domingo - 13/08/2017 - 04:36h

Educação de Qualidade exige Competência e Amor


Por Inácio Augusto de Almeida

Vamos tentar analisar o que acontece na Educação em Mossoró sem ter a pretensão de levantar todos os problemas deste importante setor para a administração.

Merenda Escolar

O absurdo que vem acontecendo na em Mossoró não é de agora. Em administrações pretéritas a falta de Merenda Escolar foi constante.

Época da Cláudia Regina o problema se acentuou e virou escândalo. Quando não faltava Merenda Escolar a servida era de tão péssima qualidade que as crianças, mesmo com fome, rejeitavam. Tempo do cuscuz com ovo ou farinha com arroz, farinha que apelidavam de paçoca.

Depois veio o Silveirinha e o que era ruim piorou.

Passou a serem servidos uns fiapos de macarrão boiando numa água fervida que chamavam de sopa. Para variar, entregavam duas bolachas mofadas e um copo de refresco feito com aromatizante. Isto quando não acontecia de nada ser servido.

No JOM constatávamos licitação de compra de filé de tilápia, queijos, massa para lasanha e outras finas iguarias para a Merenda Escolar.

A Secretária de Educação, tentando justificar a falta de MERENDA ESCOLAR, confessou na Rádio Rural que faltava merenda porque faltavam merendeiras.

Na administração Rosalba Ciarlini o quadro se agravou e a falta de Merenda Escolar é tão constante que encerram as aulas às 10 horas, suprimindo assim as duas aulas após intervalo para o recreio, o que acarreta grave perda para o aprendizado.

Comecei esta pequena análise sobre a Educação em Mossoró pela Merenda Escolar por entender que uma criança com fome não consegue aprender.

Corrigir este grave problema é fundamental para que a Educação Pública em Mossoró supere esta fase negra.

Uniforme Escolar

Em Mossoró há muitos anos não acontece entrega do UNIFORME ESCOLAR. Nem mesmo uma recomendação do MPRN de 2015 foi considerada. Tanto não foi que nada entregaram em 2015 a título de Uniforme Escolar. Em 2016 entregaram um blusa. Em 2017 nada entregaram. Difícil entender uma recomendação de o MPRN ser desconsiderada e nada acontecer.

Para mascarar a não entrega do UNIFORME ESCOLAR, exigem que os alunos compareçam uniformizados. Para isto vendem dentro das escolas blusas que arremedam as do Uniforme Escolar a R$ 15,00 e orientam os pais dos alunos a comprarem no comércio calças jeans e tênis. Fazem isto para caso chegue uma fiscalização pense que os alunos receberam o Uniforme  Escolar.

Uniforme Escolar aumenta a autoestima da criança e a faz sentir-se protegida. E isto influi no seu rendimento escolar tanto quanto uma merenda de qualidade.

Não é por acaso que mais de 90% das cidades brasileiras distribuem uniforme escolar.

Material Escolar

Poucos se recordam do tempo em que os alunos das escolas municipais em Mossoró recebiam lápis, canetas, cadernos, régua, compasso etc.

Hoje apenas entregam, a título de empréstimo, livros que o MEC manda. Livros quase todos desatualizados ou tratando de uma realidade que não é a nossa.

E sem lápis, cadernos e livros adequados a Educação naufraga.

Os responsáveis sabem de tudo isto, mas se calam.

O uso de computadores nunca aconteceu nas escolas municipais por parte dos alunos. Apenas anunciaram a compra destes computadores com gastos de milhões de reais. No Colégio Evangélico nunca um aluno usou um computador em trabalho de pesquisa e jamais um pai de aluno viu um computador naquela escola. Quando se pergunta pelos computadores, desconversam.

Currículo Escolar e Direção

Adequar o currículo escolar às necessidades dos nossos alunos é preciso. Alunos que terminam o primeiro grau sem saber quais são as capitais dos estados brasileiros, mas conhecem os costumes dos povos asiáticos e africanos. Um verdadeiro banho de cultura inútil e dado nas nossas crianças. Professores que passam como tarefa de casa a construção de maquetes em gesso de castelos medievais e não falam que em Mossoró existiu uma Celina Guimarães.

Alunos a quem tentam ensinar equação sem atentar que as crianças não dominam as quatro operações fundamentais.

Criação de aulas de reforço para todas as matérias é necessário. E isto pode ser feito com custo quase zero para o município. É só uma questão de querer. O ideal seria a escola integral, mas enquanto isto não é possível, pelo menos um melhor acompanhamento dos alunos que apresentam maior dificuldade na aprendizagem.

Claro que isto nunca será conseguido com nomeação de secretária de Educação totalmente despreparada e de diretoras que são nomeadas por critério político. Já conheci em Mossoró vice-diretora sem qualificação para exercer função de bedel. O mesmo acontece com a nomeação de supervisoras.

Eleições dentro dos colégios para preenchimento destes cargos, com os professores participando com voto peso 5 e os pais e alunos com voto peso 1. Isto jamais acontecerá por razões que todos nós conhecemos.

A deficiência do ensino em Mossoró salta aos olhos de qualquer observador em virtude do grande despreparo dos escolhidos para cuidar desta área tão importante.

O uso de Assistentes Sociais no acompanhamento de alunos que apresentam problemas de relacionamento familiar é de suma importância. Mais de 25% dos alunos são oriundos de famílias desestruturadas. E são estes alunos, na sua grande maioria, que alimentarão a violência nos anos seguintes.

Mudar é preciso. E estas mudanças acontecerão obrigatoriamente. Não há como permanecer com uma educação tão deficiente como a de Mossoró.

Educação não é cabide de emprego.

Educação exige vocação, qualificação e amor.

Inácio Augusto de Almeida é jornalista

Categoria(s): Artigo

Comentários

  1. Inácio Augusto de Almeida diz:

    SEM UNIFORME ESCOLAR AS CRIANÇAS DE MOSSORÓ
    Uma RECOMENDAÇÃO do MPRN de novembro de 2015 até hoje não foi considerada. Por esta recomendação o UNIFORME ESCOLAR teria que ser entregue em Mossoró no primeiro dia letivo de cada ano.
    Em 2015 nada entregaram. Em 2016 entregaram uma blusa quase no final do ano por eu ter muito denunciado nos blogs, emissoras de rádio e ao MEC.
    Em 2017, até hoje hoje nada entregaram.
    Nem ir brincar num CARROSSEL uniformizadas as crianças podem.
    E o que fez o MPRN que teve a sua recomendação desconsiderada?
    Que eu saiba, nada.
    E AINDA PEDE PARA O POVO DENUNCIAR.

  2. jb diz:

    São pertinentes as observações do Sr. Inácio, a propósito no IOEB – Índice de Oportunidades da Educação Pública -shttp://www.ioeb.org.br/perfil/rn-mossoro ocupa o 3382º lugar enquanto Sobral-Ce ocupa o 1º lugar, as duas cidades tem algo em comum: são administradas por duas oligarquias os Ferreira Gomes e os Rosado. Parece(?) que para a oligarquia cearense educação é prioridade. Educação é fundamental para o desenvolvimento econômico e social, mas apesar da vergonhosa colocação de Mossoró no Ranking, fâmulos – criado, serviçal – de S.Exa. Sra. Rosalba Ciarlini querem nos convencer que temos uma gestão voltada para o futuro [do pretérito?].

    • Inácio Augusto de Almeida diz:

      Caro JB
      A diferença fundamental entre Sobral e Mossoró é que em Sobral o povo luta pelos seus direitos. A Oligarquia Ferreira Gomes procede corretamente em relação à Educação porque sabe que, se assim não o fizer, o povo vai às ruas e nas eleições dará a resposta. Em Sobral o povo conhece os direitos que tem. E por conhecer é que lá a Educação é de qualidade, qualidade que se reflete na segurança pública.
      Aqui o povo aceita tudo caladinho.
      Há tempos tento conseguir alguns abnegados para comigo dividir a despesa do aluguel de um carro de som para nos bairros mais humildes informar o povo dos direitos que lhe são negados descaradamente.
      O Professor Luiz Carlos Martins se prontificou a colaborar. Mas só o professor é muito pouco. É preciso dividir esta despesa com pelo menos mais umas 10 pessoas, o que daria algo em torno de 50 reais mensais para cada um. Alex do Frango nunca respondeu se colaboraria ou não. Os eternos candidatos a prefeito se calam. Sozinho eu não tenho recursos para bancar esta despesa. Moro nas Barrocas numa rua que a prefeitura, propositalmente, está deixando o mato cobrir e que hoje serve de pasto a porcos, vacas, jumento, cavalos, bodes, carneiros e cães vadios. Dispensável dizer que a rua está completamente esburacada e totalmente às escuras.
      Não mais se contentam em me negar atendimento odontológico na UBS Chico Porto.
      Buscam destruir a minha autoestima destruindo a rua em que moro.
      Retaliações sofro todas. Mas não vou parar.
      Muito obrigado pelo comentário.
      ///////
      OS RECURSOS SAL GROSSO SERÃO JULGADO ANTES DO FIM DO MUNDO?

  3. naide maria rosado de souza diz:

    Sr. Inácio.
    Desde que entrei para o “Nosso Blog” acompanho essa sua luta pela merenda escolar e fardamento dos alunos da rede pública de ensino. Sei que não lhe ouvem….sei que não lhe atendem, gostaria muito de me unir ao sr. nessa batalha . A minha companhia não reforçaria seu exército de um homem só.
    A única forma de lhe apoiar é por aqui.
    Essa falta de amparo ao estudante, é vergonhosa. O aluno de hoje, é o adulto de amanhã que , se a carruagem continuar nesse andar sombrio e descuidado, será despreparado e miserável. Miserável, sim, por mais que essa palavra possa chocar. As melhores posições estarão designadas aos que vierem da rede particular de ensino.
    Ao de origem humilde é negado o direito de vencer na vida, de aprender. Faltando-lhe recurso em casa, a merenda escolar poderia ser um atrativo para que frequentasse as aulas.Ter um uniforme lhe confere dignidade também.
    Parabéns por tanto pelejar por um futuro melhor para os menos favorecidos.

    • Inácio Augusto de Almeida diz:

      Dra. Naide Maria Rosado de Souza
      ESTA FALTA DE AMPARO AO ESTUDANTE É VERGONHOSA.
      A senhora resumiu numa única frase a IMORALIDADE que acontece em Mossoró e que todos fingem não ver.
      Engana-se a senhora quando diz que o seu apoio não é importante.
      Não fosse pelo seu apoio certamente eu já teria desistido. A senhora me dá a certeza de que estou no caminho certo.
      O CÉU SEMPRE MANDA ALGUÉM.
      Os que negam o que é das crianças, esquecem-se que amanhã pagarão tudo em dobro.
      A natureza se vinga. A SOCIEDADE TAMBÉM SE VINGA.
      Qual a tranquilidade que esta gente tem ao dirigir um carro nas ruas de Mossoró. Gente que torce o nariz aos problemas da Educação.
      Que mundo irão deixar para os filhos que hoje estudam em escolas particulares e que amanhã disputarão, em condições privilegiadas, as vagas ofertadas com os pobres que frequentaram escolas que pouco ensinam?
      Pensam que estes jovens de hoje e adultos de amanhã, totalmente despreparados para inserção no mercado de trabalho, vão sobreviver como?
      Pedindo esmolas ou de revólver na mão assaltando e matando?
      Não conseguem ver nada mais do que o egoísmo doentio que as domina permite.
      Isto não vai durar para sempre.
      Tomo emprestado as palavras de Madre Teresa de Calcutá, quando num momento de desespero, disse:
      POR QUE DEUS PERMITE TUDO ISTO?
      ////
      OS RECURSOS SAL GROSSO SERÃO JULGADOS ANTES DO FIM DO MUNDO?

  4. François silvestre diz:

    Parabéns ao Blog, pelo texto de Inácio e pelos comentários. Faço minhas as observações de Naide.

  5. RAIMUNDO NONATO SOBRINHO diz:

    NÃO VOU DETALHAR O ASSUNTO, MAIS JÁ POSTEI POR VÁRIAS VEZES QUE A VIOLÊNCIA DA CIDADE DE MOSSORÓ SE ACENTUOU DEPOIS QUE A PREFEITA ROSALBA CIARLINE ASSUMIU A PREFEITURA PELA PRIMEIRA VEZ EM 1990. COM A FARSA DO ORÇAMENTO CIDADÃO QUE ERA APROVADO MUITAS VEZES NAS PRAÇAS PÚBLICAS DA CIDADES POR JOVENS ADOLESCENTES AOS GRITOS. UM DOS FATORES MAIS DETERMINANTES FOI A DESATIVAÇÃO DO ESPORTE AMADOR NOS BAIRROS DA CIDADE. A BOLA DA VEZ PASSOU A SER A ESTAÇÃO DAS ARTES, E UMA ONDA DE FESTAS NOTURNAS QUE VIROU FEBRE. OS JOVENS TROCOU OS CAMPOS DE FUTEBOL PELO CORREDOR DA FOLIA, A BOA PELO CRAQUE E O RESULTADO TODOS CONHECEM. QUANDO COMENTO ISTO COM ALGUNS COLEGAS ALGUNS MENOS AVISADOS DIZEM. CINQUENTINHA MAIS É O MUNDO TODO, O BRASIL É TODO VIOLENTO. NEM TODAS AS CIDADES BRASILEIRAS TEM O MESMO PERFIL. TUDO DEPENDE DO QUE PLANTAMOS. E AS NOSSAS PRAÇAS, NOSSOS JARDINS SE TRANSFORMARAM EM CANTEIROS REGADOS A SANGUE. MAIS PARECE QUE NEM COM A GUERRA URBANA QUE VIVENCIAMOS PARA QUE AS FAMÍLIAS ENTENDEM O QUE ESTÁ ACONTECENDO. EU NÃO TENHO DÚVIDA: VAMOS PRECISAR DE PELO MENOS 20 ANOS PARA REVERTER ESSA CALAMIDADE. DEUS QUEIRA QUE DESTA VEZ EU ESTEJA ERRADO.

Faça um Comentário

*


Current day month ye@r *

Home | Quem Somos | Regras | Opinião | Especial | Favoritos | Histórico | Fale Conosco
© Copyright 2011. Todos os Direitos Reservados.