• Vale Norte - Nativa Comunicação - 2º Banner - 14-11-17
terça-feira - 04/10/2016 - 09:20h
Natal

Carlos Eduardo, o grande vencedor


Do Blog Honório de Medeiros

Carlos Eduardo (PDT) foi, sem sobra de dúvida, o grande vencedor dessa eleição. Não somente pela vitória avassaladora, mas, também, por firmar como patrimônio seu um senso estratégico que os desprevenidos insistem em atribuir ao destino ou à sorte.

Nesta eleição, por exemplo, assumiu, obliquamente, a liderança de sua família. Garibaldi está encerrando a carreira, por força da idade. Henrique tem voo curto, enredado nas teias da justiça.

Carlos trabalha de forma pragmática e teve vitória avassaladora nas urnas contra leque de adversários (Foto: web)

Os primos são demasiadamente novos.

Digo obliquamente porque não se percebeu, no seu jogo-de-xadrez, qualquer movimento que induzisse esse objetivo. Mas aconteceu. Queiram ou não.

Assumiu, também, de forma inconteste, mas sutil, a bandeira da esquerda que não é extremada, tampouco petista. Não há espaço vazio na política, sabemos, e, agora, a sobrevivência da esquerda no RN depende dos passos que Carlos, e seu PDT, irão dar.

Eleições em Natal – 2016

Carlos Eduardo Alves (PDT) – 225.741 – (63,42%)
Kelps Lima (SD) – 47.576 – (13,37%)
Fernando Mineiro (PT) – 36.123 (10,15%)
Robério Paulino (PSOL) – 24.422 – (6,86%)
Márcia Maia (PSDB) – 19.696 – (5,53)
Rosália Fernandes (PSTU) – 1.398 – (0,39%)
Freitas Júnior  (REDE) – 970 – (0,27%)
Brancos – 19.874 – (4,62%)
Nulos – 53.989 (12,56%)
Válidos – 355.926 (82,81%)
Abstenção – 104.793 (19,60%)

Mas mesmo segurando a bandeira da esquerda, não perdeu a possibilidade de estabelecer alianças táticas com o espectro conservador da política potiguar, vez que suas arestas são poucas e escolhidas, o que mostra sua capacidade de enxergar longe. E seu trânsito no segmento econômico está em aberto.

Como ainda é novo, não afasta  os jovens; como é experiente, atrai os mais velhos. Esperto, conduz sua administração de forma tranquila, discreta, fazendo o óbvio, sem cometer equívocos. Isso tem sido bastante, as urnas o demonstram.

Quando quer, sabe sumir. Ponto para ele.

Investe forte na Cultura: entendeu logo o potencial político dessa opção. Palmas e mais palmas.

Claro que há senões. Impossível não haver.

O tipo de ação que lhe é próprio, e sua personalidade pouco propensa a intimidades ruidosas podem não fazê-lo um líder de massas, e isso deixa um flanco aberto para potenciais inimigos políticos que tenham o carisma necessário para subverter a ordem natural das coisas.

Mas como no horizonte imediato é pouco provável surgir esse novo Aluízio Alves, queiram ou não os que pouco gostem, Carlos Eduardo está aí, solidamente enraizado, com galhos e folhas voltados para 2018.

É isso: um líder forte em uma realidade fragmentada.

Acompanhe o Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI.

Categoria(s): Artigo

Comentários

  1. Edmiro Freitas Costa diz:

    Poucas vezes li uma análise tão objetiva e tão lúcida, parabéns ao autor.

  2. João Claudio diz:

    O bacurau está com a faca e o garfo nas mãos e o queijo e a goiabada no prato (o preço do queijo está pela hora da morte) para ser o próximo governador. Até porque, final de 2017 o país estará ressuscitando, e já dará os primeiros sinais de vida após ter sido assaltado/esfaqueado pela quadrilha. Decifra-me ou te devoro.

    Até lá, o Rob já terá dado chabu definitivamente. Se muito for, será um mero traque molhado, ou um Chumbinho que bate no chão e não explode.

    Jajá não elege nem líder de classe estudantil. ”Morreu” e não está sabendo.

    Mossoró também já mostrou que deu chabu através da Rosa.

    Miguel Mossoró já se foi.

    O Super Moura, idem.

    Quem seria o adversário do Boneco de Olinda em 2018? Quem? Quem?

    Não sei quem será, mas já estou apostando no bacurau, e dou, para começar o jogo, 70 mil sufrágios de ”usura”.

    Anotem a data: 04/10/2016, dois dias após as eleições para prefeito e vereador.

    Quem viver verá.

  3. Antonio Augusto de Sousa diz:

    Texto elucidativo!

    Como todos do mestre Honório, esclarecedor, sem toques de parcialidade, catapultando mesmo que “obliquamente”, à batalha de 2018.

    Parabéns Mestre, da RISV – República Independente da São Vicente.

    De seu eterno discípulo, Augusto da RIDA – República Independente da Doze Anos.

Faça um Comentário

*


Current day month ye@r *

Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.