sexta-feira - 18/08/2017 - 11:57h
Este Ano

Festival de Teatro da Uern homenageará Milton Marques


Milton: homenagem (Foto: arquivo)

O XII Festival de Teatro da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (FESTUERN) terá como tema este ano “O Teatro do Bem Viver: arte, saúde e educação”.

A Universidade do Estado do RN (UERN) anunciou que homenageará o ex-reitor Milton Marques de Medeiros nessa edição do evento, que ocorrerá entre 11 e 13 de setembro, reunindo 23 escolas de 11 municípios potiguares.

O comunicado foi feito pelo reitor da UERN, professor Pedro Fernandes Neto, em encontro com Zilene Medeiros, esposa de Milton Marques e diretora da TV Cabo Mossoró (TCM).

Milton Marques faleceu em abril deste ano.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Comunicação / Cultura / Gerais
sexta-feira - 18/08/2017 - 11:44h
Em setembro

Professores decidem fazer paralisação na Uern


A Associação dos Docentes da Universidade do Estado do RN (ADUERN) decidiu agora pela manhã, em assembleia, indicativo de greve na instituição.

Definida para o dia 1º de setembro.

A paralisação poderá ter desdobramento sem tempo para ser encerrada.

A principal cobrança da Aduern é pela atualização salarial e Plano de Cargos e Salários.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Gerais
terça-feira - 01/08/2017 - 12:38h
Economia

Nova pesquisa mostra perfil de público do Cidade Junina 2017


O Mossoró Cidade Junina (MCJ) 2017 foi objeto de outra pesquisa científica, além de uma já divulgada recentemente pela Universidade do Estado do RN (UERN), por encomenda da Prefeitura Municipal de Mossoró. A sondagem foi realizada pelo Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento do Comércio (IPDC).

O trabalho foi solicitado pelo Sindicato do Comércio Varejista de Mossoró (SINDIVAREJO), através da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do RN (FECOMÉRCIO/RN). O IPDC é órgão ligado à própria Fecomércio.

Perfil do público

Quem passa a informação é o presidente do Sindivarejo, Michelson Frota, adiantando que o trabalho está tabulado e será apresentado à próxima semana à cidade, pelo presidente da Fecomércio/RN, Marcelo Queiroz.

- Posso adiantar que são impressões muito interessantes. São dados sobre o perfil do público participante da festa. Ajudarão o empresariado e principalmente à prefeitura – comenta Michelson.

“Fica claro como é preciso planejamento e organização para atrair um público de fora, de outro universo consumidor,  para verdadeiramente irrigar a economia local”, antecipa.

Leia também: trabalhos do IPDC realizados em Mossoró AQUI;

Leia também: Relatório mostra efeito financeiro do Mossoró Cidade Junina AQUI.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Economia
segunda-feira - 31/07/2017 - 21:50h
Eleições

Reitor diz que não tem chapa de preferência na Aduern


O reitor da Universidade do Estado do RN (UERN), Pedro Fernandes Neto, deixou claro hoje que não tem lado ou preferência na eleição interna da Associação dos Docentes da Uern (ADUERN).

O pleito à nova diretoria ocorrerá no dia 16 de agosto.

Entrevistado no programa “Jornal da Tarde” da Rádio Rural de Mossoró nessa segunda-feira (31), ele teve postura salomônica, de equidistância da disputa.

“Alguns acham que por ter surgido outra chapa, é a chapa do reitor. Eu não vou me posicionar nessa eleição. Acho que o sindicato tem que ser forte e espero que vença o melhor”, disse.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Política
  • Repet
quinta-feira - 27/07/2017 - 06:52h
Atraso salarial

Professores da Uern passarão a socorrer colegas da Uerj


A Associação dos Docentes da Universidade do Estado do RN (ADUERN) decidiu em assembleia nessa quarta-feira (26), pela criação de fundo de apoio a professores da Universidade do Estado do RJ (UERJ). Eles convivem com três meses de salários atrasados e sem perspectiva de pagamento.

O presidente da Aduern, Lemuel Rodrigues, resgatou os antecedentes sobre a campanha em favor dos servidores da Uerj, promovida pela Associação Nacional dos Docentes do Ensino Superior (ANDES),  perante as Associações de Docentes de todo o Brasil.

Ele explicou que os recursos arrecadados destinam-se a um fundo de solidariedade do sindicato nacional e que, logo que essa situação financeira se resolver, tais valores serão devolvidos. Aduern fará doações mensais até Dezembro de 2017 no valor de R$ 2.000,00.

Paralisação

Paralelamente, a Aduern definiu pela constituição de um comando de mobilização, formado pela base e diretoria, e convocação de nova assembleia no dia 18 de agosto.

Haverá discussão de estratégias de enfrentamento da situação atual de atraso salarial há 18 meses no RN, incluindo possibilidade de indicativo de greve.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Gerais
quarta-feira - 19/07/2017 - 19:52h
Eleições

Aduern terá disputa interna para o seu comando


Duas chapas se inscreveram para a disputa das eleições da Associação dos Docentes da Uern (ADUERN) no biênio 2017-2019. Na sexta-feira (21), às 9h a comissão eleitoral divulgará a homologação das candidaturas, após acolhimento de recursos, e dará largada oficial ao período de campanha.

Esta é a terceira vez, em 37 anos de história, que a Aduern terá disputa entre duas ou mais chapas.

Pela manhã foi registrada a chapa Sindicato é Para Lutar, encabeçada pela professora Rivânia Moura, que é lotada na Faculdade de Serviço Social (FASSO).

Os demais membros da chapa são: Alexsandro Donato – Vice-presidente; Márcia Maria Alves – Secretária; Ciclene Alves – Secretária Adjunta; Valdomiro Morais – Tesoureiro; Zacarias Marinho – Tesoureiro Adjunto; Ana Lúcia Gomes – Cultura, esporte e Lazer; Verônica Aragão – adjunta Cultura, esporte e Lazer; Felipe Caetano Oliveira – Diretor Aposentados; Taniamá Vieira – Diretora Adjunta de Aposentados.

Durante a tarde se inscreveu a chapa Unidos pela Aduern, que terá como candidato à presidência o professor Denys Tavares de Freitas, docente da Faculdade de Direito (FAD).

Também compõem a chapa Mademerson Costa – Vice-presidente; Antonia Liria Nogueira – Secretária; Lucirene Lopes – Secretária Adjunta; Janderson Dantas – Tesoureiro; Isac Nogueira- Tesoureiro Adjunto; Leonardo Rolim – Cultura, esporte e Lazer; Isaac Oliveira Filho – adjunto Cultura, esporte e Lazer; Luzinete Cabral – Diretora de Aposentados e Antonio Gomes Diretor adjunto de Aposentados.

As eleições vão ocorrer no dia 16 de agosto, para mandato no biênio 2017-2019.

O atual presidente é o professor Lemuel Rodrigues.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Gerais
  • Lion, Moda Masculina, de João Paulo Araújo - 11-08-15
domingo - 16/07/2017 - 11:21h

A realidade cruel que mutila e mata gente sofrida e indefesa


Por Ronaldo Fixina

Merece elogio a atuação da Diretoria do Hospital Regional Tarcisio de Vasconcelos Maia (HRTM), em Mossoró. Faz o possível. Todos os brasileiros e brasileiras, desde o nascimento, têm direito aos serviços de saúde gratuitos.

O Sistema Único de Saúde (SUS) é um direito de todos: é integral, garante equidade e é descentralizado. A população deve exigir seus direitos constitucionais.

A classe médica por um dever de consciência tem a obrigação de denunciar a omissão dos gestores da Saúde Pública. Estes, por uma questão de justiça, deveriam ser punidos pessoalmente com altas multas e prisão.

Centenas de pacientes de Mossoró são penalizados pela atual administração, em virtude da inexistência de cirurgias eletivas. Uma fratura, uma colecistite, um mioma uterino pode motivar a morte de pacientes em Mossoró pela impossibilidade de realizar uma simples cirurgia eletiva.

A Saúde Pública de Mossoró jamais foi levada a sério ou considerada prioridade nesta cidade. Prefeitas enfermeira (fracasso total – horrível ), médicas e até mesmo um almofadinha, nunca estabeleceram metas de prioridades nesta área, talvez por considerarem investimentos em saúde como gastos ou despesas desnecessárias.

Os vereadores, têm grande responsabilidade sobre diferentes aspectos no tocante às políticas de saúde, todavia permanecem silentes. Ao invés de solicitação de recapeamento asfáltico em rua de eleitor barato ou desentupimento de bueiro, legislassem no que coubesse sobre a saúde no que tange à prestação de serviço envolvendo políticas públicas de Saúde.

Omissão total.

O Decreto que estabeleceu a Calamidade Pública na rede Hospitalar do Estado por analogia é um atestado de incapacidade administrativa. E em Mossoró a situação é critica, muito crítica.

Uma “rede” de bajuladores é orientada para propagar que não existem recursos. Dinheiro tem e muito.

Por mais estranho que pareça nos deparamos em horário nobre da TV Globo,  com uma feérica propaganda do São João que diz a verdade: o São de Mossoró é “É muito mais do que você imagina”. Uma verdade.

Realmente a Saúde de Mossoró “É pior do que você pode imaginar”.

Aqui você se depara com o sofrimento de dezenas de pacientes mendigando uma cirurgia. Enquanto isso, escutamos um festival de dislates: reabrir o eternamente inútil Hospital da Policia, a Universidade do Estado do RN (UERN) vai construir um grande hospital escola (sem leitos), retomar as obras do Hospital Duarte Filho. A Universidade Federal Rural do Semiárido (UFERSA), certamente também vai construir um fenomenal hospital universitário baseado em evidências.

Apenas exemplificando a inversão de prioridades: no dia do derramamento de “cultura” de Michel Teló em Mossoró, na Estação das Artes Elizeu Ventania, um paciente aqui, sentindo intensas dores não era submetido a uma cirurgia (amputação de uma perna) por falta de uma serra de Gigli (instrumento medieval) que custa a bagatela de R$ 50,00 reais. É uma desumanidade.

Ridículo e cômico se o paciente não estivesse sentindo tanta dor

É uma estupidez uma paciente de Mossoró ser encaminhado para cirurgia em Alexandria! E mudou? Outrora as pacientes de Mossoró eram encaminhadas pela Secretaria Municipal da Doença e da Incompetência para Russas (CE).

Uma matula de jurássicos invadiu os corredores da Secretaria Municipal de Saúde. Quem é responsável pela inexistência das cirurgias eletivas dos usuários dos SUS em Mossoró? A quem interessa a judicialização de filas de pacientes? Quanto vale uma vida de um usuário do SUS para alguns gestores da saúde?

A realização de uma cirurgia eletiva aqui em Mossoró implica em percorrer um caminho extremamente difícil. Uma peregrinação dolorosa para crianças e idosos. Um massacre. Nenhum documento elucida possíveis acordos entre os hospitais privados e os gestores da saúde.

Por uma questão jurídica e, de obediência aos critérios para contratualização com o SUS, nenhum hospital em Mossoró poderia ser contratado pois eles não tem funcionários médicos.

Como realizar cirurgias sem anestesiologista, cirurgião, ortopedista, etc. etc. Sem um contrato de prestação de serviços entre especialistas e os gestores da saúde, não há nenhuma obrigação de atendimento.

Da mesma forma que o calote institucional torna o trabalho sem satisfação e sem determinados compromissos por parte do trabalhador médico. E o médico encontra-se amparado no direito irrefutável de receber seus honorários justos e possíveis. E por que médico honesto não pode ser bem remunerado??

O cidadão (contribuinte) já não suporta mais ver seus direitos constitucionais serem usurpados. As autoridades constituídas deveriam obedecer os princípios constitucionais da eficácia, eficiência e efetividade, etc. etc. etc.

Ronaldo Fixina é médico anestesiologista, delegado sindicato do Sindicato dos Médicos do RN (Sinmed/RN) e dirigente Cooperativa dos Anestesiologistas de Mossoró (CAM)

Categoria(s): Artigo
quarta-feira - 12/07/2017 - 18:26h
Segurança

Uern vai retomar atividades normais amanhã


A Universidade do Estado do RN (UERN), que suspendeu suas aulas ontem por falta de segurança terceirizada em suas unidades, retomará atividades normais amanhã (quinta-feira, 13).

A greve dos vigilantes da empresa “RN Segurança” – por atraso salarial – foi contornada pela pela própria direção da terceirizada, que assegurou pessoal para atender o contrato que tem com a instituição.

A greve começou segunda-feira (veja AQUI).

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Gerais
  • Lion, Moda Masculina, de João Paulo Araújo - 11-08-15
domingo - 18/06/2017 - 18:50h

Viabilidade econômica e social da Uern


Por Adonias Vidal de Medeiros Júnior

É um erro muito grave atribuir à Rede de Ensino Superior do Estado às razões das dificuldades pela qual atravessa o RN. Os problemas nacionais, regionais e estadual, são outros. Podemos até abrir uma frente de discussão sobre isso em outra ocasião.

A Universidade do Estado do RN (UERN) é um patrimônio educacional e de desenvolvimento do Estado do Rio Grande do Norte e gera retornos econômicos e sociais superavitários em relação à aplicação de recursos em sua manutenção e funcionamento. De maneira que deveria ser elevada e valorizada para expandir muito mais os seus benefícios socioeconômicos por todas as regiões do RN.

A Uern pertence ao Sistema Educacional do Estado, isso significa dizer que há 30 anos o Estado reconheceu à necessidade de ampliar sua política educacional, dando continuidade à formação da população mais carente de todas as regiões do RN, inserindo-a diretamente no ensino superior, justamente por entender o fato que a transformação socioeconômica dos municípios ocorre por meio da elevada qualificação do seu capital humano.

Retornos superavitários

Os salários médios para quem tem ensino superior completo no RN são 3 (três) vezes maior do que os salários médios de quem tem apenas o ensino médio completo (RAIS, RN, mapa do ensino superior no Brasil, 2016). Isto representa uma elevadíssima taxa de retorno do investimento em educação superior no Estado do RN, a qual multiplicada por dezenas de milhares de profissionais atuantes nos setores público e privado em todo o Estado oriundos da Uern, gera um movimento circular de renda de bilhões de reais por ano contabilizados pelo PIB do RN.

Atualmente o custo corrente médio por aluno da Uern é de R$ 911,15 por mês, para formar profissionais de todas as áreas do conhecimento que depois de formados alcançam salários mensais médios de R$ 4.560,29 (RAIS, RN, mapa do ensino superior no Brasil, 2016), portanto, uma relação estimada de benefício nominal de cerca de 400%, pelo investimento realizado, com a grande relevância social de quem estar sendo atendido são justamente as pessoas que mais necessitam (alunos da rede pública estadual e de baixa renda) e dos municípios/microrregiões/territórios mais carentes de desenvolvimento.

Esta eficiência de gestão é ao mesmo tempo efetiva por promover a mobilidade de renda das famílias mais pobres do Estado.

Nossos índices de empregabilidade/empreendedorismo imediata após a formação é de 79%. Considerando salários médios dessa magnitude, apenas os recolhimentos tributários tradicionais sobre a folha de pagamento do setor público e do setor privado, que retornam diretamente para os cofres públicos, já ultrapassam os R$ 1.000,00, ou seja, já são mais do que suficientes para custear o investimento inicial da formação superior da Uern.

Como sabemos, o salário líquido será do mesmo modo aplicado nas necessidades básicas do cidadão que fará movimentar o comércio, a agricultura, os serviços e por consequência toda a economia que é a fonte geradora de cerca da metade das receitas do Estado do Rio Grande do Norte (icms, ipva, ir, taxas diversas).

Traduzindo em miúdos, e observando apenas os números “frios/duros” estamos falando de uma área da administração pública estadual que promove serviços educacionais a sociedade e em decorrência disso gera retornos econômicos, sociais e tributários aos cofres públicos do Estado do RN, muito superiores aos valores investidos inicialmente, ou seja, além desses retornos serem superiores as suas despesas, contribui para financiar outras áreas de atuação do Estado.

Além do alcance de visões limitadas

Ainda sobre os retornos econômicos e sociais há muito que acrescentar e creio que possa ser objeto de outra matéria, uma vez que a Uern desenvolve mais de 620 projetos/programas/ações de pesquisa, ensino e extensão universitárias em todas as áreas (ciências da saúde, ciências exatas e naturais, ciências humanas e sociais) e contando com parceria de prefeituras (secretarias municipais), governo do estado (secretarias e órgãos do estado), empresas, instituições de ensino superior, poder legislativo, ministério público, poder judiciário, ministérios do governo federal, associações, conselhos de classes entre outros.

O próprio desenvolvimento da educação básica do Estado, do mesmo modo, está diretamente ligado à Uern, que possui em seus pilares a formação e qualificação de professores para a rede básica de ensino estadual e municipais, chegando nos municípios do interior sendo responsável pela formação de cerca de 90% a 100% dos profissionais da educação que atuam nas escolas dessas redes de ensino. Inclusive oportunizando qualificações para professores e servidores das redes de educação pública do estado e dos municípios em níveis de mestrado e doutorado no interior do RN.

Pode-se ainda dissertar e mensurar a contribuição da Uern quanto à: relação inversa e bastante alta entre ensino superior e criminalidade; relação direta entre nível educacional e a participação democrática, assim como a contribuição do background familiar advindo do ensino superior.

O caminho a seguir

O RN não pode mais perder tempo e continuar ficando pra trás dos demais estados do NE. Precisamos urgentemente dar mais celeridade e ampliar o processo formativo em nível superior dos nossos jovens e adultos em todo o Estado.

Os resultados econômicos e sociais da Uern estão aí para quem quiser ver ou auditar. A sua autonomia financeira representa apenas que o seu orçamento anualmente aprovado, terá mais segurança quanto a sua execução, promovendo muito mais benefícios socioeconômicos ao RN.

Definitivamente, não podemos penalizar áreas de gestão que mais geram resultados em detrimento de áreas que não o faz, é um péssimo exemplo além de ser completamente equivocado.

As modernas técnicas de gestão da coisa pública determinam o contrário, deve-se elevar e valorizar com mais incentivos os bons resultados de gestão, para servir de catalisador de boas gestões das demais áreas criando um ciclo positivo e nivelando por cima as instituições/órgãos dos governos.

Adonias Vidal de Medeiros Júnior é professor da Uern

Categoria(s): Artigo
quinta-feira - 15/06/2017 - 07:04h
Opinião

Vereadora Eleika acha ‘absurda’ autonomia financeira da Uern


Com larga atuação na área educacional e em seu segundo mandato consecutivo na Câmara Municipal do Natal, a vereadora Eleika Bezerra (PSL) é peremptoriamente contra qualquer arremedo ou projeto de autonomia financeira da Universidade do Estado do RN (UERN). Para ela, não é papel do governo estadual bancar a instituição.

Eleika tem larga trajetória na educação (Foto: CMN)

Nas redes sociais, Eleika diz que é “um absurdo a Uern querer autonomia financeira!”. Lembrou que “a competência dos Estados é com a educação básica (0 aos 17 anos) e especificamente com o ensino médio (15 aos 17 anos). Educação básica é tão básica que se chama básica! Quais as explicações para o Estado do RN oferecer ensino superior (graduação e pós graduação) se oferece o segundo pior ensino médio do Brasil?!”

Federalização

“A Uern há muito deveria ter sido federalizada.Será que o RN – sobretudo sua classe política – não enxerga o absurdo de um estado pobre manter uma universidade?!”, insistiu

A vereadora assinalou, que estudos mostram que “apenas 30% da população brasileira lê plenamente (interpreta, analisa, sintetiza)”. Acrescentou ainda que “esse absurdo também pode ser visto no município de Natal quando oferece bolsas para o ensino superior e submete a população infantil a um estranho sorteio.”

Trilha na educação

No segundo governo de José Agripino, entre 1990 a 1994, a professora Eleika exerceu o cargo de Secretária-adjunta de Educação. Na Prefeitura do Natal, ela esteve à frente da pasta da Educação em 1999 e da Ielmo Marinho em 2005. Foi eleita à  Câmara Municipal do Natal em 2012 (PSDC) e reeleita ano passado com 3.758 votos.

Ela adotou a doação integral dos seus subsídios de vereador para entidades filantrópicas e educacionais, como uma de suas referências de atuação política.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Educação / Política
quarta-feira - 14/06/2017 - 07:48h
Assembleia Legislativa

Autonomia financeira da Uern será debatida hoje


De autoria da deputada estadual Larissa Rosado (PSB), audiência pública debate nesta quarta-feira, 14, às 14h30, na Assembleia Legislativa do Estado, a autonomia financeira da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN).

Adonias Vidal, Pró-Reitor Adjunto de Planejamento, Orçamento e Finanças da Uern, lembra que o Projeto já está inserido no Plano Plurianual (PPA 2016-2019), no Plano Estadual de Educação (2015-2025), na Lei de Diretrizes Orçamentárias (2017) e no PDI Plano de Desenvolvimento Institucional da UERN (2016-2026).

“Em todos esses instrumentos as metas são para implantação da autonomia em 2017, de maneira que a Universidade entende que esse Projeto pode se concretizar com a aprovação da Lei esse ano ainda na Assembleia, cumprindo todas metas que estão nas leis descritas acima”, diz.

Com informações da Assessoria de Larissa Rosado.

Categoria(s): Administração Pública / Política
terça-feira - 13/06/2017 - 13:20h
Câmara Municipal de Mossoró

Audiência discutirá nova utilização do Hospital da Polícia


Em reunião hoje (terça-feira, 13) na Reitoria da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), novamente foi discutida a possibilidade de reabertura do Hospital da Polícia Militar em Mossoró. A ideia em andamento na Uern, é de transformação desse equipamento num “Hospital Universitário”.

Uern sediou mais uma etapa das discussões sobre o tema que mobiliza outras instituições (Foto: cedida)

Várias instituições defendem essa nova destinação do Hospital da Polícia Militar em Mossoró.

Como contribuição da Câmara Municipal, a vereadora Sandra Rosado (PSB) encaminhou aprovação na sessão ordinária desta manhã, de audiência pública para discutir o tema, no plenário da Casa, em data a ser agendada.

“Importante o debate para envolver o Legislativo e o Município nessa causa, porque Mossoró precisa do Hospital da Polícia”, justifica.

Com informações da Assessoria de Sandra Rosado.

Categoria(s): Política / Saúde
terça-feira - 30/05/2017 - 06:48h
Mobilização

Audiência e autonomia financeira movem Frente pró-Uern


No próximo dia 14, as atividades da Frente Parlamentar e Popular em Defesa da Universidade do Estado do RN (UERN) será objeto de audiência pública na Assembleia Legislativa. A proposição é da deputada estadual Larissa Rosado (PSB).

Nessa segunda-feira, a Frente teve reunião na Câmara Municipal de Mossoró, onde nasceu, discutindo questões diversas como a autonomia financeira, contribuição social da Uern para o estado e outros pontos.

Uma proposta para autonomia financeira da instituição deverá ser apresentada até dezembro deste ano.

O vereador Francisco Carlos (PP) é o coordenador desse movimento, que conta com representantes do legislativo mossoroense, Assembleia Legislativa, segmentos da Uern e setores da sociedade.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Administração Pública / Política
sábado - 27/05/2017 - 10:08h
Segunda-feira, 29

Frente em Defesa da Uern discutirá autonomia financeira


A Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) será tema de debate no plenário da Câmara Municipal de Mossoró, com reunião ampliada da Frente Parlamentar e Popular em Defesa da Uern, segunda-feira (29), às 9h. O encontro terá como temática central o financiamento da instituição.

O coordenador da Frente, vereador Professor Francisco Carlos (PP), informa que o evento debaterá contribuição social e condições de financiamento da Uern e proposta de autonomia financeira da universidade, vista como alternativa fundamental para fortalecimento da instituição universitária.

A Frente foi formada ainda ano passado, reunindo variados setores da política e da sociedade, em especial com representantes da Câmara Municipal de Mossoró e da Assembleia Legislativa.

Com informações da Assessoria do vereador Francisco Carlos.

Categoria(s): Administração Pública / Política
  • Lion, Moda Masculina, de João Paulo Araújo - 11-08-15
quarta-feira - 24/05/2017 - 11:54h
Em Mossoró

Audiência discutirá por que governo segura recursos do HRTM


Por iniciativa do deputado Manoel Cunha Neto, o Souza (PHS), a Assembleia Legislativa promove nesta sexta-feira (26), em Mossoró, audiência pública a fim de discutir obras de reforma e ampliação dos leitos de UTI do Hospital Regional Tarcísio Maia (HRTM). O debate acontece no auditório da Faculdade de Medicina da Universidade Estadual do RN (UERN), às 9h.

HRTM espera quase R$ 2 milhões para obras e governo não atende emendas "impositivas" (Foto: arquivo)

“O hospital regional atende cerca de 65 municípios do nosso Estado e, mesmo assim, possui um número reduzido de leitos de UTI. Além disso, constantemente o Governo do RN vem custeando esses serviços em unidades privadas, por força de determinação judicial”, afirma o parlamentar.

O deputado explica que destinou, para a unidade de saúde, emendas parlamentares “impositivas” (governo é obrigado a atender) no valor de R$ 1,8 milhão, que não foram liberadas por falta de deflagração do processo licitatório por parte da Secretaria de Estado da Saúde Pública (SESAP).

Sem solução

Ainda segundo o parlamentar, apesar de o hospital já ter sido objeto de relatório da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), de inspeção do Ministério Público e de deferimento de ação cautelar pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE-RN), não houve soluções práticas para a melhoria da saúde pública na região.

“A referida audiência, portanto, visa discutir questões de extrema necessidade e relevância e que têm causado prejuízos tanto à sociedade potiguar quanto aos cofres públicos”, reforça Souza.

Para o debate, foram convidados representantes do TCE, da OAB/Mossoró, da UERN e da UFERSA, do Hospital Regional Tarcisio Maia, das Secretarias de Saúde envolvidas, da Secretaria de Infraestrutura, Promotorias, Prefeituras e Câmaras Municipais do Estado, além de outras instituições ligadas ao tema e sociedade civil.

Com informações da Assembleia Legislativa.

Categoria(s): Política / Saúde
terça-feira - 09/05/2017 - 14:06h
Mossoró

Prefeitura prepara organização legal do Parque Municipal


Segundo informação da Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Mossoró, “está em fase de elaboração, através do Conselho Municipal de Meio Ambiente (CONDEMA), a minuta do regimento interno do Parque Municipal Maurício de Oliveira. As reuniões iniciaram em março e o documento vai determinar regras de funcionamento do equipamento”.

Ano passado o Parque Municipal era assim... (Foto: arquivo)

O Condema é um órgão consultivo e deliberativo que tem por finalidade definir diretrizes e políticas voltadas ao meio ambiente. Participam das reuniões representantes do IBAMA, ICMBio, UERN, UFERSA, Ministério Público Estadual, Polícia Ambiental, Câmara Municipal e Prefeitura de Mossoró, além de representações da sociedade civil.

A presidente é a titular da Secretaria Executiva de Meio Ambiente e Urbanismo, Doriana Burlamaqui.

Criado em 2016, o Parque Municipal sequer possuía regimento, salienta a municipalidade.

Foi obra articulada pelo então prefeito Francisco José Júnior (PSD), com recursos da iniciativa privada (empresa A&C).

Nos últimos meses têm sido objeto de intensas críticas de usuários, em face do abandono a que o local foi condenado.

Nota do Blog – Importante iniciativa da prefeitura. Mas isso não a impede de tomar providências mais urgentes como garantia de limpeza, desobstrução de pista para caminhadas, segurança e retirada do mato que avança célere.

...e agora é assim: abandono (Foto: cedida)

A estrutura disponível na municipalidade pode realizar isso, sem maior dispêndio. Basta iniciativa e boa vontade, pois o equipamento é público e não do ex-prefeito.

Repetindo: iniciativa e boa vontade. O patrimônio é dos mossoroenses.

Vamos lá!

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Administração Pública
  • Repet
domingo - 07/05/2017 - 15:59h
Conversando com... Cláudio Santos

Desembargador tem outra visão sobre Uern e critica governo


Nascido em Jardim do Seridó em 1954, o desembargador Claudio Santos, deixou a presidência do Tribunal de Justiça do RN (TJRN) em janeiro deste ano. Desembarcou em novo papel nesse poder. Cuida da direção da Escola da Magistratura (ESMARN).

Cláudio Santos destacou sua passagem pela presidência do TJRN (Foto: Blog Carlos Santos)

À semana passada ele esteve em Mossoró e foi entrevistado pelo Blog Carlos Santos, ao cumprir agenda de trabalho na cidade.

Casado, pai de três filhos, Santos atuou como jornalista e advogado, passando por redações de publicações como Tribuna do Norte e RN Econômico, quando bem jovem. Ingressou na carreira jurídica, atuando como advogado e chegou ao TJRN em agosto de 2004 pelo quinto constitucional (egresso da carreira advocatícia).

Antes, ainda teve passagem pela Secretaria de Segurança do Estado (2003-2004).

Conosco, ele foi provocado sobre vários temas, não se esquivando ou recorrendo a evasivas.

Sobre a Esmarn

Em relação à Esmarn, Cláudio Santos afirmou que há planos de promover trabalhos para reciclagem de juízes e também melhoria do pessoal do Judiciário. Entre as ideias, “curso interessante que será o Diálogo com a Justiça”. Segundo ele, será abertura de contato com a sociedade, para discussão de questões diversas de poder e sua relação com o jurisdicionado.

Gilmar Mendes e a liberdade para José Dirceu

A decisão à semana passada de garantia de habeas corpus para um dos líderes do PT, José Dirceu, no âmbito do Supremo Tribunal Federal (STF). Na ótica de Cláudio Santos, o “entendimento que prevaleceu foi alicerçada na Constituição”, com placar de 3 x 2, garantido pelo ministro Gilmar Mendes. Ponderou que “a Justiça é isso: interpretação e aplicação do Direito. Cada um tem sua maneira de aplicar as normas jurídicas”.

Gestão no TJRN e dinheiro em caixa

Cláudio Santos lembrou que deixou R$ 564 milhões em caixa no TJRN, ao deixar a presidência desse poder. Mas em algumas comarcas, a Justiça funciona com pessoal e prédio cedidos por prefeituras.

“Não é um paradoxo, desembargador? Isso não é uma espécie de Hobin Hood pelo avesso?” – indagamos.

- O Judiciário do RN é um dos mais caros do Brasil. Não fiz tudo que quis fazer, com meu perfil de gestor rigoroso, até porque não podia fazer mais por cima da vontade do colegiado. A Justiça do RN custa R$ 250 per capita/habitante/ano. No Ceará é R$ 136. Eu poderia ter deixado R$ 1 bilhão em cofre. Eu acho que não temos grandes necessidades de fóruns no interior, pelo menos em termos físicos. Mas eu pergunto: será que esse dinheiro não é do povo do RN em vez do Judiciário? Mas parece que todo juiz, todo diretor, sempre deseja mais gente. Não sei se precisa de tanta gente, já que investimos pesadamente em tecnologia para economizarmos recursos e em nome da eficiência. Em relação ao pessoal eu não pude fazer muita coisa, porque o próprio Judiciário está acima do limite da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). A própria Justiça descumprindo a lei. Não poderemos aumentar despesa com pessoal por pelo menos uns oito anos.

Dinheiro para Saúde e Segurança

Ele destaca, que em sua passagem pela Presidência do TJRN, tentou destinar boa parte dessa economia para que o Executivo tivesse realizações nas áreas da Segurança e Saúde, em especial. Mas sofreu pressão em contrário no próprio Judiciário.

- Ofereci R$ 100 para o Governo do Estado investir para a Saúde e Segurança, mas fui impedido pela Associação dos Magistrados. Recursos para compra de munição, diária operacional. Garanti R$ 20 milhões para construção de presídio e até agora o governo não fez nada, não tem um projeto.

Prioridades e o caos na Segurança Pública

Com passagem pela pasta da Segurança Pública na gestão Wilma de Faria (então no PSB) entre 2003 e 2004, Cláudio Santos questiona o modelo de governo adotado no RN. Para ele, a opção pelo assistencialismo, o clientelismo, em vez de prioridades para Saúde, Educação e Segurança, explica um pouco a violência de hoje.

- O governador tem que escolher entre assistencialismo e modelo de estado mínimo mais forte, com segurança, saúde e educação sendo prioridades. O Executivo negligenciou isso ao longo dos anos e décadas. Eu provei que com 7,5 % do orçamento no TJ foi possível fazer muito. Existe dinheiro. O estado está aplicando mal aplicado. Será que não está priorizando demais a pasta do Desenvolvimento Social? Na Paraíba, no Ceará, estados vizinhos, os governos estão pagando salário em dia e com estruturas de segurança e saúde melhores. Por que será?

Assinalou, que quando foi secretário destinou 80 veículos para a polícia na região “e hoje a gente sabe que rodam no máximo uns oito em Mossoró, para cobrir todo esse vasto município, com quase 300 mil habitantes.”

Uern e privatização

Há alguns meses, Cláudio Santos chegou a defender a privatização da Universidade do Estado do RN (UERN). Hoje, depois de muitos debates, embates e reflexões, repensa a proposta.

- Eu refluí um pouco de ter essa ideia como única opção, mas continuo defendendo a universidade para os carentes, os pobres; com as pessoas que podem pagar, pagando por essa formação. Continuo defendendo os estudantes carentes, professores e funcionários. O próprio poder Judiciário precisa ser discutido publicamente. É isso que defendi e continuo defendendo em relação à Uern. A privatização não é necessariamente o objeto da discussão, mas precisamos discutir suas finanças.

Carreira política

- O senhor tem se envolvido densamente em debates políticos e conversado com os mais variados segmentos políticos do estado. Vem aí uma candidatura em 2018?

- Só se for inevitável (afirma, sorrindo)!

Garante que não tem pretensão político-partidária eleitoral, mas tem conversado sobre temas relevantes e assuntos que dizem respeito à atividade. Em Mossoró mesmo, esteve jantando com os ex-candidatos a prefeito e vice de Mossoró, empresário Tião Couto (PSDB) e Jorge do Rosário (PR), respectivamente. Mas justificou que tudo não passou de coincidência (veja AQUI).

Operação Lava Jato

Na ótica do desembargador Cláudio Santos, a “Operação Lava Jato” é divisora de águas na vida nacional. Haverá uma gradual mudança de cultura na política e na própria postura do cidadão em relação à atividade pública.

- Precisamos sair do profissionalismo. Política não é atividade profissional, não deve ser atividade profissional. Espero que voltemos aos tempos antigos, em que tínhamos gente envolvida na política por espirito público, por idealismo, por paixão, não por interesse escuso.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Conversando com... / Entrevista/Conversando com...
terça-feira - 11/04/2017 - 10:43h
Ciências

Encontro Estadual de Geografia do RN acontecerá em junho


O Departamento de Geografia da FAFIC (Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras) da Universidade do Estado do RN (UERN) vai realizar um evento acadêmico científico a nível estadual. Trata-se do Encontro Estadual de Geografia do RN (EGEORN), que se constitui no principal evento acadêmico-científico da Geografia Potiguar.

O Egeorn chegará à sua XXIII edição. Será realizado pelo no período de 07 a 09 de junho de 2017 na cidade de Mossoró/RN.

O evento reúne diversos pesquisadores, docentes e discentes do Ensino Superior, professores do Ensino Básico e profissionais já graduados em Geografia e áreas afins, do RN e também de outros estados, possibilitando a socialização de experiências de estudantes e profissionais em diferentes níveis de formação, permitindo uma aproximação necessária entre o saber acadêmico e escolar.

As inscrições já estão sendo realizadas desde o dia 06 de março de 2017 e todas as informações se encontram disponíveis no site do evento.

Clique neste Link: https://contatoxxiiiegeorn.wixsite.com/xxiiiegeorn/inscricoes

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Educação
  • Repet
sexta-feira - 24/03/2017 - 07:28h
Uern

Reitor tem desempenho maior do que em eleição passada


Na análise dos números finais das eleições na Universidade do Estado do RN (UERN), é fácil perceber que o reitor reeleito Pedro Fernandes Neto teve vitória acachapante. Mais do que isso.

Seu desempenho em comparativo com a vitória na eleição passada, em março de 2013, revela crescimento no capital eleitoral nos três segmentos votantes (professorado, técnicos e estudantes).

- Professores – Passou de 52 para 58%;

- Técnicos – Passou de 68 para 76%;

- Estudantes – Passou de 29 para 44%.

Acompanhe nosso Twitter AQUI. Notas e comentários mais ágeis.

Categoria(s): Gerais
sexta-feira - 24/03/2017 - 07:10h
Uern

Apuração mostra vitória expressiva de Pedro e Fátima Raquel


A Comissão Eleitoral finalizou à tarde dessa quinta-feira (23) a apuração das urnas da eleição para Reitor(a) e Vice-Reitor(a) da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) – mandato 2017/2021. A votação quarta-feira (22) nos Campi e Núcleos Avançados da Uern, com apuração avançando pela madrugada.

Os candidatos Pedro Fernandes e Fátima Raquel foram eleitos como Reitor e Vice-reitora da UERN. Pedro Fernandes obteve 62,7% dos votos válidos e Telma Gurgel 37,3%. Na disputa para o cargo de Vice-Reitor(a), Fátima Raquel obteve 59% dos votos válidos, William Coelho ficou com 36% e Ivanaldo Gaudêncio com 5%.

Dos 11.274 eleitores aptos, 5.760 exerceram o direito ao voto, o que equivale a 51,09% do total e revela uma abstenção de 48,01%.

Conforme o calendário eleitoral, no dia 04 de abril a Comissão Eleitoral vai apresentar o resultado ao Conselho Universitário (CONSUNI/UERN), quando a lista tríplice será composta para ser entregue ao Governo do Estado.

Acompanhe nosso Twitter AQUI. Notas e comentários mais ágeis.

Categoria(s): Gerais
quinta-feira - 23/03/2017 - 09:42h
Uern

Conheça perfil do reitor e vice-reitora eleitos nesta madrugada


Conheça abaixo o perfil do reitor reeleito da Universidade do Estado do RN (UERN), professor Pedro Fernandes Neto, bem como de sua vice, professora Fátima Raquel Morais Rosado.

Resultado parcial (veja AQUI), mas irreversível, saiu à madrugada de hoje.

Pedro Fernandes Neto

O professor Pedro Fernandes Ribeiro Neto é o reitor mais jovem da história da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (Uern). Graduado em Ciência da Computação pela Universidade Estadual do Ceará (1997), Pedro Fernandes é mestre em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal da Paraíba (2001) e Doutor em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal de Campina Grande (2006).

Ele é membro suplente do Fórum Nacional de Educação como representante da Associação Brasileira dos Reitores das Universidades Estaduais e Municipais (Abruem) e presidente da Câmara de Extensão da Abruem.

Fátima Raquel

Graduada em Enfermagem pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, em 1994, Fátima Raquel Rosado Morais é mestre em Enfermagem em Saúde Pública pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e doutora em Psicologia Social pela UFRN/UFPB. Atualmente, é Pró-Reitoria de Planejamento, Orçamento e Finanças da Instituição. Professora na Uern desde 1998, Fátima Raquel atua na Faculdade de Enfermagem e no Mestrado Acadêmico em Saúde e Sociedade.

Ao longo de 19 anos, assumiu diferentes responsabilidades dentro da Instituição. Foi chefe do Departamento de Enfermagem, chefe de gabinete da Reitoria, foi conselheira do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe) e atuou na Câmara de Ensino.

Acompanhe nosso Twitter AQUI. Notas e comentários mais ágeis.

Categoria(s): Gerais
quarta-feira - 22/03/2017 - 23:42h
Uern

Pedro Fernandes tem dianteira praticamente irreversível


A apuração das urnas para escolha de reitor e vice, da Universidade do Estado do RN (UERN), avança e está próxima de 50% dos votos válidos.

O Blog Carlos Santos acompanha os números de forma mais ágil no Twitter - AQUI.

Na mais recente parcial, os números são estes acima, às 23h36 e 48% dos votos apurados.

Acompanhe nosso Twitter AQUI. Notas e comentários mais ágeis.

Categoria(s): Gerais
Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.