• Vale Norte - Nativa Comunicação - 2º Banner - 14-11-17
terça-feira - 31/10/2017 - 11:40h
Mossoró

Vereadores voltam a revelar diferenças político-pessoais


Os vereadores Sandra Rosado (PSB) e Alex do Frango (PMB) protagonizaram outro “round” há pouco no plenário da Câmara Municipal de Mossoró. Os entreveros e escaramuças estão se sucedendo entre ambos.

Alex: aparte (Foto: CMM)

Em aparte ao também vereador governista João Gentil (PV), que censurava demolição do prédio do Hospital Duarte Filho, entidade filantrópica, Sandra asseverou que não seria apenas esse hospital a “vítima” de má gestão. Deixou implícita, crítica à intervenção da Casa de Saúde Dix-sept Rosado (CSDR)/Hospital Maternidade Almeida Castro (HMAC), que seu grupo controlava até final de 2014.

Sem perder tempo, o oposicionista Alex do Frango interveio. Parabenizou a intervenção e ressaltou os benefícios da medida judicial comandada pelo juiz titular da 8ª Vara da Justiça Federal da comarca de Mossoró, Orlan Donato Rocha.

Antes mesmo de Alex começar a falar, Sandra saltou da cadeira abruptamente para não ouvi-lo e saiu do plenário. O movimento brusco derrubou até placa posta sobre sua à mesa, com identificação de seu nome.

Juiz

O incidente arrancou risos de outros vereadores e populares/assessores presentes.

Sandra: irritação (Foto: CMM)

Outro desafeto declarado da parlamentar, vereador oposicionista Raério Araújo (PRB), o “Raério Cabeção”, emendou a pressão. Assinalou que CSDR/HMAC nesse hospital a interventoria “trabalha certo, com o dinheiro certo”.

Também elogiou o magistrado Orlan Donato e deixou no ar  que havia gente “lutando para fechar” o hospital.

À semana passada, Sandra deixou consignado em pronunciamento em plenário, seu voto à reeleição de Izabel Montenegro (PMDB) – veja AQUI – para presidente da Câmara, mas avisando que excluía Alex do Frango (que estava na chapa) – veja AQUI.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
terça-feira - 24/10/2017 - 10:36h
Mossoró

Câmara apressa eleição antecipada para mesa diretora


Do Blog Saulo Vale

A Câmara Municipal de Mossoró iniciou a sessão de hoje (terça-feira, 24) com as articulações para as eleições antecipadas (biênio 2019-2020) da Mesa Diretora a todo vapor. A sala da Presidência da Casa tem sido o local mais movimentado nesta terça-feira.

Antes separadas, Izabel e Sandra marcham unidas agora (Foto: arquivo)

A presidente da Casa, Izabel Montenegro (PMDB), será candidata única, juntamente com toda a atual Mesa Diretora. A composição continua a mesma, apesar dos pesares.

O vereador governista Zé Peixeiro (PMDB), que demonstrou desejo de se candidatar, se irritou com as articulações antecipadas. Afirmou que a estratégia era de sufocar sua candidatura ao convocar as eleições, sem comunicá-lo.

A vereadora Sandra Rosado (PSB), que na eleição passada não votou na atual Mesa Diretora, já fechou apoio a Izabel Montenegro. O caminho está propício a Izabel. Pode ser reconduzida hoje ao cargo e garantir mais dois anos à frente da Câmara, com a reeleição para o biênio 2019-2020.

Izabel conta com apoio dos parlamentares da oposição e do governo, com exceção do vereador Zé Peixeiro. Todos os vereadores estão presentes na sessão de hoje.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
segunda-feira - 23/10/2017 - 16:12h
TRF5

Condenação de Sandra Rosado pode ser julgada em novembro

Vereadora e ex-deputada tem nove anos e dois meses de prisão decididos em primeiro grau em Mossoró

Está em tramitação no Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF5), com sede em Recife, o processo sob o número 0000878-38.2015.4.05.8401, que trata de condenação da atual vereadora e ex-deputada federal Sandra Rosado (PSB) a 9 anos e dois meses de prisão.

Desembargador Lázaro Guimarães: decisão (Foto: TRF5)

A demanda tem a relatoria do desembargador Lázaro Guimarães. Há possibilidade de que ele leve seu voto à pauta do TRF5 até o final do próximo mês de novembro. Isso,  se não houver qualquer ‘contratempo’.

O processo deu entrada nessa corte no dia 23 de maio deste ano, às 15h01.

Em primeiro grau, a sentença condenatória que atingiu Sandra e mais quatro pessoas, como seu ex-genro Francisco de Andrade Silva Filho, foi prolatada pelo juiz titular da 8ª Vara da Justiça Federal em Mossoró, Orlan Donato Rocha, no dia 10 de maio deste ano.

Inocentes

Na mesma decisão, o magistrado inocentou mais cinco pessoas.

Sandra Rosado e os demais réus foram denunciados pelo Ministério Público Federal (MPF/RN) em 17 de dezembro de 2015. Segundo narrativa do MPF, sofisisticado esquema foi montado “para apropriar-se indevidamente de recursos repassados pela União (Convênio nº 1782/2003-FNS – SIAFI nº 495578) para APAMIM – Associação de Assistência e Proteção à Maternidade de Mossoró, no valor de R$ 719.779,00”.

Leia também: Sandra Rosado tem condenação a 9 anos e dois meses de prisão AQUI;

Leia também: Ação penal coloca Sandra, Laíre e Larissa em novo julgamento AQUI;

Leia também: Sandra Rosado garante em plenário que provará inocência AQUI.

Lázaro Guimarães é natural de Salvador e ingressou na Justiça Federal em 1982. Em 1989, foi nomeado desembargador do TRF5. Já atuou em cinco estados pela Justiça Federal e foi membro do Conselho da Justiça Federal.

No último dia 3, o desembargador Lázaro Guimarães completou provisoriamente a composição do Superior Tribunal de Justiça (STJ) em Brasília, em razão da posse do ministro Raul Araújo no cargo de corregedor-geral da Justiça Federal.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Justiça/Direito/Ministério Público / Política
sábado - 21/10/2017 - 20:14h
Eleições 2018

Sandra Rosado afirma que se prepara para disputa federal


Sandra deu entrevista hoje (Foto: Rede News 360)

Em entrevista ao programa “RN 360” deste sábado (21), na Rádio Rural AM 990khz de Mossoró, a vereadora mossoroense Sandra Rosado (PSB) admitiu que se articula para tentar voltar à Câmara Federal nas eleições do próximo ano.

Recém chegada ao rosalbismo, depois de anos rivalidade, Sandra lembrou que Mossoró já teve dois deputados federais e até cinco estaduais simultaneamente.

Compra de votos

Em sua ótica, esse projeto não cria nenhum atrito tampouco lhe distancia do grupo governista, o qual tem defendido com veemência na Câmara Municipal.

“Não tem espaço para aqueles que pensam em vir aqui comprar voto”, alertou.

O programa é apresentado pelos jornalistas Gilberto de Sousa e Erinaldo Silva.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
segunda-feira - 09/10/2017 - 17:35h
Mossoró

Prefeitura apresenta projeto de sede própria de Câmara


A Prefeitura Municipal de Mossoró apresentou, na manhã desta segunda-feira (09), o projeto arquitetônico de sede própria para a Câmara Municipal, em solenidade realizada no Salão de Grandes Atos do Palácio da Resistência.

A sede própria da Câmara contará com área de construção de quase 7 mil metro quadrados, 23 gabinetes, 65 vagas cobertas de garagem, auditório para 178 pessoas, plenário com capacidade para 151 pessoas nas galerias, além de lanchonetes, elevadores, banheiros, e salas para diversos setores.

A vereadora-presidente da Câmara Municipal, Izabel Montenegro (PMDB), destaca que o principal objetivo da sede própria é deixar de ter custo de mais de R$ 1,3 milhão só com aluguel a cada legislatura, a cada dois anos. Não foi divulgado o custo final da construção.

Viabilização

Após aprovação do projeto arquitetônico, o próximo passo será o orçamento e, posteriormente, a viabilização dos recursos. Não há previsão para que as obras sejam iniciadas.

A cerimônia histórica contou com participação da prefeita Rosalba Ciarlini, vice-prefeita Nayara Gadêlha, secretários municipais Aldo Fernandes (Planejamento), Kátia Pinto (Infraestrutura, Meio Ambiente, Urbanismo e Serviços Urbanos), Aglair Abreu (Comunicação Social) General Eliéser Girão (Segurança Pública, Defesa Civil, Mobilidade Urbana e Trânsito) Lahyre Rosado Neto (Desenvolvimento Econômico, Trabalho, Agricultura e Turismo), Karine Ferreira (Procuradora Geral); presidente da Previ-Mossoró, Elviro Rebouças; vereadores Izabel Montenegro (presidente da Câmara), Aline Couto, Maria das Malhas, Didi de Arnor, Emílio Ferreira, Sandra Rosado, Flávio Tácito, Ricardo de Dodoca, Tony Cabelos, Alex Moacir e Manoel Bezerra.

Com informações da Prefeitura Municipal de Mossoró.

Categoria(s): Administração Pública
sexta-feira - 06/10/2017 - 10:34h
Alto risco

Palanque dos primos poderá “desabar” em 2018


A oligarquia Rosado caminha para uma aposta consideravelmente perigosa na campanha de 2018. Num momento de profundo desgaste da classe política, da política e partidos, esquadrinham um palanque lotado apenas por primos.

Pode desabar.

Serão candidatos a deputado estadual as primas Lorena Ciarlini (PP) e Larissa Rosado (PSB), filhas respectivamente das primas prefeita Rosalba Ciarlini (PP) e vereadora Sandra Rosado (PSB) – que sonha em voltar à Câmara Federal.

Lorena, estreante na corrida pelo voto; Larissa, que tentará a reeleição.

Ainda consta na lista, Beto Rosado (PP), atual deputado federal e que tende a concorrer à reeleição. Ele é primo de Lorena e Larissa e sobrinho-afim da prefeita.

Ainda há possibilidade da ex-prefeita Fafá Rosado (PMDB) ser candidata a deputado estadual numa faixa partidária oposicionista.

Ela é prima de Sandra Rosado e também prima do ex-deputado estadual Carlos Augusto Rosado (PP), marido de Rosalba.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
  • Repet
quinta-feira - 05/10/2017 - 07:36h
PSD

Partido de Robinson tem alvoroço interno em Mossoró


A iminente possibilidade do grupo da vereadora Sandra Rosado (PSB) migrar para o PSD e assumir o seu comando em Mossoró, já provocou alvoroço interno na sigla.

Ontem mesmo começaram reações em contrário.

Pode acontecer debandada em massa filiados, caso esses fatos se materializem.

O Blog ouviu manifestação dessa natureza de pelo menos três nomes representativos do PSD mossoroense.

O PSD é o partido do governador Robinson Faria e era presidido pelo ex-prefeito Francisco José Júnior (sem partido).

Leia também: Grupo de Sandra ‘cola’ em Robinson à cata de saída eleitoral AQUI;

Leia também: Grupo Rosado e Robinson precisam um do outro em Mossoró AQUI;

Leia também: Larissa Rosado e Robinson dialogam sobre união política AQUI.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
quarta-feira - 04/10/2017 - 19:13h
Mossoró

A oposição à Rosalba Ciarlini está órfã


A oposição à Rosalba Ciarlini (PP) está órfã.

Tem lugar para o grupo de Sandra Rosado (PP), atual vereadora governista e ex-adversária.

É só querer.

Até porque, ninguém soube ocupar esse espaço com um pingo de competência.

E não é por falta de munição para tal fim.

Mas só um detalhe: os tempos são outros.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
  • Lion, Moda Masculina, de João Paulo Araújo - 11-08-15
quarta-feira - 04/10/2017 - 15:36h
Política

Grupo Rosado e Robinson precisam um do outro em Mossoró


Uma provável aliança entre o governador Robinson Faria (PSD) e o grupo da vereadora Sandra Rosado (PSB) e da deputada estadual Larissa Rosado (PSB) é questão de tempo. E de necessidade mútua, que se diga.

Desde que rompeu com o então prefeito Francisco José Júnior no ano passado, o governador ficou sem qualquer referência política de peso e de capital eleitoral em Mossoró.

Robinson Faria, Larissa Rosado e Sandra Rosado em fevereiro de 2012 - em Tibau (Foto: arquivo)

Agarrou-se a alternativas pueris e inexpressivas, como Jório Nogueira (PSD), que apesar de estar na presidência da Câmara Municipal no pleito municipal passado, sequer conseguiu se reeleger. Enfim, sem nada a oferecer.

Quem passou a “apitar” e até definir nomeações para cargos no estado, por exemplo, foi Kléber Azevedo, assessor direto de Julianne Faria (PSD),  primeira-dama e secretária de Estado do Trabalho e Ação Social (SETHAS).

Capacidade de organização

É quem tem representado o governismo em Mossoró, até por cima de antigos seguidores do governador, que tiveram mandato eletivo na cidade.

Quem também viu um vácuo e aproximou-se foi o vereador João Gentil (PV), estreante na Câmara Municipal. Senso de oportunidade ou oportunismo, como queira.

Com o grupo Rosado é diferente. Mesmo em profundo desgaste de imagem, consideráveis problemas judiciais, descapitalização eleitoral e convertido por necessidade de sobrevivência ao “rosalbismo”, possui vasta experiência política que pode ser útil ao governador.

“Feridas”

Pior para ambos os lados talvez não fique. Principalmente para o grupo de Sandra e Larissa, que parece sem uma saída político-eleitoral viável em relação à campanha de 2018.

É importante ser sublinhado também, que uma composição entre os dois grupos não seria algo estranho. Já estiveram afinados. O PSD de Robinson deu apoio à postulação de Larissa em 2012 à Prefeitura de Mossoró. A própria Larissa Rosado chegou a ser cogitada por ele como sua vice, na corrida eleitoral de 2014, em que saiu vencedor.

Mas as “feridas” do pleito suplementar municipal de maio de 2014, quando a deputada perdeu a disputa para o prefeito interino Francisco José Júnior (então no PSD), tornaram difíceis essa arrumação.

Leia também: Grupo de Sandra ‘cola’ em Robinson à cata de saída eleitoral AQUI.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
quarta-feira - 04/10/2017 - 14:14h
Mossoró

Grupo de Sandra ‘cola’ em Robinson à cata de saída eleitoral


O governador Robinson Faria (PSD) tem companhias até inesperadas em sua estada em Mossoró, no dia de hoje (quarta-feira, 4). A vereadora Sandra Rosado (PSB) e seus filhos, deputada estadual Larissa Rosado (PSB) e o secretário municipal do Desenvolvimento Econômico Lahyrinho Rosado (PSB), não desgrudam do governante.

Robinson, Larissa, Sandra e Lahyrinho: proximidade em Mossoró em momento delicado do grupo (Foto: cedida)

A proximidade, mesmo que a princípio eles não sejam correligionários, tem razão de ser.

O grupo da ex-deputada Sandra Rosado busca alternativas e saídas político-eleitorais para 2018. Ela e os filhos, Larissa e Lahyrinho, sabem que a acomodação no sistema governista municipal comandado pelo ex-deputado estadual Carlos Augusto Rosado (PP) e a prefeita Rosalba Ciarlini (PP), não lhes dará “sombra” no próximo ano.

Compensação

Obtiveram uma “sobrevida”, com o acordo político feito ano passado, após quase 30 anos de litigância eleitoral e até pessoal com o rosalbismo. Porém até aqui, não são nada mais de que aliados comuns. Estariam no limite da compensação pelo apoio dado à “Rosa” no pleito municipal.

Deduz-se, que com o governador é possível se abrir um caminho de afinação, capaz de garantir a reeleição de Larissa Rosado à Assembleia Legislativa e meios de uma candidatura de Sandra, outra vez, à Câmara Federal.

Abre-se uma janela que já tem sido trabalhada há certo tempo, nos intramuros da política potiguar.

P.S – (14h40) - Informação do jornalista Bruno Barreto, postada em seus endereços nas redes sociais, às 14h30: “Flagrei o governador com Sandra e Larissa em um restaurante em Mossoró. Tá pintando uma velha aliança nova na política local.”

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
  • Lion, Moda Masculina, de João Paulo Araújo - 11-08-15
quarta-feira - 04/10/2017 - 10:34h
Política e história

Disputa à Assembleia Legislativa gera grande expectativa

Mossoró já elegeu 4 deputados estaduais em 1974 e espera 2018 com cenário confuso para novo feito

Mossoró já chegou a determinar a eleição de quatro deputados estaduais num único ano. Foi em 1974, há 43 anos. Um feito raro. Poderá ser repetir no próximo ano, mas é precipitado se fazer um vaticínio nesse sentido.

João Newton: 1974 (Foto: arquivo)

O excelente resultado contrasta com o fenômeno de 2014: nenhum candidato nativo do município chegou ao êxito nas urnas.

Em 2014, os deputados mossoroenses que tentaram a reeleição, Larissa Rosado (PSB) e Leonardo Nogueira (DEM), fracassaram.  Nenhum novato local vingou.

Quem se sobressaiu, com votos determinantes de Mossoró à eleição-surpresa, foi o ex-prefeito areia-branquense Manoel Cunha Neto (PHS), “Souza”, que tem laços familiares, profissionais e estudantis com a cidade. Cerca de 18% dos seus votos foram do eleitorado local.

Em 1974, foram eleitos João Newton da Escóssia (Arena) e Alcimar Torquato (Arena), com apoio do deputado federal Vingt Rosado (Arena). O primeiro, cunhado do parlamentar; o segundo, natural de Luís Gomes, mas que há mais de uma década atuava na medicina local.

Eleitos de 1974 a 2014  tendo Mossoró como base

1974 – João Newton da Escóssia, Alcimar Torquato, Assis Amorim e Luís Sobrinho;

1978 – Carlos Augusto Rosado

1982 – Jota Belmont e Carlos Augusto Rosado

1986 – Laíre Rosado e Carlos Augusto Rosado

1990 – Carlos Augusto, Antônio Capistrano e Frederico Rosado

1994 – Frederico Rosado e Francisco José (pai)

1998 – Frederico Rosado, Sandra Rosado e Ruth Ciarlini

2002 – Larissa Rosado, Francisco José (pai) e Ruth Ciarlini

2006 – Larissa Rosado e Leonardo Nogueira

2010 – Larissa Rosado e Leonardo Nogueira

2014 – Nenhum

“De quebra”, ainda teve a reeleição do médico Dalton Cunha (Arena). Era mossoroense da gema, mas tinha como base principal de votos o município de Apodi e adjacências.

Luís Sobrinho (MDB) e Assis Amorim (MDB), apoiados pelo ex-governador cassado Aluízio Alves (MDB), também foram eleitos no mesmo ano a partir de Mossoró.

Frederico: 1990 (Foto: Arquivo)

Um dado interessante dessa lista de eleitos: nenhum era da família Rosado. Depois de 1974, em todas as eleições essa oligarquia elegeu membros seus à Assembleia Legislativa, à exceção de 2014.

Derrocada

Em 2018, com um cenário político extremamente confuso, Mossoró pode ter uma profusão de candidaturas à Assembleia Legislativa. Há possibilidade de repetir 1974 ou ficar num meio-termo.

Porém é pouco provável que se veja uma reedição de 2014. Três candidaturas do clã Rosado a deputado estadual, desgaste político da então governadora Rosalba Ciarlini (PP), a prefeitura nas mãos de um adversário dos Rosados (prefeito Francisco José Júnior) e escassez de recursos para financiamento de campanhas, foram alguns dos fatores que desenharam a derrocada à época.

Alguém pode sobrar

Mesmo assim, a conjuntura que se forma para o próximo ano poderá gerar surpresas, principalmente porque após se reunificar parcialmente, o clã Rosado tentará eleger quadros familiares num contexto completamente diferente do passado recente e tempos mais remotos.

O “maior eleitor” mossoroense, a Prefeitura Municipal de Mossoró, historicamente não tem elegido mais do que um deputado estadual por pleito. Preliminarmente, não há qualquer pré-candidatura Rosado se formando na oposição, mas pode surgir a figura da ex-prefeita Fafá Rosado (ainda no PMDB).

No governismo, as primas Larissa Rosado e Lorena Rosado (PP) – filha da prefeita Rosalba e secretária do Desenvolvimento Social do município, tendem a ser candidatas no mesmo palanque. Alguém pode sobrar.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política / Reportagem Especial
sexta-feira - 29/09/2017 - 09:22h
Política

O mantra de Sandra Rosado rumo a Brasília


Vereadora em Mossoró, deputada federal não reeleita em 2014, Sandra Rosado (PSB) tem repetido como mantra: vai ser candidata novamente à Câmara Federal.

É, 2018 está chegando.

E Brasília é bem aí.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
quarta-feira - 27/09/2017 - 18:16h
Indústria salineira

Temer recebe comitiva do RN e promete rápida decisão


O presidente da República, Michel Temer (PMDB), garantiu agilidade na análise dos pleitos da indústria salineira do Rio Grande do Norte. Em audiência no Palácio do Planalto, nesta quarta-feira (27), com representantes do setor, deputados e senadores potiguares, além de prefeitos e do governador Robinson Faria (PSD), o chefe do Executivo federal ouviu por mais de uma hora explanação sobre as dificuldades dos salinicultores.

Foi dissertado que a atividade multissecular assegura mais de 70 mil empregos diretos e indiretos, com representando 97 por cento da produção nacional do sal marinho do país.

Temer (centro, de costas) esteve durante longa audiência com comitiva potiguar (Foto: Marcos Correa)

Na reunião, o grupo entregou ao presidente um documento priorizando três pontos fundamentais para o setor: a elaboração de um decreto reconhecendo a atividade salineira como de interesse social atestando segurança jurídica, o aumento da alíquota que protege o sal brasileiro da concorrência “predatória” do Chile e a reforma do Porto Ilha, por onde é escoado 70% do sal produzido no estado.

“Pela representatividade desta audiência, reconheço a importância do setor para o estado. Prometo analisar com brevidade e detalhes a questão da elaboração do decreto, o reestudo da alíquota para o setor, além do reparo urgente do Porto Ilha”, garantiu o presidente Temer.

Marco regulatório

Para um dos dirigentes do Sindicato da Industria do Sal (SIESAL), Airton Torres, que fez uma narrativa minuciosa sobre a história do sal na região, a necessidade de deixar o setor protegido e acobertado pelo Código Florestal Brasileiro é urgente. “Não temos um marco regulatório e nossa atividade não pode ser transferida para outro local. São três séculos de história, seis milhões de toneladas de sal produzidas por ano e um faturamento que beira 1 bilhão de reais”, declarou o empresário.

Também participaram da audiência o senador Garibaldi Alves (PMDB), os deputados federais Rafael Mota (PSB), Fabio Faria (PSD), Walter Alves (PMDB), Rogério Marinho (PSDB), Beto Rosado (PP) e o coordenador da bancada federal, deputado Felipe Maia (DEM); os deputados estaduais Jacó Jácome (PMN), Larissa Rosado (PSB) e Souza (PHS); os prefeitos Túlio Lemos (Macau), Sael Melo (Porto do Mangue), Rosalba Ciarlini (Mossoró), José Maurício Filho (Grossos) e Iraneide Rebouças (Areia Branca); as vereadoras Sandra Rosado (PSB-Mossoró), Clorisa Linhares (PSDC-Grossos), Izabel Montenegro (PMDB-Mossoró); além dos representantes da indústria salineira como Renato Fernandes (SIMORSAL), Tasso Rosado (SOCEL), Francisco Ferreira Souto (SIESAL), Herbert Vieira (CIMSAL), Ceiça Praxedes (REFIMOSAL), Carlos Frederico (NORSAL), Eduardo Medeiros (SALINA SÃO CAMILO), Fernando Rosado (UNISAL) e o presidente da Federação das Indústrias do Estado do RN (FIERN), Amaro Sales.

O ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho (PV), acompanhou o presidente Temer na audiência.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Economia / Política
segunda-feira - 18/09/2017 - 07:40h
Política

Um conflito deflagrado


Do Blog da Chris

Não chame para o mesmo local a vereadora Sandra Rosado (PSB) e o vereador Raério Cabeção PRB).

Os dois têm trocado farpas constantes no plenário da Câmara Municipal de Mossoró, a ponto de dificultar a convivência até mesmo na relação pessoal.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
quarta-feira - 16/08/2017 - 18:30h
Hoje

Julianne Faria tem dia estressante em passagem por Mossoró


A primeira-dama do estado e secretária de Estado do Trabalho, Habitação e Assistência Social (SETHAS), Julianne Faria  (PSD), conviveu com pequenos focos de insatisfações e protestos de movimentos organizados do funcionalismo estadual. Foi hoje (quarta-feira, 16), em Mossoró.

No final da manhã, Julianne protagonizou a inauguração do posto avançado da Central do Cidadão no “Shopping Estação”, centro da cidade.

Representou seu marido, o governador Robinson Faria  (PSD), que cancelou desembarque na cidade.

Forças organizadas do Sindicato dos Trabalhadores na Saúde do RN (SINDSAÚDE/RN) a hostilizaram e às demais autoridades presentes, como a prefeita Rosalba Ciarlini (PP), deputada estadual Larissa Rosado (PSB), vereadora Sandra Rosado (PSB), alguns vereadores, entre outras.

Vaias, apitaço e palavras de ordem, além de faixas, foram utilizadas pelos manifestantes.

Julianne (à direita, de azul), inaugurou o Posto Avançado ao lado de políticos locais e da região (Foto: PMM)

Já à tarde, ela visitou o Centro Administrativo Diran Ramos do Amaral, onde está instalada a Central do Cidadão e funciona a rodoviária intermunicipal.

Mais pressão

Verdadeira operação de guerra foi desencadeada antes por servidores terceirizados do estado, para manutenção da estrutura com o mínimo de limpeza. O local há muito tem desejado a desejar em termos de higiene, iluminação etc.

Em sua rápida passagem pelo local, Julianne Faria deparou-se com outro protesto. Servidores da Fundação Estadual da Criança e do Adolescentes (FUNDAC) e Departamento Estadual do Trânsito (DETRAN/RN) cobraram com faixas e palavras de ordem, “cumprimento de acordo judicial”.

Manifestantes aguardaram Julianne no Centro Administrativo com faixa dirigida ao "governador" (Foto: cedida)

Uma das faixas era dirigida ao “Governador”, que tinha agenda marcada para a cidade, mas terminou não comparecendo, devido à forte pressão desde ontem, em Natal, com a “Operação Anteros” (veja AQUI).

Ela chegou a conversar com alguns manifestantes, em tom cordial. Repetiu argumento que o governo tem expressado, para o não-atendimento de entendimentos salariais: o limite prudencial imposto pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

Julianne conversou com manifestantes, ponderando sobre dificuldades do governo em atender pleitos (Foto: cedida)

Julianne Faria não chegou a Mossoró em aeronave do estado. Utilizou carro. Foi entrevistada pontualmente por setores da imprensa nesse ínterim, mas desmarcou outros compromissos.

Funcionamento

A Central do Cidadão funcionará de segunda a sexta-feira, das 12h às 18h, para emissão de carteira de identidade, CPF, carteira de trabalho e atendimento do Moradia Cidadã, numa média de 4 mil atendimentos mensais.

O município cedeu seis servidores para garantir o funcionamento da unidade. A ideia de sua implantação surgiu do próprio empreendimento, pertencente ao Grupo Porcino Costa, que cedeu toda a estrutura, mobiliário e equipamentos.

A unidade já existente no Centro Administrativo-Rodoviária, segue com atendimento entre 7 e 13 horas.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Administração Pública / Política
quinta-feira - 10/08/2017 - 08:22h
Em Brasília

Dias de muita tensão


O grupo político-familiar da vereadora e ex-deputada federal Sandra Rosado (PSB) vive dias tensos.

Problemas no campo judicial geram esse estresse.

A estada dela e da filha e deputada estadual Larissa Rosado (PSB), em Brasília, diz muito dessa atmosfera aflitiva.

Os escaninhos do poder são percorridos milimetricamente na Capital Federal, em busca de apoio saneador.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
  • Repet
terça-feira - 25/07/2017 - 10:30h
Eleições 2018

Tião caminha à disputa estadual desconectado da realidade

Ex-candidato a prefeito aparece como um bom nome, mas distante ainda de ser um bom candidato

O empresário e ex-candidato a prefeito de Mossoró em 2016 Tião Couto (PSDB) tem se mexido fora de Mossoró para ser o candidato do seu partido ao governo estadual no próximo ano. Peregrina da capital ao interior. Até aqui, Tião segue como um bom nome, mas não um bom candidato.

O simples fato de existir desgaste cumulativo e robusto da política tradicional, dos partidos e dos políticos, não o credencia a ocupar esse espaço como algo novo, alternativo e diferenciado. A administração estadual de Robinson Faria (PSD) reprovada popularmente, ajuda-o a marchar, sem que instantaneamente o faça favorito à sucessão no próximo ano.

Francisco José perdeu contato com a realidade; Tião marcha para nova disputa com mesmo pecado (Foto: Mossoró Notícias)

A própria votação cevada empalmada por ele na disputa à prefeitura – 51.990 (39,39%) votos -, não o credencia “naturalmente” à concorrência estadual.

Basta aprender com os erros crassos de avaliação de voto, cenário e conceitos sobre a política e os políticos, vivenciados pelo ex-prefeito Francisco José Júnior (PSD).

Em 4 de maio de 2014, Francisco José Júnior foi eleito à prefeitura em disputa suplementar, com 68.915 (53,31%) votos. Em outubro de 2016, quase dois anos e cinco meses depois, só foram contabilizados 602 votos válidos a seu favor, em face até de sua desistência pública de candidatura, por detectar falta de apoio popular ao seu nome.

Ativo frágil

Tratássemos do “voto” pela ótica das Ciências Econômicas, poderíamos afirmar com segurança que é o caso típico de um “ativo” frágil. Seria uma “moeda” flutuante, sujeita às volatilidades de riscos, conforme o momento ou externalidades referentes às eleições e à dinâmica da própria política.

Francisco José Júnior não entendeu, que o DNA dos seus votos excepcionais em 2014 guardava composição heterogênea, resultado de uma conjuntura particular e favorável a seu projeto. Vestiu-se de líder e assumiu para si o capital que de verdade não lhe pertencia no todo.

Dois dias após sua eleição, o Blog Carlos Santos traçou o código genético de seu triunfo e alertou-o. Fomos ignorados. Vaidade embaciou seus olhos. Já estava tomado por uma certeza: era um líder.

Os votos derivavam de sua surpreendente gestão interina na prefeitura; do impedimento à nova candidatura da prefeita eleita, cassada e afastada Cláudia Regina (DEM); de uma corrente histórica anti-Rosado/anti-oligarquia; do apoio maciço do eleitor da então governadora Rosalba Ciarlini (PP), que queria derrotar outra vez a deputada estadual Larissa Rosado (PSB) e da incerteza de legalidade da própria postulação da parlamentar adversária.

Sandálias do bom senso

Com Tião, tudo indica, acontece igual pecado de análise dos números e desconexão da realidade dos fatos e do contexto em que esteve envolvido. Empavona-se com uma atmosfera política pontual e com votação que pode ser avaliada sem maior esforço. Foram votos anti-rosalbismo, anti-Rosado, anti-união Rosado-Rosado e em favor do perfil que procurou representar como homem de sucesso.

Daí é precipitado acreditar, que os 51.990 (39,39%) votos que recebeu à prefeitura em 2016, fazem parte do seu patrimônio particular como político da nova safra. Precisa refazer contas, reavaliar cenário e calçar as sandálias do bom senso.

Francisco José Júnior em 2014 obteve numérica e percentualmente, a maior vitória eleitoral em disputa municipal em todos os tempos, superando a própria Rosalba Ciarlini que em 1996 atropelou Sandra Rosado (PSB, então no PMDB). Compreensível, em parte, seu delírio com o poder.

Votos, liderança e perdas

Leia também: Novo prefeito ganha para dividir a história ou confirmar os Rosado AQUI;
Leia também: Voto se revela um ativo de alto risco na política de Mossoró AQUI;
Leia também: Rosalba chega à quarta eleição para a Prefeitura de Mossoró AQUI;
Leia também: O perigo do “Efeito Orloff” no futuro de Tião AQUI.

Àquele ano de 1996, Rosalba Ciarlini (filiada ao PFL) teve 57.407 (52,64%) votos, botando maioria de 31.289 votos sobre a prima Sandra.

Em 4 de maio de 2014, o prefeito interino Francisco José Júnior foi mais além. Destroçou Larissa Rosado com a soma de 68.915 (53,31%), numa maioria de 31.862 sobre ela.

Sandra e Larissa Rosado deixaram a oposição sem "dono" (Foto: Arquivo do Blog Carlos Santos e Costa Branca News)

Para provar como voto é um bem instável e de difícil manutenção e multiplicação, o ex-prefeito Francisco José está aí vivo para contar o enredo pós-urnas. Se tiver um espasmo de humildade, pode até reconhecer pecados e que chegou a ser avisado sobre o fenômeno.

Estuário

Na prática, os votos da oposição não têm dono e não possuem referência desde que o grupo de Sandra Rosado capitulou, convertendo-se em “neorosalbista”. Podem crescer ou não, dependendo de vários fatores, como a gestão Rosalba. Até aqui, não há um estuário para esses eleitores.

O ex-prefeito sonha em retornar à política e sabe que precisará investir muito mais para obter outro mandato eletivo. Um detalhe: Francisco José Júnior venceu a primeira eleição a prefeito da qual participou. Tião, não.

São dois momentos distintos, dois personagens muito diferentes, claro. Porém não custa estudar a história e respeitar os ensinamentos que ela oferece. Os fatos estão aí.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política / Reportagem Especial
domingo - 23/07/2017 - 04:18h

Aliança com prazo de validade?


Por Bruno Barreto

A dicotomia Rosado x Rosado durante 30 anos dividiu a política em Mossoró. Embora o grupo de Rosalba Ciarlini tenha sido hegemônico durante praticamente todo esse período, o sandrismo equilibrava as forças tendo mandatos na Assembleia Legislativa e Câmara dos Deputados.

Sem contar que na maior parte desse período esteve aboletado na estrutura do Governo do Estado.

O rosalbismo também tinha seus espaços na Assembleia e Câmara dos Deputados. Havia um equilíbrio de poder entre as duas alas do rosadismo. Agora o cenário é diferente e lembra o período anterior à divisão política dos Rosados.

O grupo rosadista tinha Carlos Augusto Rosado na Assembleia Legislativa e Vingt Rosado na Câmara Federal e o comando da Prefeitura de Mossoró com Dix-huit Rosado. Agora esses papeis são ocupados por, respectivamente, Larissa Rosado, Beto Rosado e Rosalba Ciarlini.

Como no período que antecedeu o pleito de 1986, há uma tensão abafada nos veículos de comunicação. Larissa quer ser reeleita como Carlos Augusto queria há 31 anos.

Mas o rosalbismo quer lançar um nome novo de dentro de casa, Lorena Ciarlini, como Vingt Rosado queria fazer com Laíre Rosado no passado.

Beto Rosado quer renovar o mandato como antes desejara Vingt, mas Sandra Rosado quer retomar o espaço que foi de seu clã por 13 legislaturas na Câmara Federal.

No passado, esse embate familiar provocou uma cisão que durou três décadas. Hoje não há a condição de grupo unido, mas de aliados de ocasião e com prazo de validade (?).

A estrutura da Prefeitura de Mossoró não tem condições de bancar duas dobradinhas federal/estadual no próximo ano. Na lógica rosadista é sempre “os de casa” primeiro.

Sem uma estrutura de poder, a ala sandrista sabe que não voltará a ter o poderio de antes e já provou disso em 2014. Insistir numa candidatura de Sandra a deputada federal pode por em risco uma reeleição possível de Larissa.

Só uma estrutura tornaria a dobradinha viável. Sem a ajuda palaciana, Sandra vai aceitar passivamente engolir mais um sapo ou seguirá máxima eternizada por seu pai, Vingt Rosado, de abrir os braços para não ser engolida?

A resposta a essa pergunta ajudará a responder a pergunta do título desta postagem: a aliança Rosado/Rosado tem prazo de validade?

Bruno Barreto é jornalista da FM 95.7 (Mossoró) e TV Cabo Mossoró (TCM)

Categoria(s): Artigo
  • Repet
terça-feira - 18/07/2017 - 17:48h
Sandra e Larissa

Grupo Rosado confirma prioridades eleitorais para 2018


Num bate-papo no programa “Jornal da Tarde” de hoje na Rádio Rural de Mossoró, a deputada estadual Larissa Rosado (PSB) foi direta:

Em 2018, o seu grupo tem duas prioridades: sua reeleição e o retorno de sua mãe e atual vereadora Sandra Rosado (PSB) à Câmara Federal.

Leia também: Sandra Rosado sonha o sonho difícil de novo mandato federal AQUI.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
segunda-feira - 17/07/2017 - 09:58h
Eleições 2018

Sandra Rosado sonha o sonho difícil de novo mandato federal


A vereadora Sandra Rosado (PSB) voltou a sonhar em, novamente, ocupar assento na Câmara Federal. Algo possível, sim. Mas extremamente difícil numa análise mesmo pueril.

As eleições de 2018 seriam esse trampolim para ela, que já esteve nesse poder em três mandatos. Não se reelegeu em 2014.

A prisão de Henrique Alves (PMDB), ex-presidente da Câmara Federal, praticamente o alija de uma vaga tida como “certa”, podendo abrir espaço à acomodação de outras forças – como a exumação de Sandra e seu grupo. O Rio Grande do Norte tem oito assentos de deputado federal.

Larissa, Henrique e Sandra: articulação de Henrique puxou Larissa e agora pode viabilizar Sandra (Foto: arquivo)

Mesmo bastante descapitalizada eleitoralmente e financeiramente, a saída de Sandra pode ser abrir caminho através de um “chapão”, costura já realizada no passado pelos dinossauros da política potiguar, barateando campanhas e oportunizando eleição dos mesmos nomes.

Paralelamente, não deve ser esquecido ainda, o projeto de reeleição de Larissa Rosado (PSB) à Assembleia Legislativa. Filha de Sandra, ela não se reelegeu em 2014.

Ardilosa articulação

Larissa foi içada novamente a esse parlamento no início deste ano, como desfecho de uma ardilosa articulação feita por Henrique nas eleições municipais de Natal e Mossoró ano passado (veja AQUI: ‘Consórcio’ Alves-Maia-Rosado planifica poder para 2018). Ele espera delas em 2018 a contrapartida, e não o contrário.

Noutro ângulo de análise surge mais um complicador para a vereadora e ex-deputada: ela hoje é uma neorosalbista. Integra bancada e grupo da ex-adversária por quase 30 anos, prefeita Rosalba Ciarlini (PP), que tem o sobrinho-afim Beto Rosado (PP) como seu candidato à reeleição à Câmara Federal.

Prioridades de Rosalba

A prioridade de Rosalba é Beto à Câmara Federal e tende a lançar sua filha e atual secretária da Ação Social, Lorena Ciarlini Rosado (PP), à Assembleia Legislativa. Sandra e Larissa têm que se virar sozinhas, se reinventando político-eleitoralmente.

Até 2014, os grupos de Sandra e Rosalba, primas e contendoras políticas, fabricavam laboratorialmente uma disputa majoritária entre seus candidatos à Câmara Federal, numa emulação que beneficiava os dois lados em Mossoró. Sempre tinham os candidatos mais votados em Mossoró, com grande acervo de votos à eleição de cada um. Começaram nessa “dobradinha” em 2004.

Walter, Fábio, Jácome, Zenaide, Beto, Rafael, Felipe e Rogério Marinho compõem atual bancada (Foto: montagem)

Bancada Federal – Os atuais deputados federais do RN são estes: Felipe Maia (PDT), Rogério Marinho (PSDB), Walter Alves (PMDB), Antônio Jácome (PMN), Beto Rosado (PP), Fábio Faria (PSD), Rafael Motta (PSB) e Zenaide Maia (PR). Desses, provavelmente Zenaide será candidata ao Senado por outra sigla. Os demais devem tentar a reeleição.

Dessa feita, se Sandra conseguir fôlego mínimo para ser candidata, não terá a seu favor essa atmosfera de disputa para provocar o eleitorado mossoroense a se dividir fartamente entre ela e outro Rosado. É possível que amealhe bem menos votos “contra” o “adversário” Beto Rosado.

Em 2006, por exemplo, ela empalmou em Mossoró 19.852 votos, contra 28.709 votos do seu primo Betinho Rosado (então no DEM, hoje presidente estadual do PP e pai de Beto Rosado). Já em 2010, conseguiu 25.072. Betinho alcançou 32.245.

“Duelos” de faz-de-conta

Em 2014, Sandra “enfrentou” Betinho Segundo, que depois de eleito adotou o nome político de Beto Rosado. Em Mossoró, ela somou 18.271 votos, contra 15.321 de Beto/Betinho.

Os tempos são outros. Os “duelos” de faz-de-conta provavelmente não terão o mesmo efeito no próximo ano, se forem outra vez reeditados.

Leia também: Após quase 70 anos, Mossoró pode ficar sem nome na Câmara Federal (AQUI).

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
  • Repet
terça-feira - 04/07/2017 - 14:14h
Câmara Municipal de Mossoró

Sandra justifica voto contra prestações de contas de Fafá


“Jamais votaria a favor da prestação de contas de uma administração incorreta e desonesta”. A frase foi disparada pela vereadora governista Sandra Rosado (PSB), no plenário da Câmara Municipal de Mossoró, na sessão de hoje.

Foi sua reação, além de votos, contra a aprovação em regime de urgência, das prestações de contas da ex-prefeita Fafá Rosado (PMDB), referentes aos exercícios 2011 e 2012 (veja AQUI).

Apesar de acordo no governismo para aprovação “cega” às duas matérias, ela redarguiu a quem não gostou de sua postura, de forma áspera.

“Eu não mudaria de opinião. Mossoró sabe como foi governada nesses anos”, completou.

Apesar de primas, Sandra e Fafá seguem como adversárias irreconciliáveis até aqui.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
terça-feira - 04/07/2017 - 13:56h
Vapt-vupt

Câmara aprova duas contas de Fafá Rosado em uma sessão


Tudo resolvido. Numa sessão com algumas escaramuças, certas resistências, a Câmara Municipal de Mossoró aprovou hoje com votação expressiva, as prestações de contas dos anos 2011 e 2012 da ex-prefeita Fafá Rosado (PMDB).

Fafá: alívio com união de bancadas (Foto: arquivo)

O placar foi de 14 votos favoráveis, um contra (vereadora governista Sandra Rosado-PSB) e quatro abstenções.

Na última quinta-feira (29), na sala da presidência da Casa, foi fechado acordo para que as prestações de contas fossem aprovadas consensualmente (veja AQUI). Uma reprovação teria sérias consequências para a ex-prefeita e outros personagens, como inelegibilidade e hipotéticas sanções cíveis e até criminais.

Bancadas de governo e parte da oposição endossaram o entendimento em plenário, mesmo sem conhecerem o conteúdo de nenhuma.

O assunto tem um enredo nebuloso e não começa e termina hoje. Por algum tempo, a prestação de contas de 2012 simplesmente sumiu da Câmara Municipal. Reapareceu como num passe de mágica.

Projetos de resolução

A sessão chegou a ser suspensa, para que fossem feitos às pressas projetos de resolução tratando das respectivas matérias, de modo a que fossem votadas e aprovadas em plenário. Sem esse instrumento jurídico, como recomenda o Tribunal de Contas do Estado (TCE), as votações poderiam ser nulas.

Apenas duas vozes foram ostensivamente contra o vapt-vupt nas votações: Sandra Rosado e a líder oposicionista Isolda Dantas (PT) – veja AQUI.

A decisão do legislativo foi comemorada também no Palácio da Resistência, sede da prefeitura, apesar de Fafá Rosado ser “adversária” da prefeita Rosalba Ciarlini (PP).

Leia também: Mobilização política faz blitz para aprovação de contas de Fafá AQUI.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Administração Pública / Política
Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.