às 14h30: “Flagrei o governador com Sandra e Larissa em um restaurante em Mossoró. Tá pintando uma velha aliança nova na política local.”

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
  • Lion, Moda Masculina, de João Paulo Araújo - 11-08-15
quarta-feira - 04/10/2017 - 10:34h
Política e história

Disputa à Assembleia Legislativa gera grande expectativa

Mossoró já elegeu 4 deputados estaduais em 1974 e espera 2018 com cenário confuso para novo feito

Mossoró já chegou a determinar a eleição de quatro deputados estaduais num único ano. Foi em 1974, há 43 anos. Um feito raro. Poderá ser repetir no próximo ano, mas é precipitado se fazer um vaticínio nesse sentido.

João Newton: 1974 (Foto: arquivo)

O excelente resultado contrasta com o fenômeno de 2014: nenhum candidato nativo do município chegou ao êxito nas urnas.

Em 2014, os deputados mossoroenses que tentaram a reeleição, Larissa Rosado (PSB) e Leonardo Nogueira (DEM), fracassaram.  Nenhum novato local vingou.

Quem se sobressaiu, com votos determinantes de Mossoró à eleição-surpresa, foi o ex-prefeito areia-branquense Manoel Cunha Neto (PHS), “Souza”, que tem laços familiares, profissionais e estudantis com a cidade. Cerca de 18% dos seus votos foram do eleitorado local.

Em 1974, foram eleitos João Newton da Escóssia (Arena) e Alcimar Torquato (Arena), com apoio do deputado federal Vingt Rosado (Arena). O primeiro, cunhado do parlamentar; o segundo, natural de Luís Gomes, mas que há mais de uma década atuava na medicina local.

Eleitos de 1974 a 2014  tendo Mossoró como base

1974 – João Newton da Escóssia, Alcimar Torquato, Assis Amorim e Luís Sobrinho;

1978 – Carlos Augusto Rosado

1982 – Jota Belmont e Carlos Augusto Rosado

1986 – Laíre Rosado e Carlos Augusto Rosado

1990 – Carlos Augusto, Antônio Capistrano e Frederico Rosado

1994 – Frederico Rosado e Francisco José (pai)

1998 – Frederico Rosado, Sandra Rosado e Ruth Ciarlini

2002 – Larissa Rosado, Francisco José (pai) e Ruth Ciarlini

2006 – Larissa Rosado e Leonardo Nogueira

2010 – Larissa Rosado e Leonardo Nogueira

2014 – Nenhum

“De quebra”, ainda teve a reeleição do médico Dalton Cunha (Arena). Era mossoroense da gema, mas tinha como base principal de votos o município de Apodi e adjacências.

Luís Sobrinho (MDB) e Assis Amorim (MDB), apoiados pelo ex-governador cassado Aluízio Alves (MDB), também foram eleitos no mesmo ano a partir de Mossoró.

Frederico: 1990 (Foto: Arquivo)

Um dado interessante dessa lista de eleitos: nenhum era da família Rosado. Depois de 1974, em todas as eleições essa oligarquia elegeu membros seus à Assembleia Legislativa, à exceção de 2014.

Derrocada

Em 2018, com um cenário político extremamente confuso, Mossoró pode ter uma profusão de candidaturas à Assembleia Legislativa. Há possibilidade de repetir 1974 ou ficar num meio-termo.

Porém é pouco provável que se veja uma reedição de 2014. Três candidaturas do clã Rosado a deputado estadual, desgaste político da então governadora Rosalba Ciarlini (PP), a prefeitura nas mãos de um adversário dos Rosados (prefeito Francisco José Júnior) e escassez de recursos para financiamento de campanhas, foram alguns dos fatores que desenharam a derrocada à época.

Alguém pode sobrar

Mesmo assim, a conjuntura que se forma para o próximo ano poderá gerar surpresas, principalmente porque após se reunificar parcialmente, o clã Rosado tentará eleger quadros familiares num contexto completamente diferente do passado recente e tempos mais remotos.

O “maior eleitor” mossoroense, a Prefeitura Municipal de Mossoró, historicamente não tem elegido mais do que um deputado estadual por pleito. Preliminarmente, não há qualquer pré-candidatura Rosado se formando na oposição, mas pode surgir a figura da ex-prefeita Fafá Rosado (ainda no PMDB).

No governismo, as primas Larissa Rosado e Lorena Rosado (PP) – filha da prefeita Rosalba e secretária do Desenvolvimento Social do município, tendem a ser candidatas no mesmo palanque. Alguém pode sobrar.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política / Reportagem Especial
segunda-feira - 02/10/2017 - 09:38h
Mossoró

O recado de Cláudia Regina em sua esquete no teatro político


Apesar de não ocupar qualquer cargo público, com afastamento compulsório de qualquer atividade institucional, Cláudia Regina (DEM)  ocupou espaço de destaque na sessão solene da Câmara Municipal de Mossoró, à noite de sexta-feira (29), no Teatro Municipal Dix-huit Rosado.

Chamada para entregar títulos de cidadania a homenageados por proposição do seu “pupilo”, vereador Petras Vinícius (DEM), a ex-prefeita cassada de Mossoró foi levada ao palco pelo próprio parlamentar. O vereador foi buscá-la na plateia e depois subiu – lentamente – os degraus de mãos dadas com ela, até a ribalta.

Petras e Cláudia ladeiam homenageado: atrás deles, Larissa, Rosalba e outras autoridades (Foto: Web)

A excepcionalidade não parou por aí.

Cláudia Regina fez questão de cumprimentar uma a uma as autoridades que estavam à mesa. Não dispensou olhos nos olhos de cada uma delas. Provocou sorrisos constrangidos em algumas.

Simbolismo

Algumas fazem parte de sua história política muito recente: prefeita Rosalba Ciarlini (PP), de quem era aliada e foi apoiada, depois se distanciando; deputada estadual e sua adversária no pleito conturbado de 2012, Larissa Rosado (PSB), além do juiz José Herval Sampaio Júnior, que lhe sentenciou várias vezes com cassação de mandato.

Nitidamente a ex-prefeita mandou um recado para muita gente, atônita, que não conseguiu fazer a leitura integral de sua esquete política no Teatro Municipal.

É simples.

Está viva. Aguardem-na num futuro próximo.

O evento de sexta-feira ficou carregado de simbolismo. A semiótica explica.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
  • Lion, Moda Masculina, de João Paulo Araújo - 11-08-15
sábado - 30/09/2017 - 11:52h
Prefeitura

Ex-vice-reitor poderá integrar equipe de Rosalba Ciarlini


Gondim: parado, não (Foto: Web)

O ex-vice-reitor da Universidade do Estado do RN (UERN), professor Aldo Gondim, pode desembarcar na equipe da prefeita mossoroense Rosalba Ciarlini (PP).

Foi o que ela deixou transparecer nas entrelinhas do seu discurso na última quinta-feira (28), no Teatro Municipal Dix-huit Rosado, na 49ª Assembleia Universitária da instituição.

Aposentado, Gondim não deve ficar na inatividade por muito tempo.

Essa foi a “previsão” feita pela prefeita.

Segundo zunzunzum que corre nos bastidores, ele já fora sondado pelo governismo.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
quinta-feira - 28/09/2017 - 07:54h
Impasse

Prefeitura e sindicato não se entendem na ausência de prefeita


Uma comissão de secretários municipais recebeu na tarde desta quarta-feira, 27, representantes do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (SINDISERPUM), no sentido de manter o diálogo com a categoria. A vontade do sindicato de conversar diretamente com a prefeita Rosalba Ciarlini (PP) outra vez não foi atendida. Ela estava em viagem a Brasília.

Reunião esticou impasse, sem presença da prefeita, entre sindicato e municipalidade mossoroense (Foto: Cedida)

Na ocasião, a Prefeitura manteve a proposta de reajuste de 3,93%, observando a reposição inflacionária do período, e apresentou as atuais condições financeiras do município. “Manter o salário em dia é uma prioridade que o município tem para valorizar o servidor e temos cumprido tudo que foi acordado. Paralelo a isso, temos outras contas da cidade que temos que cumprir”, explicou Anselmo de Carvalho, consultor geral.

Os sindicalistas, entre eles a presidente Marleide Cunha, redarquiram. Não se conformam com a postura da prefeita, que estaria se esquivando de uma conversa direta com a entidade, escudando-se nos secretários e nos mesmos números.

“Uma palhaçada”

Hoje (quinta-feira, 28), retornam pela manhã à mobilização à frente da sede da prefeitura à Avenida Alberto Maranhão, iniciada na segunda-feira (25). “Uma palhaçada essa reunião. A prefeita está brincando com os servidores”, vociferou Marleide Cunha.

“Servidor sem reajuste, unidades de saúde sem medicamentos, povo sem direitos básicos e a prefeitura paga R$ 100 mil por um show”, emendou Marleide, em referência à contratação da cantora Margareth Menezes para show dos festejos do Auto da Liberdade.,

A Prefeitura esteve representada pelos secretários Ronaldo Cruz, de Administração, Fátima Marques, controladora geral, Anselmo de Carvalho, consultor geral, Aldo Fernandes, Planejamento, Júlio César Soares e Karina Ferreira, procurador e procuradora geral.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Administração Pública / Gerais
quarta-feira - 27/09/2017 - 15:21h
Câmara Municipal

Tese do “mal menor” empurra Isolda para voto governista


Isolda: falou, está falado (Foto: web)

Depois de muito pesar, pesar, contrapesar, a vereadora Isolda Dantas (PT) resolveu dar voto e voto de confiança à mudança na Lei Orgânica Municipal (LOM) de Mossoró.

Apoiou a antecipação da eleição e reeleição (veja AQUI) da atual presidente da Câmara Municipal, adversária governista Izabel Montenegro (PMDB).

Foi convencida de que se isso não ocorresse, no próximo biênio presidencial (2019-2020) tudo poderia ser pior.

Valeu a tese do mal menor, digamos.

O eleito, argumentou-se, seria aliado figadal ou mero penduricalho do líder político Carlos Augusto Rosado e da prefeita Rosalba Ciarlini.

Entendeu?

Vamos desenhar ou falar bem alto, então.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
sexta-feira - 22/09/2017 - 17:39h
Mossoró

Civilidade de Gustavo Rosado e Francisco José dá saudades


Manifestantes do serviço público municipal de Mossoró começam a ter saudades do ex-prefeito Francisco José Júnior (PSD) e do “prefeito de fato” Gustavo Rosado.

Numa das ocupações com Francisco José Júnior, manifestantes tinham atendimento especial no palácio

O primeiro, antecessor próximo da atual prefeita Rosalba Ciarlini (PP), autorizava que protestos fossem feitos no pátio e até interior do Palácio da Resistência, sede da municipalidade, com instalação de barracas e até colchonetes, wi-fi liberado etc. Tudo liberado.

Guarda Civil foi escalada para reforçar segurança (Foto: Cedida)

Já Gustavo, que administrava a prefeitura em lugar da irmã e prefeita de direito Fafá Rosado (PMDB, então no DEM), chegava ao requinte de mandar servir água, café, sucos e quitutes para aplacar sede e fome dos manifestantes.

Sol

Com Rosalba é diferente: Prefeitura no cadeado, Polícia Militar, Polícia de Trânsito, Guarda Civil Municipal (GCM) e determinação para que não se permita instalação de barracas ou lonas na calçada do Palácio da Resistência.

A ordem é deixar a militância sindical sob sol escaldante.

Quem diria, hein?

O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Mossoró (SINDISERPUM) está com saudades da civilidade de Francisco José Júnior e Gustavo Rosado.

Faz sentido. Ô!

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Administração Pública / Política
sexta-feira - 22/09/2017 - 06:28h
Política

Bastidores de uma delicada escolha para o TRE do RN


Do Blog da Chris

A indicação do advogado e atual suplente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE/RN), Wlademir Capistrano, para a vaga de titular que era do também advogado Verlano de Medeiros, surpreendeu o mundo jurídico do Rio Grande do Norte.

José Agripino, Rosalba Ciarlini e João Maia, ligações que chegaram até Rodrigo Maia e à nomeação (Foto: Web)

Também candidato, o mossoroense Daniel Victor da Silva Ferreira era o favorito e tinha apoio declarado da maioria da classe política potiguar, nessa disputa que se estendia desde abril de 2016 e que contou com a substituição de um dos nomes, o jurista Paulo Linhares, por determinação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Não são necessárias maiores dilações para perceber o DNA da escolha: 1) a pressa para que a chancela não ficasse para Michel Temer (PMDB), que estava fora do país; 2) a ligação umbilical entre Rodrigo Maia (PMDB-RJ, que assinou a indicação e o senador José Agripino Maia; 3) o senador pretende uma aliança ampla em 2018, envolvendo João Maia (PR), padrinho do escolhido.

Relatoria no TRE

Não custa lembrar igualmente que no final do ano passado o ex-vice prefeito Antônio Capistrano, pai do nomeado, foi convidado por Carlos Augusto Rosado para assumir secretaria no Governo da pediatra Rosalba Ciarlini (PP), do qual declinou.

Wlademir é ainda relator no TRE de recurso da campanha de Rosalba Ciarlini que pretende reverter a reprovação de suas contas pela 34a Zona Eleitoral de Mossoró, cujo parecer da Procuradoria Eleitoral que atua junto ao Tribunal foi pela manutenção da decisão de primeiro grau, por considerar que a candidata praticou ilicitudes na arrecadação de recursos e gastos de campanha.

Todos esses personagens estavam em Brasília essa semana. O tabuleiro da política potiguar ferve com vistas a 2018.

Cada qual tentando se segurar como pode.

Leia também: Filho de ex-vice-prefeito é escolhido para o TRE do RN AQUI.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.